#ADEHOJE – APREENSÃO DE UM PAÍS SOBRE O QUÊ E COMO O HOMEM VAI FALAR

#ADEHOJE – APREENSÃO DE UM PAÍS SOBRE O QUÊ E COMO O HOMEM VAI FALAR

 

SÓ UM MINUTO – Nesta terça, 24, subirá ao palco da ONU para o discurso de abertura o presidente da República do Brasil que vem a ser o senhor Jair Bolsonaro, aquele que tem arrumado treta com os líderes internacionais e afagado Trump. Segundo eles, Bolsonaro tentará mostrar que o país se preocupa com o desenvolvimento sustentável e consegue ser uma potência no agronegócio aliada à preservação do meio ambiente. Mais, mudará de assunto: atacará Maduro, mudando novamente o foco para a Venezuela…

Olha, o pessoa da Revista Piauí está fazendo um Bolsonário e levantou que desde que assumiu Bolsonaro já fez 156 discursos ou pronunciamentos, com mais de 9 mil palavras diferentes – nomeou amigos e inimigos. Falou em 147 ocasiões sobre o “Exército”, que apareceu 9 vezes para cada menção a “universidades” e nas metades das vezes falou de forma negativa quando falou em universidades.

Lembram? A primeira vez que Marina atropelou Dilma? Olimpiada de LOndres, 2012. Fui até buscar as imagens

PRIMEIRA GOLEADA DE MARINA CONTRA DILMA FOI EM LONDRES

Em julho de 2012, em Londres, Marina Silva entrou carregando a bandeira Olímpica na cerimônia de abertura ao lado do Secretário Geral da Onu, pra fúria de Dilma que estava na tribuna de honra e foi pega de surpresa, igual está sendo pega de surpresa agora.

fonte: coluna james akel -http://jamesakel.zip.net/

Eu vi a PUC resistir à ditadura. Ajudo a lembrar de sua importante atuação. Dedico à memória da ex-reitora Nadir Kfouri

50 anos do golpe civil-militar de 64

brazilC_animadobrazilW_animadoA PUC-SP resistiu. A PUC-SP lembra.

japanflagA PUC-SP realizará uma campanha na internet (site e redes sociais), no dia 31/3, para marcar os 50 anos do golpe que instituiu a ditadura civil-militar no Brasil. Com o mote #LembrarÉResistir, slogan da Comissão da Verdade da Universidade, a ação recordará o protagonismo da PUC-SP na oposição ao governo ditatorial e a tortura institucional que ela sofreu como consequência desta posição.

A campanha pretende impactar a comunidade interna de alunos, professores e funcionários, e a própria sociedade, para fazer do dia 31/3 um dia de silêncio e reflexão sobre os fatos que completam 50 anos e a ditadura de 21 anos que se seguiu. Quatro episódios serão rememorados: a invasão do campus Monte Alegre por tropas da PM, em 1977; os dois incêndios do Tuca, em 1984; o apoio ao movimento estudantil e à realização da reunião anual da SBPC, em 1977, que havia sido proibida de acontecer em universidades públicas; a acolhida a professores aposentados compulsoriamente nas universidades públicas a mando do governo.

Tanto o site (http://www.pucsp.br) quanto as redes sociais da PUC-SP (http://www.facebook.com/PUCSP.Oficial e http://instagram.com/puc_sp) irão suspender as publicações normais, fazendo referência apenas a estes quatro eventos.

No Twitter (https://twitter.com/puc_sp), serão publicados textos (preparados pelo professor Luiz Antonio Dias, do Depto. História) relacionados à movimentação política do dia 31/3, explicando o golpe hora a hora.

Para a PUC-SP, recordar estes tristes episódios é resistir ao esquecimento e uma maneira de sensibilizar a sociedade para que o arbítrio político, a violência de Estado, as torturas e a falta de liberdade nunca mais se repitam.

Não deixe esquecer: #LembrarÉResistir

brazilB_animado