O que é bom a gente divulga. Saiba mais sobre o Prêmio Criança. Casa do Coração é a finalista de São Paulo

children1A Fundação Abrinq – Save the Children, no próximo dia 2 de dezembro, promove o 20º Prêmio Criança 2014. E a cidade de São Paulo/SP tem uma iniciativa entre os finalistas: o “Qualidade de Vida das Nossas Crianças”

( FONTE ASSESSORIA DE IMPRENSA DA ABRINQ)

Por considerar os primeiros anos fundamentais para o desenvolvimento da criança pequena, quando cuidados e estímulos adequados podem fazer toda a diferença, a organização identifica e reconhece boas práticas voltadas à primeira infância (crianças de 0 a 6 anos, gestantes, parturientes e puérperas), desenvolvidas por empresas e organizações sociais de todo o País.

childrenchildren—–children

ACTC Casa do Coração é finalista do Prêmio Criança com o projeto ‘Qualidade de vida das nossas crianças’

Iniciativa que beneficia aproximadamente 200 crianças e 20 mães na cidade de São Paulo concorre a premiação promovida pela Fundação Abrinq

Reduzir os riscos que comprometam a saúde de crianças portadoras de cardiopatias, auxiliar no tratamento clínico e melhorar a qualidade de vida. Estes são os objetivos do Projeto ‘Qualidade de vida das nossas crianças’ realizado pela ACTC – Casa do Coração, com apoio da Prefeitura Municipal de São Paulo, por meio do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (FUMCAD).Coeur_qui_bat

Ao perceber a grande incidência de óbitos das crianças nos primeiros anos de vida, associados à condição socioeconômica, desnutrição, ingestão inadequada de alimentos, ausência de cuidados com a saúde bucal e fragilidade de recursos disponíveis na rede pública de saúde surge a proposta de promover esse Projeto interdisciplinar.

O Projeto possui um plano de ação que tem como objetivo promover melhorias no tratamento e a recuperação clínica das crianças, pautado nos seguintes indicadores: problemas socioeconômicos associados ao desemprego, baixa renda, alteração na dinâmica familiar, falta de saneamento básico, infraestrutura inapropriada e falta de informação sobre saúde e cidadania; problemas psicológicos; problemas nutricionais como desnutrição, diarreia, diabetes, intolerância à lactose, alergias alimentares, ausência de lactação; problemas fonoaudiológicos relacionados à respiração oral, alteração na mastigação, deglutição atípica, uso de chupeta, mamadeira e amamentação inadequada; problemas odontológicos relacionados a infecções, presença de cáries, má alimentação, ausência de cuidados com a higiene e risco de endocardite.

“A ACTC promove um programa interdisciplinar com a intenção de reduzir os riscos que comprometam a saúde e auxilie no tratamento clínico, melhorando a qualidade de vida das crianças desde a gestação aos seis anos de idade, por meio de atendimento: social, psicológico, nutricional, fonoaudiólogico, odontológico e de apoio à amamentação”, explica Sandra dos Santos Cruz, Assistente Social Supervisora, da ACTC – Casa do Coração.

Com esse eficiente trabalho, o Projeto ‘Qualidade de vida das nossas crianças é um dos dez finalistas do Prêmio Criança de 2014 da Fundação Abrinq – Save the Children, que concorrerá aos prêmios máximos como vencedoras da edição 2014.

O Prêmio Criança 2014 conta com o patrocínio da Novelis do Brasil, por meio de incentivo, via Lei Rouanet – Ministério da Cultura. Em sua 20ª edição, a premiação reconhece boas práticas voltadas a crianças de 0 a 6 anos, gestantes, parturientes e puérperas, desenvolvidas por empresas e organizações sociais no Brasil. Ao todo, já foram premiados 72 projetos nesses 25 anos de história.

A iniciativa ‘Qualidade de Vida das Nossas Crianças’

É um projeto interdisciplinar oferecido às crianças portadoras de cardiopatias pertencentes a famílias de baixa renda e usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS) de todo o Brasil que visa reduzir os riscos que comprometam sua saúde, auxiliar no tratamento clínico e melhorar a qualidade de vida.

Serviço

Prêmio Criança

Data e hora: 2 de Dezembro, às19h

Local: Teatro Cetip – Rua dos Coropés, 88, Pinheiros, São Paulo (SP)

Lista completa das instituições juntamente com seus projetos finalistas:

– Grupo Boticário

Iniciativa: Da gestação ao desenvolvimento: a beleza que o Grupo Boticário faz pelas crianças

Jacobina, Juazeiro, Nova Fátima, Pindobaçu, Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália, Senhor do Bonfim, Teixeira de Freitas, Tucano, América Dourada, Antônio Cardoso, Barra do Choça, Bom Jesus da Lapa, Candeias, Cardeal da Silva, Cordeiros, Eunápolis, Irará e Itabuna/BA

– Banco Santander

Iniciativa: Programa Educação Infantil

Jaguarari, Senhor do Bonfim, Campo Formoso e Itabuna (BA)

