Caramba! Olha essa: o advogado do goleiro Bruno afirma que usa crack e tenta se livrar de vício

Inédito, pelomenos que eu me lembred. Não  é que o homem gosta mesmo de ser diferente?

Jornal de Minas traz entrevista com aquele advogado bem doido, Ércio Quaresma.

Caso Bruno

Quaresma revela vício em crack

Advogado planeja lançar um livro, no ano que vem, sobre sua experiência

Publicado no Jornal OTEMPO 

TÂMARA TEIXEIRA

    Revelação. Ele diz que resolveu falar sobre o vício porque sabe da existência de um vídeo dele usando a droga

    O advogado do goleiro Bruno Fernandes, Ércio Quaresma, revelou ontem que é usuário de crack e faz tratamento para se livrar da dependência, há um ano e meio. Conforme o advogado, o vício começou há sete anos, com uso constante de maconha e cocaína. Atualmente, ele toma remédios diariamente e faz viagens mensais a São Paulo para se tratar.

    A experiência de Quaresma vai virar um livro que deverá ser lançado no ano que vem, com o título “Bico na lata: a difícil luta contra o vício do crack”. A publicação, diz o polêmico advogado, está sendo escrita em parceria com o seu psiquiatra Ronaldo Laranjeira. “Ele vai fazer uma leitura do tratamento e eu como paciente”, conta. 

    O advogado contou que sua família sempre soube da dependência. “Minha mulher é uma das pessoas que mais me apóia. Ela e meus filhos me motivam a ficar bem. Esse não é um problema só meu. Isso não depende de classe social”, contou. A dependência do defensor foi revelada, primeiramente, pelo jornal carioca “O Dia”.

    O defensor contou que resolveu falar sobre o vício porque sabe da existência de um vídeo em que ele aparece fumando crack na favela da Ventosa, região Oeste da capital.

    Sono. Quaresma explicou ainda que sua sonolência excessiva – que já o fez dormir várias vezes em audiências sobre o crime contra Eliza Samudio – é um efeito colateral dos remédios. Na última semana, a juíza Marixa Rodrigues chamou a atenção do advogado, que roncou durante a sessão.

    Minientrevista com Ércio Quaresma

    É verdade que o senhor é viciado em crack?
    Eu sou dependente químico de crack há sete anos. Comecei a fumar em 2003. Mas estou me tratando há um ano e meio e estou muito bem. Isso não atrapalha o meu trabalho ou a minha capacidade de defender meus clientes.

    Como é esse tratamento?
    Estou tomando remédio todos os dias. Além disso, uma vez por mês vou a São Paulo para me tratar com um dos melhores psiquiatras e especialista em dependência química do Brasil.

    O senhor já era usuário de drogas antes de começar a usar crack?
    Eu fumava maconha e usava cocaína. Mas não era um viciado que come cocaína com arroz e feijão no almoço. Cheirava quando estava em alguma festa, em alguma balada com os amigos.
    Por que o senhor decidiu revelar essa informação agora?
    Tive notícias de que há um vídeo meu fumando crack na favela da Ventosa (BH). Escutei que alguém está tentando vender esse vídeo para a imprensa. Por isso, decidi tocar no assunto. A hora que o vídeo surgir não vai ter mais graça.

    O senhor se lembra do dia em que esse vídeo teria sido feito?
    Do jeito que a coisa acontece, quando estou doidão, não me lembro, mas não duvido que ele tenha sido feito em uma recaída que tive no ano passado.

    Os seus clientes sabem do seu vício?
    Sabem e não se incomodam com isso.

    Fonte: http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=155983,OTE