#ADEHOJE -ARMAS COM PERNINHAS, BRASÍLIA COM BOLHINHAS DE SABÃO

#ADEHOJE -ARMAS COM PERNINHAS, BRASÍLIA COM BOLHINHAS DE SABÃO

SÓ UM MINUTO – O Tenente-coronel Alexandre de Almeida está preso no Rio de Janeiro. Ele era o responsável total pela guarda de armas do Exército que saíram andando e estão sendo encontradas em outros lugares e clubes de tiro.

Três meses do horror de Brumadinho e o lengalenga continua com relação às indenizações. Ainda há 35 desaparecidos.

O Horário de verão foi finalmente revogado. E enquanto isso, a turma da fofoca continua atacando em Brasília. Um fala do outro, depois diz que não falou, uma coisa horrorosa. Amigos de lá dão conta que Brasília está um deserto de ideias, trabalho, e todo o mais. Lá é termômetro, E a coisa só não está feia para quem arruma um cantinho com deputados ou senadores, aliás, como o tal Léo Índio, primo dos Bolsonarinhos.

#ADEHOJE – AS NÓIAS COM O INFINITO. RADARES GARANTIDOS E ASSANGE PRESO

#ADEHOJE – AS NÓIAS COM O INFINITO. RADARES GARANTIDOS E ASSANGE PRESO

 

SÓ UM MINUTO – Juíza com juízo. A juíza federal Diana Wanderlei, de Brasília, proibiu o governo de retirar medidores de velocidade nas rodovias federais. A medida foi determinada numa ação popular contra decisão de Jair Bolsonaro, anunciada no mês passado, de suspender a instalação de novos radares e reduzir a quantidade de equipamentos instalados. Em caso de descumprimento, o governo será multado em R$ 50 mil por dia para cada unidade retirada. Cabe recurso.

Nóia: inacreditável, mas a Folha de S. Paulo implicou com o símbolo usado pelo Bolsonaro na cerimônia – juntou ao 100, de cem dias de governo, em verde e amarelo, o símbolo do infinito – o oito deitado. Para a repórter, há temor de perpetuação no poder, de ditadura. Socorro. O infinito, que aparece também na fita de Moebius é também o símbolo da Rede! Tanta coisa de verdade, lá precisa invocar com uma bobagem dessas?

Assange preso: incrível, parece que envelheceu décadas, como deu para ver pelas imagens.

#ADEHOJE – CAFÉ DA MANHÃ COM O PRESIDENTE

#ADEHOJE – CAFÉ DA MANHÃ COM O PRESIDENTE

 

SÓ UM MINUTO – Adoro ver como os jornalistas, especialmente de Brasília, ficam felizes, contentes igual pinto no lixo, nem disfarçam, quando são chamados para o tal encontro com o presidente no café-da-manhã. Hoje não foi diferente. A foto final então, é uma coisa! Entre expressões de que ele estava “leve”, “quase não comeu”, nos dão as informações importantes. Por exemplo, a de que ele finalmente está se dando conta do erro da indicação para ministro da Educação do tal Ricardo Vélez Rodrigues, que não sabe onde está parado e não cansa de produzir fatos vergonhosos.Com o vocabulário restrito de sempre, Bolsonaro diz que o anel de noivado com ele pode ir para a gaveta – sempre referências a “casamentos”… Vélez já diz que “não se entrega”.

De importante, também, a informação de que é praticamente certo que esse ano não haverá Horário de Verão. Ufa, uma economia pífia de energia e que traz prejuízos à saúde de todos porque desregula o relógio biológico totalmente. Vamos ver.

Fora isso, reforma da Previdência parece ser a única reforma que eles veem , entre tantas outras tão fundamentais e que talvez até pudessem diminuir o fardo que colocará sobre os ombros dos trabalhadores.

#ADEHOJE, #ADODIA – FOI DADA A LARGADA

#ADEHOJE, #ADODIA – FOI DADA A LARGADA

Aqui do meu posto de observação, além de desejar um Feliz Ano Novo a todos, quero pedir calma. É muito chato: qualquer coisa que a gente fala vem alguém dizer que estamos falando mal do novo presidente Jair Bolsonaro. Amigos!!! O mundo é maior do que isso. Como disse, unha encravada não é culpa do Bolsonaro. O salário mínimo péssimo que ele sancionou já era péssimo. Mas precisamos ficar atentos aos discursos que foram feitos durante a posse, alguns belicosos e sem sentido (socialismo? Onde?). Michele Bolsonaro foi a estrela da festa. Legal. Mas vamos acompanhar, porque mais masculino do que esse governo está difícil de ver. Enfim, foi dada a largada. Os ministros tomaram posse.

