Como já disse, Cesar Maia é bom de marketing político. Veja o que ele diz sobre os ataques sórdidos da turma da desesperada

fonte: EX-BLOG CESAR MAIA

dalmataMARKETING POLÍTICO DE ATAQUE! NO BRASIL HÁ RISCOS DE PERDER A ELEIÇÃO!

1. Nos países anglo-saxões com milenar disputa do poder pela força e pela violência, o uso dos ataques em campanhas eleitorais é algo normal, que faz parte da cultura política. Os melhores exemplos estão nas campanhas eleitorais nos EUA. Os estudos realizados lá, em campanhas eleitorais através dos últimos 50 anos, mostram que os comerciais de 30 segundos negativos produzem mais memória que os positivos, que são conhecidos como defensivos.

2. Aqui no Brasil é diferente. Os comerciais e programas de ataque assustam o eleitor. Em geral se voltam como bumerangue, contra quem os usa nas campanhas eleitorais.

3. Sempre as campanhas eleitorais majoritárias (presidente, governador, prefeitos de grandes cidades, senador) começam suaves e propositivas: o que o candidato fez, o que pretende fazer, sempre com imagens suaves dos candidatos que sorriem levemente conforme orienta o diretor de gravação.

4. Mas as campanhas chegam à metade do percurso, os programas e comercias de TV e rádio entram e criam expectativas. Mas os dias passam e se as pesquisas indicam que um candidato está ficando para trás, este e sua equipe resolvem iniciar uma bateria de ataques aos adversários que estão na frente.Woman_boxer_2

5. Em geral o fazem usando os comerciais, ou no final dos programas, como se estes tivessem terminado como terminam todos os dias. E fazem o ataque como se não fossem eles que o fizesses. Da mesma forma nos comerciais, ou diretamente, ou colocando a marca do programa do candidato imperceptível e atacando o adversário.

6. Esta mudança de percurso é percebida pelos eleitores que se perguntam: Por que agora? Será porque está perdendo? O publicitário Duda Mendonça tem uma frase que ficou célebre: “Quem bate, perde!”.

7. Com os quadros eleitorais majoritários definindo os candidatos, mais competitivos e os que estão atrás, ou estando na frente temem que a situação se reverta, começaram as agressões. As eleições no Rio têm sido um exemplo disso, desde a semana passada. Anotem quem bate. Anotem assim os perdedoresCammy-hdstance

O brucutu Bolsonaro socou o senador Randolfe! Isso é que é direita X esquerda.

boxSoco no Doi-Codi

Bolsonaro é acusado de agredir Randolfe em visita ao Doi-Codi

O deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) é acusado de dar um sopapo no senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) após a negativa dele entrar nas instalações do Exército, onde funcionou, durante a ditadura militar, o Destacamento de Operações de Informações, Centro de Operações de Defesa Interna (Doi-Codi) do Rio de Janeiro. A assessoria do senador conta que o deputado tentou forçar que Randolfe entrasse na ala, após negativa, eles discutiram e Bolsonaro lhe deu um soco.

Randolfe é vice-presidente da Subcomissão Permanente da Memória, Verdade e Justiça do Senado. A comitiva defende a transformação do local em um centro de memória, da mesma forma como ocorreu com o antigo Departamento de Ordem Política e Social (Dops) em São Paulo. Também participam da comitiva o senador João Capiberibe (PSB-AP) e as deputadas federais Luiza Erundina (PSB-SP) e Jandira Feghali (PCdoB-RJ).

FONTE: DIÁRIO DO PODER

CQC aprontando em Brasília, com Hillary Clinton. Palhaçada. Jornalismo é jornalismo. Comédia é comédia. Cada qual tem que ter lugar, mas nem sempe junto.

Jornalistas ameaçam agredir repórter do “CQC” em Brasília

FONTE – UOL, por
  • Famosos pelas confusões que costumam arrumar com seguranças, o “CQC” inovou nesta segunda-feira ao se meter numa encrenca com repórteres do primeiro time, no Itamaraty, em Brasília.

Credenciado para acompanhar o encontro de  Hillary Clinton com o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, o repórter do “CQC” Mauricio Meirelles provocou a fúria dos jornalistas ao final da entrevista, ao se levantar e oferecer uma máscara de Carnaval à secretária de Estado americano.

O encontro estava sendo transmitido ao vivo pela Globo News quando ocorreu o incidente. Meirelles já havia causado irritação ao gritar “I love you, Hillary” enquanto o encontro era filmado.

Hillary e Patriota, que estavam deixando o local, ouviram espantados parte da troca de ofensas entre a equipe do “CQC” e jornalistas que se sentiram prejudicados pela intervenção de Meirelles. Houve até quem gritasse: “Isto não é palhaçada! O que a imprensa do resto do mundo vai dizer do Brasil?”

Em seu Twitter, Meirelles contou: “Um dos jornalistas me chamou pra porrada e ameaçou meu produtor. Foi onde tudo começou”. Quem estava perto ouviu o repórter do “CQC” responder: “Vamos lá fora então”.

Por confusões semelhantes, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) parou de credenciar repórteres do “CQC” para seus eventos em 2010.

No programa exibido na segunda-feira, o “CQC” exibiu uma intervenção de Mauricio Meirelles durante entrevista concedida por Pelé. O repórter interrompeu o evento para entregar uma camisa da seleção da Argentina ao ex-jogador.

O programa possivelmente deve fazer referência ao episódio ocorrido no Itamaraty na próxima segunda-feira.

Grande Rita Lee.

e o governadorzinho Deda fugindo pela portinha, com rabinho, é uma imagem deplorável …
veja aqui:
http://colunistas.ig.com.br/poderonline/2012/01/29/assista-ao-momento-em-que-governador-marcelo-deda-se-retira-do-show-de-rita-lee/