Preconceito racial?Imagine!PM do governador zonzo, em Campinas, dá ordem para priorizar “negros e pardos” nas abordagens. E eles ainda tentam negar!

277PM de Campinas deixa vazar ordem para priorizar abordagens em negros

Documento feito por capitão da cidade era contra roubos a residências.
Comando da PM na capital afirma que carta foi ‘deslize de comunicação’.

Do G1 Campinas e Região
O comando da Polícia Militar em Campinas (SP) deixou vazar uma mensagem enviada à equipe do bairro Taquaral, com uma ordem determinando a abordagem focada em “indivíduos da cor parda e negra”. O pedido, assinado pelo capitão Ubiratan de Carvalho Góes Beneducci, foi enviado no fim de dezembro e valeu até esta segunda (21). A PM classifica o episódio como “deslize de comunicação”.

A ordem do capitão pede a intensificação do policiamento em ruas próximas ao Colégio Liceu aos sábados das 11h às 14h,  “focando em abordagens a transeuntes e em veículos em atitude suspeita, especialmente indivíduos de cor parda e negra com idade aparentemente de 18 a 25 anos”.

Segundo o porta-voz da PM em São Paulo, o capitão Eder Antonio de Araújo, as características citadas na ordem do comando foram baseadas em uma carta enviada por moradores da região, que descreviam um grupo que praticava roubos a residências naquelas imediações.

“A forma como foi colocada a ordem de serviço, ela generaliza. Ela não tem uma ação específica”, disse Edna Almeida Lourenço, integrante do movimento negro e fundadora da entidade Força da Raça Campinas. Na avaliação dela, a mensagem deveria informar, também, outras características dos suspeitos.

‘Deslize de comunicação’Wanted
Para Araújo, a mensagem não tem teor racista. Ele afirma que o caso pode ser considerado um “deslize de comunicação”. “O documento foi escrito de forma descuidada e com informações descontextualizadas. A partir do momento em que foi constatado, o caso foi imediatamente corrigido”, disse Araújo.

De acordo com o oficial de São Paulo, duas pessoas com as características descritas foram presas no período em que a patrulha foi intensificada. A PM informou que, inicialmente, não pretende punir o autor da mensagem e que não será aberta sindicância para apurar o caso.

No exterior
Nos Estados Unidos há uma polêmica de casos de policiais que decidiram investigar pessoas por causa da etnia, raça ou religião. O ‘racial profiling’, como esse tipo de discriminação é chamado em inglês, tomou força após 2001 quando ocorreram os ataques terroristas no país e grupos específicos passaram a ser mais visados nas investigações. No mesmo ano, o ex-presidente George W. Bush chegou a se pronunciar contra a prática.

Ordem de serviço enviada pela Polícia Militar em Campinas (Foto: Reprodução EPTV)Ordem de serviço enviada pela Polícia Militar em Campinas (Foto: Reprodução EPTV)

Um comentário sobre “Preconceito racial?Imagine!PM do governador zonzo, em Campinas, dá ordem para priorizar “negros e pardos” nas abordagens. E eles ainda tentam negar!

  1. joao henrique 26 de janeiro de 2013 / 23:26

    boa noite esta oficializado a perseguicao as pessoas da raca negra e parda, para o capitao ubiratam goncalves goes beneducci apenas negros e pardos sao criminosos , pagamos impostos para sermos humilhados , e perseguidos , hither usou essa pratica absurda contra judeus durante a segunda guerra nao podemos admitir que pessoas do alto comando da secretaria de seguranca publica tenha atitudes racistas e nazistas , e necessario a exoneracao e a reponssabilidade criminal por parte desse racista que proferiu esse oficio dando ordens as tropas . chega de racismo

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.