#ADEHOJE, #ADODIA – DIPLOMAÇÃO E A HORA DA VERDADE. JÁ SÃO MAIS DE 200 MULHERES DENUNCIANDO JOÃO DE DEUS

#ADEHOJE, #ADODIA – DIPLOMAÇÃO E A HORA DA VERDADE. JÁ SÃO MAIS DE 200 MULHERES DENUNCIANDO JOÃO DE DEUS

ACABOU O TEMPO REGULAMENTAR. HOJE, COM A DIPLOMAÇÃO DE JAIR BOLSONARO, SEU VICE E DEMAIS, O NOVO GOVERNO A PARTIR DE 1º DE JANEIRO FICA “ASSINADO”. O QUE VEM JUNTO JÁ ESTAMOS VENDO, ESPECIALMENTE OS TRÊS MENINOS BOLSONARINHOS, OS FILHOS DO CAPITÃO, QUE VÊM ATUANDO AQUI E ALI, E UNS RABINHOS JÁ COMEÇAM A APARECER. ENQUANTO ISSO MAIS DE 200 MULHERES JÁ PROCURARAM O MINISTÉRIO PÚBLICO PARA DENUNCIAR O MÉDIUM JOÃO DE DEUS POR ABUSO SEXUAL, E O NÚMERO DEVE CRESCER. CORAGEM, FOI ABERTA A PORTEIRA, E O FIM DO MEDO DAS AMEAÇAS. ONTEM JÁ APARECEU O ADVOGADO NEGANDO, NEGANDO, E FOI O CRIMINALISTA ESTRELADO ALBERTO TORON QUEM DEU ENTREVISTA POR TELEFONE, E QUE JÁ PARECEU NÃO MUITO CONFORTÁVEL COMO PORTA-VOZ DO ACUSADO DE DEUS. OU SEJA, CONTINUA ESSA MANIA DE DAR A ADVOGADOS O PAPEL DE PORTA VOZ QUE COSTUMEIRAMENTE ERA DE ESPECIALISTAS EM COMUNICAÇÃO. ASSIM, TUDO FICA AINDA MAIS DESASTRADO, SUPERFICIAL, DISTANTE, IMPESSOAL E JÁ HÁ AMEAÇAS DE FECHAR O CENTRO EM ABADIÂNIA, GOIÁS.
COMEMOREMOS, AINDA OS 70 ANOS DA DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS, QUE CONTINUAM TENTANDO SER GARANTIDOS. EMBORA SEM SUCESSO EM VÁRIAS PARTES DO MUNDO, ONDE AINDA REINA A BARBÁRIE.

ARTIGO – Os filhos do Capitão. Por Marli Gonçalves

Os três filhos do Capitão. Eles não são três; são quatro os meninos. Mas o quarto, Jair Renan, ainda não preocupa e não aparece muito – é imberbe, 20 anos, e de qualquer forma vamos vê-los crescer, ele e a sua irmã mais novinha, às nossas vistas, nos próximos quatro anos. Os três que estão na política já dão trabalho e o que falar. Flávio, Carlos e Eduardo me fazem lembrar de certas reinações, as dos Sobrinhos do Capitão, uma HQ histórica do século passado. Lembra?

Os dois molequinhos (na história dos Sobrinhos, sim, eram dois, Hans e Fritz, gêmeos), levadíssimos, infernizavam a vida do Capitão, que não era propriamente tio, era aquela coisa de tio, tia, que a gente chama qualquer um mais velho que nós. Atazanavam na verdade tudo e todos os que estavam à sua volta, e apanhavam, apanhavam muito. Pouco adiantava.

Aqui no nosso caso real que também certamente vai render história, os três irmãos parecem combinar entre si é mais como aterrorizar a vida da outra banda, a que não votou no pai deles, não necessariamente por ser petista, ressalte-se, por favor. Foram quase 2/3 da população, 61,8% dos aptos a votar que, ou sumiram, ou anularam, branquearam ou estrelaram seus votos. É muita gente.

Flávio, 37 anos, Eduardo, 34 anos, e Carlos, 35 anos, são filhos de Rogéria, a primeira ex-mulher do presidente eleito. Pensam o que? Michelle, a nossa jovem futura primeira dama, é a terceira esposa do Capitão. Olha só – também poderia haver outra série: “As esposas do Capitão”.

Voltando aos três que não são mosqueteiros, mas estão se saindo excelentes marqueteiros, inclusive de si próprios, veja que Flávio e Eduardo tiveram votação recorde, respectivamente para senador pelo Rio de Janeiro e deputado federal por São Paulo. Carlos já é vereador no Rio de Janeiro. Assim ocupam todas as Casas com a mais nova marca da política nacional. Um carimbo. Radicais e empinados.

E opinam sobre tudo. Quando não vêm com suas opiniões fresquinhas que disparam principalmente pelo Twitter, a rede onde acharam seus reinados de poucos caracteres, toda hora aparecem vídeos de suas opiniões e feitos que deve ter gente cavoucando até a marca e a cor das cuecas deles todos.

Já pitacaram sobre fechar o Congresso, aquecimento global, Direitos Humanos, Educação, áreas sobre as quais destilam desinformação e preconceitos, assim como sobre a História recente do Brasil que devem ter aprendido em livros com páginas arrancadas, só pode ser.

