#ADEHOJE – A NOVELA BEBBIANO, ABERTA AO PÚBLICO

#ADEHOJE – A NOVELA BEBBIANO, ABERTA AO PÚBLICO

 

 

SÓ UM MINUTO – O ministro da Secretaria Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, do mesmo PSL do presidente Jair Bolsonaro está sendo frito, cozido e assado em praça pública, e nós assistimos estarrecidos. Na segunda -feira, parece que salpicarão sobre ele os temperos finais e entregarão sua cabeça. O problema é que Bebianno sabe demais, acompanhou demais toda a campanha desde a primeira hora e está muito, digamos, ….bravo com especialmente um dos Filhos do Capitão, o Carlos, que nada mais é do que vereador lá no Rio e resolveu se meter e criar a maior crise política do governo até agora. Hoje Bebianno está mandando recados pelas redes sociais – e já falando em deslealdade. Lá vem vingança?

Resultado de imagem para FRANGO ASSADO ANIMATED GIFS

 

DIA MUNDIAL DA LIBERDADE DE IMPRENSA! JORNALISTAS, TUITEM! PEDIDO DA ABRAJI

Amigos da Abraji, só lembrando o pedido para quem puder tuitar hoje, no Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, sobre por que é jornalista.

A Abraji hoje está com este evento em parceria com o Twitter — transmissão ao vivo rolando agora em twitter.com/abraji — e em breve colocará uma campanha institucional nas ruas.

Essas atividades fazem parte de um entendimento que temos de que precisamos, nós jornalistas, sermos os primeiros a nos levantarmos para defender a beleza e a importância da nossa profissão, e o quão fundamental ela é para a nossa democracia.

Vamos criar paixão pelo jornalismo, pessoal! Eu pessoalmente acredito que devemos transmitir aos nossos leitores o mesmo encantamento que nós temos pelo que fazemos. E esta ação de hoje é parte disso.

Obrigado a quem puder tuitar!

Campanha contra a violência doméstica. Tem de falar, denunciar. Só gente famosa entrou para participar

Enfermera-Sujetando-Una-Red-61172não fuja, Zé! É feio! FAZ O DNA!

“Foi a maçaneta da porta.”
(fonte: assessoria de imprensa)
Frases misteriosas de celebridades para o Disque Denúncia do Rio de Janeiro é ação da Agência3.

Curiosidade Salva. Para mostrar isso, dezenas de celebridades como as irmãs Bela e Preta Gil, Anitta, Cláudia Leitte, Deborah Secco, Eliana, Paolla Oliveira, Marjorie Estiano, Sabrina Sato, Luana Piovani, Luíza Possi, Regina Casé, Taís Araújo, Ingrid Guimarães, Marina Lima, Martha Nowill, Natalia Lage, Patrícia Pillar, Bárbara Evans, Paula Burlamaqui, Roberta Sá, Mariana Lima, Teresa Cristina e muitas outras aceitaram o convite do Disque Denúncia do Rio de Janeiro para uma ação inédita no Facebook, criada pela Agência3.

Desde segunda, dia 24, elas postaram mensagens misteriosas em seus perfis oficiais de Facebook (Foi a maçaneta da porta./Foi a quina da mesa./Foi o corrimão da escada). Quando clicavam no botão “Editado”, as pessoas recebiam uma mensagem que mostrava que o interesse pelos sinais de violência doméstica pode salvar vidas.

Segundo Zeca Borges, coordenador do Disque Denúncia do Rio de Janeiro, “uma mulher é vítima de violência a cada 15 minutos, e muitas não têm coragem de denunciar por medo. As pessoas não têm coragem de denunciar. É o famoso em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher. Queremos mostrar que qualquer pessoa pode ajudar, sim. E deve. E para isso, é só se interessar.”

A campanha Curiosidade Salva viralizou a ponto de lideranças ligadas à causa, como a Deputada Federal Jandira Feghali, relatora da Lei Maria da Penha, e a ex-Ministra da Secretaria de Direitos Humanos Maria do Rosário aderirem de forma espontânea. O ex-Presidente Lula também entrou na onda e usou a nova “mídia” para divulgar o Memorial da Cidadania, com uma receita de bolo. A Prefeitura de Olinda também usou o recurso para falar de combate ao preconceito.

Até o momento, a campanha já recebeu mais de 80 mil interações orgânicas e 1.500 comentários. Entre eles, estão muitas histórias de pessoas que já sofreram com o problema e apoiam a campanha. Somando os seguidores de quem aderiu à campanha, a ação tem o potencial de alcançar uma base de fãs num total de mais de 50 milhões de pessoas.

Paulo Castro, vice-presidente de criação da Agência3, reforçou que tudo o que agência e o Disque Denúncia querem com esta ação é o aumento das denúncias. “E com o impacto nacional dessa campanha e a viralização que ela tomou, achamos que vamos contribuir e muito para isso”, disse ele.

A ação conta ainda com filmes para Youtube (http://youtu.be/2ZRTOw6G7x0) e Instagram (@curiosidadesalva), dirigidos por Fabiana Winits e filmados por Bruno Miguel da Mouse House. As peças contam com várias atrizes que participaram da iniciativa, incluindo as atrizes Mariana Ximenes e Leticia Lima.

