PAÍS/MUNDO/MORAL IMBECIL, TUDO PIORANDO NA NOSSA FUÇA! AGORA CENSURARAM O GAL OPPIDO NO INSTAGRAM.

proteste!

protesto!

Vejam a comunicação original do Gal!

 

  • Gal OppidoPEDIDO DE COMUNICAÇÃO : minha conta no INSTAGRAM foi censurada e excluída cortanto meu vínculo com quase 5000 seguidores que até poucas horas tinham acesso a mais de 10.000
    imagens postadas ,portanto solicito a quem possa informar do encerramento desta conta que foi motivo de ilustração ,através das imagens postadas ,do caderno Aliás do Estadão em duas ocasiões ,revelando desta forma explicíta o interesse de uma midía de grande penetração no conteúdo e forma das imagens postadas.

Viu o artigo do Chico Buarque defendendo a CENSURA? (é esse o nome que se dá a proibições). E a resposta de O GLOBO

Chico publicou hoje em O GLOBO. Em seguida, a resposta do jornal

—————————————————————————————————————————-

 

d_D90FPenso eu

Chico Buarque

Cantor, compositor e escritor

Pensei que o Roberto Carlos tivesse o direito de preservar sua vida pessoal. Parece que não

Pensei que o Roberto Carlos tivesse o direito de preservar sua vida pessoal. Parece que não. Também me disseram que sua biografia é a sincera homenagem de um fã. Lamento pelo autor, que diz ter empenhado 15 anos de sua vida em pesquisas e entrevistas com não sei quantas pessoas, inclusive eu. Só que ele nunca me entrevistou.

O texto de Mário Magalhães sobre o assunto das biografias me sensibilizou. Penso apenas que ele forçou a mão ao sugerir que a lei vigente protege torturadores, assassinos e bandidos em geral. Ele dá como exemplo o Cabo Anselmo, de quem no entanto já foi publicada uma biografia. A história de Consuelo, mulher e vítima do Cabo Anselmo, também está num livro escrito pelo próprio irmão. Por outro lado, graças à lei que a associação de editores quer modificar, Gloria Perez conseguiu recolher das livrarias rapidamente o livro do assassino de sua filha. Da excelente biografia de Carlos Marighella, por Mário Magalhães, ninguém pode dizer que é chapa-branca. Se fosse infamante ou mentirosa, ou mesmo se trouxesse na capa uma imagem degradante do Marighella, poderia ser igualmente embargada, como aliás acontece em qualquer lugar do mundo. Como Mário Magalhães, sou autor da Companhia das Letras e ainda me considero amigo do seu editor Luiz Schwarcz. Mas também estive perto do Garrincha, conheci algumas de suas filhas em Roma. Li que os herdeiros do Garrincha conseguiram uma alta indenização da Companhia das Letras. Não sei quanto foi, mas acho justo.

O biógrafo de Roberto Carlos escreveu anteriormente um livro chamado “Eu não sou cachorro não”. A fim de divulgar seu lançamento, um repórter do “Jornal do Brasil” me procurou para repercutir, como se diz, uma declaração a mim atribuída. Eu teria criticado Caetano e Gil, então no exílio, por denegrirem a imagem do país no exterior. Era impossível eu ter feito tal declaração. O repórter do “JB”, que era também prefaciador do livro, disse que a matéria fora colhida no jornal “Última Hora”, numa edição de 1971. Procurei saber, e a declaração tinha sido de fato publicada numa coluna chamada Escrache. As fontes do biógrafo e pesquisador eram a “Última Hora”, na época ligada aos porões da ditadura, e uma coluna cafajeste chamada Escrache. Que eu fizesse tal declaração, em pleno governo Médici, em entrevista exclusiva para tal coluna de tal jornal, talvez merecesse ser visto com alguma reserva pelo biógrafo e pesquisador. Talvez ele pudesse me consultar a respeito previamente e tirar suas conclusões. Mas só me procuraram quando o livro estava lançado. Se eu processasse o autor e mandasse recolher o livro, diriam que minha honra tem um preço e que virei censor.

Nos anos 70 a TV Globo me proibiu. Foi além da Censura, proibiu por conta própria imagens minhas e qualquer menção ao meu nome. Amanhã a TV Globo pode querer me homenagear. Buscará nos arquivos as minhas imagens mais bonitas. Escolherá as melhores cantoras para cantar minhas músicas. Vai precisar da minha autorização. Se eu não der, serei eu o censor.

deskRESPOSTA DE O GLOBO

Pingo nos iis

O Globo

 

COMO SEMPRE, é o debate que ajuda a formar e qualificar opiniões.