Adoram arrumar uma briga. Suas falas e aparições estão criando é ainda mais muitos outros problemas para o pai, que até parece estar tentando montar um governo razoável enquanto lida com uma equipe boquirrota, começando a já gostar de ser fonte “confiável” dos jornalistas cativados que ganham declarações logo desmentidas. É rápido, gente: os caras estão gostando do poder, de Brasília, dos segredos dos caminhos e corredores, de soltar balões de ensaio com nomes que se valorizam imediatamente após aparecerem em lista de indicados. Notícias chegarão sopradas pelos ventos.

Os garotos de Bolsonaro, não. Esses não são novatos. Já vivem isso tudo praticamente desde que nasceram, já que o pai tem quase 30 vividos na política. Só houve uma mudança importante, do baixo clero ao mais alto cargo da República.

Isso sobe pra cabeça. Tomara que o pai deles cuide disso também. Nem precisa dar palmadas; só puxão de orelhas. Para não virarem Os Três Patetas.

——

Marli Gonçalves, jornalista – Não vai faltar assunto ao meu programinha #adehoje, #adodia. Ah, sabia que o cartunista Angeli criou a tira “Os Skrotinhos” para homenagear “Os sobrinhos do Capitão”? Quem se habilita a desenhar “Os filhos do presidente”?

Brasil, 2018, reality, reality

——————————————————-

 ONDE ME ENCONTRAR:
https://www.facebook.com/BlogMarliGoncalves/
https://www.instagram.com/marligo/?hl=pt-br
www.chumbogordo.com.br
https://marligo.wordpress.com
https://www.youtube.com/channel/UCC-sDrkeHk5KRijJ6eESqfQ/featured?view_as=subscriber
marligo@uol.com.br / marli@brickmann.com.br

ARTIGO – Ovos, virados. Por Marli Gonçalves

Ovos, virados

Por Marli Gonçalves

A mais nova arma não letal que vem sendo usada aqui para expressar desagrado e beicinho é geometricamente perfeita. Não para em pé, verdade, mas seu formato, exatamente nele inspirado, o oval, é bonito e serve bem para um monte de coisas. Se fresquinhos, recém-postos, postura; se no ninho, ninhada; na panela, se vira todo.

Frágil, delicadinho, o ovo está sempre no meio das polêmicas. Já começa do princípio de sua própria existência. Quem nasceu primeiro? O ovo ou sua mãe? A galinha? A pata? Ovos de quê? A humanidade se depara com suas grandes questões. Seria a Terra oval? – perguntaram-se até os conquistadores, abrindo aí dissidência histórica com o redondo, com o quadrado, isso sem esquecer o retângulo, ou o losango e suas arestas.

Para ficar em pé precisa de suporte. Para chocar precisam ser aquecidos.

Sua geometria, contudo, faz com que, atirado, voe célere pelos ares se partindo no alvo, esparramado, esbanjando seu amarelo e branco pegajoso. Andam voando para cima de quem se apresenta fora da hora para a missão impossível que se torna a cada dia o quadro eleitoral a se definir ano que vem. Homens públicos ressuscitarão o hábito de usar elegantes e bem dobrados lenços de pano em seus bolsos. Talvez se ressuscite também o galante que o oferece a uma mulher que chore ao seu lado, ou que dele necessite que seja estendido sobre uma poça de água.

Ovo jogado dá boa foto, vira notícia. Só precisa ter bastante cuidado para carregar o armamento, que pode fazer estrago se quebrado, rompido dentro da bolsa. Aí mostra seu pequeno, mas porcalhão, potencial ofensivo. Não é bomba que estoure no colo. É arma infantil.

Por aqui o bombardeio é assim leve, embora gaste alimento tão nutritivo. Certo que ele tem fases: épocas em que é execrado, bandido, vilão, assassino silencioso. No momento, pelo menos nesse sentido, os ânimos estão apaziguados e até indicado está sendo para fortalecer o corpo, fonte de nutrientes, proteínas, e sabe-se lá mais quanta coisa que aparece a cada dia, impressionante, para elogiá-lo. Coma pelo menos um ao dia. Já apareceu quem coma mais de 30 para ficar fortinho – mas esses dizem que separam a gema – ficam só com a clara.

Do branco ou do caipira. O preço está pela hora da morte.

Cozido, frito, mexido, batido, cru, mole, duro – é dinâmico esse moço dentro da sua casquinha. E, se do limão faz-se a limonada, dele os políticos fazem um omelete quando se mostram coitadinhos indignados pela perseguição de um desses elementos dos quais tentam sempre se esquivar, e que tanto os humilham.

Ovos voam em todas as direções, vindos da esquerda e da direita. Se servissem para algo, logo viriam os que gostam de pisar no tomate. Em ovos, pisamos nós.

______________________________

marli retratoMarli Gonçalves, jornalista – Precisamos rever nossas armas. Antes que o façam.

SP, 2017

__________________

marligo@uol.com.br

marli@brickmann.com.br

www.brickmann.com.br

www.chumbogordo.com.br