Convite para participar do Prêmio Petrobras de Jornalismo. Pergunto: isso é hora? Pode inscrever descobertas do Petrolão?

FONTE – GERÊNCIA DE IMPRENSA – PETROBRAS///www.petrobras.com.br

gaspump2O PRÊMIO PETROBRAS DE JORNALISMO É O
RECONHECIMENTO PELA SUA DEDICAÇÃO À
ÁREA DE PETRÓLEO, GÁS E ENERGIA

Olá, Marli Gonçalves.

Estamos na segunda edição do prêmio e convidamos você a participar.

O Prêmio Petrobras de Jornalismo é um reconhecimento à importância da imprensa brasileira e, sobretudo, ao seu trabalho. Em 2014, você contribuiu para a democratização e a disseminação de informações relevantes para o país.

O que você precisa saber?

As inscrições estão abertas até o dia 06/02/15 e devem ser feitas somente pelo site.

Serão aceitas reportagens jornalísticas de qualquer cidade do Brasil.

O resultado será divulgado no primeiro semestre de 2015.

Além de Petróleo, Gás e Energia, temos as categorias: Cultura, Esporte, Responsabilidade Socioambiental, Fotojornalismo e Internacional. Participe e divulgue para seus colegas.

Inscreva seu trabalho.

Nota Abraji – Morre Santiago, o cinegrafista que virou símbolo dos ataques à imprensa. Vamos guerrear contra isso. Contra todos os lados que não querem a liberdade.

0012

Abraji lamenta morte de cinegrafista atingido por rojão durante protesto 

A Abraji lamenta a morte cerebral do cinegrafista Santiago Ilídio Andrade confirmada nesta segunda-feira (10.fev.2013) e se solidariza com familiares, amigos e colegas do profissional. Santiago foi ferido na cabeça por um rojão na noite de quinta-feira (6.fev.2014). Ele cobria uma manifestação, na região central do Rio de Janeiro, contra aumento das passagens de ônibus. A investigação da polícia aponta manifestantes como os responsáveis pela compra e disparo do rojão.

É o primeiro caso fatal envolvendo jornalistas atacados durante os protestos de rua, mas os incidentes têm se multiplicado. Desde junho de 2013, a Abraji alerta para a escalada de violência e violações contra profissionais da imprensa. Desde que esta onda de protestos começou até o anúncio da morte de Santiago Ilídio Andrade, houve 117 casos de agressão, hostilidade – tanto por manifestantes quanto por policiais – ou detenção de jornalistas.

A violência sistemática contra profissionais da imprensa constitui atentado à liberdade de expressão. É preciso que o Estado (Executivo e Judiciário) identifique, julgue e puna os responsáveis pelos ataques.

Diretoria da Abraji, 10 de fevereiro de 2013

http://www.abraji.org.br/?id=90&id_noticia=2729

Jornalista virou sparring? Saco de pancadas? Tiro ao alvo. Veja os números das agressões em 2013

Estudo

De 113 agressões a jornalistas em 2013, 70 foram intencionaiselephant-swing

As 113 ocorrências foram registradas pela Abraji entre 11 junho e outubro deste ano

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo divulgou nesta sexta-feira (13) um estudo com a análise de 113 casos de agressões contra jornalistas durante os protestos de 2013. Segundo o documento, 70 delas foram intencionais. “Foram considerados deliberados os ataques realizados a despeito da identificação das vítimas como profissionais da imprensa”, explica a associação.

As 113 ocorrências foram registradas pela Abraji entre 11 junho e outubro de 2013. A partir de novembro, a associação tentou entrar em contato com todas as vítimas para verificar se a agressão havia sido deliberada ou não. Em 21 casos não foi possível localizar a vítima da violação ou ela não respondeu. Um dos repórteres localizados não soube dizer se a agressão havia sido deliberada ou não. Excluindo-se esses 22 casos, o universo analisado reduziu-se a 91 agressões, das quais 70 (ou 77%) foram deliberados.

A divulgação dos resultados deste levantamento marca os 6 meses do começo da onda de manifestações que atingem o pais, quando houve uma repressão violenta da Policia Militar de São Paulo à marcha contra o aumento das tarifas de ônibus em 13 de junho.

NOTA de hoje, da ABRAJI, associação brasileira de jornalismo investigativo

 

0014Abraji repudia novas agressões contra jornalistas

 A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo repudia a ação de manifestantes que atacaram repórteres nas ruas de São Paulo na noite dessa terça-feira (18.jun.2013).

 

Manifestantes hostilizaram uma equipe da TV Record aos gritos, depois a pedradas, até incendiar um veículo de transmissão da emissora.

 0009

Uma profissional da Band também foi atacada com um jato de vinagre no rosto durante a cobertura. Gritos contra meios de comunicação foram incorporados pelos manifestantes, que desde segunda-feira vaiam as equipes de televisão. A Abraji condena as ameaças e agressões que, nesta semana, partiram de pessoas que participavam das manifestações.

 

Atos de violência contra a imprensa colocam em risco o direito à informação de toda a sociedade. O trabalho de repórteres de quaisquer meios ou empresas é tão essencial à democracia quanto os protestos ora em curso.

 

Diretoria da Abraji, 19 de junho de 2013