Link para o vídeo da campanha: http://youtu.be/2ZRTOw6G7x0

FICHA TÉCNICA:

Direção de criação: Paulo Castro

Criação: Daniel Bensusan, Flávio Chubes, Leandro Bechara, Lucas Queiroz

Diretora de atendimento: Rafaella Eyer
Atendimento: Renata Ouvidor
Direção: Fabiana Winits e Bruno Miguel
Produção: Mouse House
Supervisor de estratégia de marca: Willian Rocha
Estratégia de marca: Hanna Cordeiro
Analista de métricas e monitoramento: Elmer Dias, Iracema Sydronio
Aprovação: Zeca Borges

ARTIGO – O Pau e a vergonha alheia. Por Marli Gonçalves

broke_man_with_empty_pockets_md_clrQuantas vezes na última semana você ouviu o provérbio “pau que dá em Chico dá em Francisco? ” Quando uma frasezinha pega, fica ali na boca do povo remoendo, passa para lá e para cá, participa de várias atividades, mesmo que o seu sentido se esvaia antes de chegar ao final da história

Já que nem tudo é tão democrático assim, em um país de desigualdades tão marcantes como o nosso é que essa do pau batendo em Chico e Francisco não rola mesmo. Só o Chico é que toma uns tecos. O Francisco dá alguma carteirada e se pica, lépido com seus títulos e diplomas; se possível até esfrega na nossa cara um foro especial e alguma imunidade parlamentar. Ou algum cargo de ex.

Ex-presidente, por acaso, tem um monte rodando por aí. Um não, dois, três, contando o do saco roxo que anda fazendo aparições (cinco, se contarmos o quieto Sarney e o viajante FHC que de vez em quando aparece, dá uns pitacos e some). Um, visto em boneco gigante, inflável, camisa listrada, saiu por aí, Pixuleco, carregado pela oposição para tudo quanto é canto. E o de verdade, carne, osso e barba num road movie promocional esquisitíssimo. Inflado, fica insuflando. Sobe na tribuna, pega um microfone e logo vem brandindo alguma ameaça feita em voz grossa, alta e rouca, de quem se faz de mouco e não ouve a voz das ruas. Não vê que a coisa não está de brincadeira, que não é hora de marketing eleitoral populista. Quanto mais as pessoas olham a cara dele, com mais raiva vão ficando.Bored_man

Para nos deixar mais boquiabertos ainda com tanta coisa acontecendo e desacontecendo, como se não bastasse os personagens em ação, esses dias teve o outro ex-do-passado-distante-e-longínquo-que-adoraríamos-ver-enterrado que ressuscitou, no palco do teatro do absurdo onde apresentou um monólogo com direito a todas as caretas que deve ter treinado à exaustão antes na frente do espelho. Ninguém merece. Os palavrões que disse fizeram a sessão ser proibida para menores de idade que não podem ver filmes de terror e sangue injetado nos olhos.

Acompanhar a política nacional nos últimos tempos virou mesmo um exaustivo exercício de paciência e de vergonha alheia – expressão que agora entendo mais do que nunca, em sua exatidão e plenitude impressionante do que é a capacidade humana de sempre nos surpreender e decepcionar. Ora é a presidente saudando a mandioca e dobrando a meta imaginária, o seu zero particular. Ora é um boquirroto que na verdade está mesmo tentando só salvar a sua própria pele – viu que o caldo está entornando – para tentar retomar glorioso daqui a alguns anos, assobiando e repetindo que não sabia, que errou, mas que isso não se repetirá.

Aí alguém lá em cima tem alguma ideia que acha de gênio e resolve soltá-la em balões: as da vez foram criar mais um imposto com nome pomposo e disfarce, além do corte dos longos cabelos da Esplanada dos Ministérios, mas só dez dedinhos; nada de navalhadas radicais. Daí? Daí nada. O imposto morreu, ainda bem, sufocado pela gritaria. E os cabelos? Ah, os cabelos continuam os mesmos – o que mudará será a voz
.
Desde o primeiro governo da presidente, escrevo sobre a estranheza que havia na sensação de que tínhamos duas pessoas no comando do país; uma ficava como sombra, fazendo negócios que estão sendo revelados só agora, dando ordens, orientando a manada. Era uma sombra, mas admitamos que, pelo que vemos acontecer nesse segundo governo, a sombra até era útil e funcionava. Alguma coisa não deu certo nessa relação, gastou – tanto que a sombra se afastou – e quando o nada foi iluminado novamente foi que percebemos que o buraco já estava muito mais em baixo. Canoa furada. Sem direção. Sem argumentos. Sem respostas.

chamandoE sem oposição também. Por falar em vergonha alheia, com a oposição que temos quem precisa de governo? Eles próprios se exterminam entre si, ou caindo do muro na lama, pelo lado errado, ou equilibrando-se em cima dele e rezando pela cartilha de algum profissional da fé e fiscal de costumes, mais sujos do que outro pau, o pau-de-galinheiro.

É uma novela. Acaba uma, começa a outra. Um novelo a desenrolar, e cada mês que passa – e estão passando – se torna mais surpreendente seu roteiro, seus vai-e-vem. Nossa própria resiliência e resignação.

Somos todos Chico.

São Paulo, vem setembro, vem setembro! 2015Brasileiros em katmanduMarli Gonçalves é jornalista A profissão que acaba levando a culpa pelo pau que publica.

********************************************************************
E-mails:
marli@brickmann.com.br
marligo@uol.com.br
POR FAVOR, SE REPUBLICAR
Amizade? Estou no Facebook.
Siga-me: @MarliGo

Genial. Se pudesse poria placas assim em todas as árvores de SP. #arvorenaoélixeira

20150611_151540

esquina da Manoel da Nóbrega com Alameda Santos, sp. Iniciativa para aplaudir.