– Ai. Bi. Brasil – Associação Amigos das Crianças

Iniciativa: Desabrigamento e reintegração familiar

Jaboatão dos Guararapes (PE), Campina Grande (PB), Feira de Santana (BA), Teresina (PI),

Caucaia (CE)

– Instituto C&A de Desenvolvimento Social

Iniciativa: Projeto Paralapracá

Itumbiara, Jataí e Rio Verde (GO)

– Instituto CORES

Iniciativa: Pipo e Fifi – Prevenção de violência sexual contra a infância

Rio de Janeiro (RJ)

– Movimento Down – Observatório de Favelas do Rio de Janeiro

Iniciativa: TO Brincando – Movimento Down

São Paulo (SP)

– ACTC – Casa do Coração

Iniciativa: Qualidade de vida das nossas crianças

– Associação de Assistência à Criança Deficiente – AACD

Iniciativa: Projeto Bebê de Risco

– Liga Solidária

Iniciativa: Música na Primeira Infância

Maringá (PR)

– Associação Indigenista ASSINDI Maringá

Iniciativa: Centro Social Infantil Indígena Mitangue Nhiri

O Prêmio Criança

Este ano, foram inscritas 310 iniciativas de várias regiões do Brasil. Após cinco etapas de seleção, e análise do Comitê Técnico formado por especialistas das áreas de educação, saúde e proteção, foram definidos dez finalistas e, na análise final pela Comissão Julgadora foram selecionadas as iniciativas vencedoras, reconhecidas como boas práticas, que se evidenciam por contribuir com a Primeira Infância e servirem de exemplo para outros projetos em território nacional.

A opção pela Primeira Infância vem do fato de que esta é uma fase decisiva para o desenvolvimento da criança, quando cuidados e estímulos adequados podem fazer toda a diferença.

Sobre a Fundação Abrinq

Criada em 1990, é uma organização sem fins lucrativos que tem como missão promover a defesa dos direitos e o exercício da cidadania de crianças e adolescentes.

Desde 2010 é representante da Save the Children no Brasil e com esta parceria foi capaz de potencializar sua ação na proteção dos direitos das crianças e dos adolescentes no Brasil. A organização possui escritórios em São Paulo (SP), Recife (PE) e Petrolina (PE) e os seus programas estão organizados em quatro eixos: educação, emergência, proteção e saúde.

Queriam que a criança estivesse com a boca onde? O mundo está ficando careta ( e chato ) demais!

FONTE: TERRA – http://mulher.terra.com.br/noticias/0,,OI5766403-EI1377,00-Revista+estampa+crianca+com+boca+no+seio+de+mulher+e+gera+polemica.html

 Revista estampa criança com boca no seio de mulher e gera polêmica

Thaís Sabino

A capa da edição de maio da revista Time provocou polêmica após estampar uma criança de três anos com a boca no seio de uma mulher, ao lado da chamada “Are you mom enough?” (algo como uma provocação: você é mãe o suficiente?). A foto ilustra uma matéria sobre amamentação após a idade adequada que, de acordo com o ginecologista e obstetra, diretor do Centro de Fertilidade da Rede Dor, José Bento, é de dois anos de vida.

A publicação incitou comentários espantados nas redes sociais, como o de Lisa Hanson, no Facebook: “O que é isso? Olhe para ele, não tem três anos de idade! Algo está errado aí. Eu amamentei meus filhos, mas somente enquanto eles eram bebês”, postou. “Amamentação após um ano e meio, acho perturbador”, comentou Heather Mike Strickland no mesmo site de relacionamentos.

Annette McLane publicou na página da revista nas redes sociais que é a favor do aleitamento materno, mas criticou o fato de o menino da foto não ser mais uma criança. Apesar de a capa da Time despertar críticas, de acordo com o presidente do departamento científico de aleitamento materno da Sociedade Brasileira de Pediatria, Luciano Borges, não existe uma idade certa para a interrupção da amamentação.

“Isso é uma questão cultural. Existem pesquisas querendo comparar a amamentação dos humanos com a dos mamíferos. Desta forma, existe uma tendências para amamentar até quando a criança tiver entre quatro e sete anos. Se for jogar a idade dos mamíferos teria que amamentar por um tempo prolongado”, comentou.

Porém a realidade é outra: “gostaríamos que as mulheres amamentassem as crianças até os dois anos de idade, pelo menos. Mas só 10% das nossas crianças chegam aos seis meses mamando só no peito”, acrescentou ele.

Segundo José Bento, existem trabalhos que contraindicam a amamentação da criança mais velha por conta de danos psicológicos. “A imagem choca pois tem uma conotação não nutritiva, parece mais uma conotação sexual”, disse ele. O obstetra explicou que além de ser um órgão de alimentação, a mama também é ligada ao sexo. “Você não vê mais a imagem de uma criança precisando de alimento”, completou.

Segundo José Bento, casos assim são pouco frequentes e mais comuns na faixa socioeconômica menos favorecida. Ele acrescentou ainda que depois de determinada idade, passados os dois anos, não existem provas de que o leite materno tenha benefícios nutricionais para a criança, tanto quando nos dois primeiros anos de vida.