ACONTECE AGORA na polêmica sobre as biografias. E nela, coerentes com a defesa da liberdade de expressão no sentido mais amplo, como estabelece a Constituição, somos a favor do direito de o biógrafo exercer seu trabalho, sem qualquer tipo de censura prévia. Assim como do direito do biografado de apelar à Justiça em busca de qualquer reparo.

LAMENTE-SE, apenas que, nesta saudável discussão, alguns tentem constranger O GLOBO com alusões descabidas.

Mais uma do (IN) Feliciano! Agora quer censurar. Agora é que nós vamos divulgar o vídeo do Porta dos Fundos, otário!

Marco Feliciano faz campanha para retirar vídeo do Porta dos Fundos do ar

DO UOL

O deputado federal Marco Feliciano usou sua conta no Twitter para iniciar uma campanha contra um vídeo do coletivo de humor Porta dos Fundos.

Publicado nesta segunda (19), o vídeo “Oh, Meu Deus!” mostra a atriz e cantora Clarice Falcão interpretando uma mulher que vai ao ginecologista e lá descobrem uma imagem de Jesus Cristo em sua vagina.

Incomodado com o conteúdo do vídeo, o pastor evangélico escreveu no microblog “Assim caminha a humanidade… Vídeo podre! Ajudem a denunciar para retira-lo do ar —>” e reproduziu o link do vídeo.

Até o momento da publicação deste texto, o post de Feliciano já havia sido retuitado 249 vezes. O vídeo do Porta dos Fundos já foi visto por mais de 283 mil pessoas.

Conhecido pelo humor politicamente incorreto, o Porta dos Fundos já havia abordado religião em vídeos como “Demônio”, “Deus” e “Confessionário”.

Viram? Bela tatuagem. Bom exemplo. E o Facebook censura.

Banida do Facebook, imagem de mulher tatuada se torna viral

Imagem de mulher tatuada depois de superar câncer de mama é removida do Facebook constantementeFoto: Reprodução de internet
 mulher tatuada depois de superar câncer de mama

Reprodução de internet

O GLOBO – RIO – A tatuagem no colo de uma mulher desenha um belo top, e foi postada pelo estúdio canadense Custom Tatoo Design no Facebook. Por trás do desenho, está a história de uma mulher que fez mastectomia dupla (ou seja, retirou totalmente os dois seios) por conta de um câncer de mama. A foto, porém, foi banida da rede social por violar a política do site, que não autoriza nudez em suas páginas.

Mais, em O GLOBO
 

ARTIGO – Nossas censuras particulares, por Marli Gonçalves

chippyTanta coisa que não podemos de jeito nenhum dizer ou pensar em voz alta! Nem escrever! Eu, essencialmente, como jornalista. Você, talvez até como amigo ou amiga, pai ou mãe, profissional disso ou daquilo. Todo mundo tem uma censura particular – o “se faz de bobo para continuar vivendo”. Então, mordemos a língua, falamos cifrado, tentamos induzir que as pessoas percebam sozinhas, usamos entrelinhas, ou guardamos como segredos a sete chaves, lá, junto com os nossos próprios, os que admitimos

É a hora em que todo mundo, essencialmente, também, senta em cima do rabo. Pronto, falei! Afinal quem não oculta alguma coisa bem pessoal, lá no seu recôndito, e que, por mais boba que seja, não quer que se saiba?

Nesta semana me diverti muito lendo o noticiário político, não por causa dos execráveis acontecimentos, operações de portos seguros e corruptos, mas porque estava acompanhando os verdadeiros malabarismos linguísticos utilizados na imprensa para descrever a ligação da ex-chefe do escritório da presidência, Rosemary Nóvoa Noronha, com o também ex-presidente Lula. (Tem mesmo muito ex mandando nesse país). Nome conhecido de quem transita na política, mas que poucos ousavam falar alto, Rose caiu; virou de vez a Geni da vez. Mas sempre com uma névoa, para fazer trocadilho com o nome; ou com uma nódoa, como lembrou uma amiga. Até o momento que escrevo, uma relação citada sempre indiretamente – não surgiu prova, fato, foto, vestido azul, charuto, batom na cueca ou fio de bigode na calcinha. O famoso é porque é. Ou é porque deveria ser. Só pode ser.

