Augusto Nunes comenta o debate de forma cirúrgica, precisa

Um debate bisonho como a campanha

Vou tratar do debate na Globo num texto mais extenso, mas o conteúdo do post anterior exige a antecipação de quatro registros.

Primeiro: sorteado para abrir o terceiro bloco do debate na Globo com uma pergunta sobre habitação, José Serra poderia ter convidado Dilma Rousseff a explicar-se sobre a Casa da Mãe Joana instalada na Casa Civil pela melhor amiga Erenice Guerra, ou desmontado as invencionices, lorotas e malandragens que transformaram o programa Minha Casa, Minha Vida no maior conjunto residencial imaginário do planeta. Em vez disso, preferiu conversar sobre irrelevâncias com Marina Silva.

Segundo: Serra será lembrado como o primeiro candidato da história que, em segundo lugar nas pesquisas, prefere trocar ideias com quem vem atrás em vez de acossar quem lidera a disputa.

Terceiro: num país atormentado pela corrupção endêmica, a única menção à impunidade dos bandidos de estimação foi feita pela platéia. Quando Dilma Rousseff garantiu que todas as doações recebidas pela aliança governista estão oficialmente documentadas, até alguns companheiros caíram na gargalhada.

Quarto: o espetáculo da mediocridade encenado no estúdio da Globo foi um desfecho perfeito para a mais bisonha campanha presidencial desde a Proclamação da República.

http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.