Mais uma vez, neste escândalo, percebemos as várias formas de dizer as coisas. Vou citar algumas das expressões e descrições que li, de cabeça: relacionamento íntimo, era muito próxima, “falava ao ouvido”, o conhecia muito, privava da confiança, “a mulher de Lula”, viajava sem estar na lista oficial, Dona Marisa nunca ia junto nessas ocasiões, Dona Marisa não gosta dela, “Marquesa de Santos”, etc. e daí para pior quando o texto está em algum blog radical ou comentário anônimo. Até literatura de cordel apareceu.

Essa tal liberdade de imprensa tem ressalvas, e quem tem, tem medo. Ninguém quer , e nem pode arcar, com certos ônus, e aí passa a trabalhar com a indução do pensamento humano que, ao mesmo tempo, é meio lerdo e a ficha demora a cair. Daí, em uma semana ter havido o recrudescimento e muita criatividade nas descrições do caso que pode levar Lula na corredeira, não pelos sentimentos, mas por onde isso tudo pode ter escorrido e escoado.Nicolas-Sassoon-FOG_title

Voltando às nossas censuras particulares – mais dentro do ponto onde quero chegar porque não aguento mais falar dessa política rastaquera sem oposição confiável – as divido em públicas e privadas. As que você se auto-censura, para não perder o emprego ou o amigo, por exemplo. E as que são exatamente as características que podem nos fazer tão diferentes uns dos outros, entre elas incluindo as sexuais. Conheço gente que não consegue reconhecer algo, seja preferências ou taras, nem em si próprio, o que deve ser terrivelmente solitário, porque aí precisa viver duas vidas. Alguns casos levando ao suicídio, duas pessoas tão diferentes que não conseguem conviver no mesmo corpo, e um lado tenta matar o outro. Mais complexo que dupla personalidade, bipolaridade.

figure_prohibit_stop_md_wmHá quem, fora amores e amantes, não tema nada e se jogue das formas mais
radicais em tudo. Daí, alguns gênios ousados; escritores de sucesso. Ex-donas de casa suburbanas hoje milionárias em 50 tons de cinza e sagas de bruxinhos.

Precisa não ter censura. Não parar. Gostar de uma aventura radical, ir fundo. E, claro, ter alguém insuflando ou apoiando, dando poder.

Mas quem está preparado? Eu não. Pelo menos ainda não.

São Paulo, conversinhas de alcova, 2012

Marli Gonçalves é jornalista– Gostaria de escrever um livro erótico, que é o que parece que ainda é o único assunto que vende, prende a atenção e dá o que falar

120px-Prohibition_of_photographing

 

 

************************************************************
E-mails:

marli@brickmann.com.br
marligo@uol.com.br

ATENÇÃO: Por favor, ao reproduzir esse texto, não deixe de citar os e-mails de contato, e os sites onde são publicados originalmente http://www.brickmann.com.br e no https://marligo.wordpress.com

#contra a censura. Alguém pode explicar uma decisão judicial dessas?

Censura prévia

A censura no palanque: o TRE proibiu candidatos a vereador pelo DEM de Salvador de citar o mensalão e elogiar o ministro Joaquim Barbosa.

fonte: coluna claudio humberto

Facebook considera que mãe amamentando é obsceno. Chilena tem conta cancelada.Êêêê…

Chilena é expulsa do Facebook por postar foto amamentando

Leslie Power, de 37 anos, recebeu um aviso da companhia comunicando que sua conta tinha sido fechada por publicar foto considerada ofensiva
 do site da Exame

 http://exame.abril.com.br/tecnologia/facebook/noticias/chilena-e-expulsa-do-facebook-por-postar-foto-amamentando

FacebookMark Zuckerberg, criador e presidente do Facebook: censura no Chile

Santiago – Uma psicóloga chilena denunciou nesta quarta-feira que o Facebook fechou sua conta por considerar “obscena” uma foto publicada em seu perfil, na qual aparecia amamentando seu filho de três meses.

Leslie Power, uma especialista em desenvolvimento infantil de 37 anos, explicou à Agência Efe que em 31 de janeiro recebeu um aviso da companhia comunicando que sua conta tinha sido fechada por ter publicado uma foto que “atenta contra pessoas”.

“O Facebook me informou que protege seu território de imagens obscenas”, indicou Power, que escreveu uma mensagem aos administradores da rede social para pedir mais explicações, embora até agora não tenha recebido nenhuma resposta.

A psicóloga apontou que outras mulheres foram “censuradas” na rede social por mostrar fotos parecidas à sua, o que o faz pensar que o “Facebook tem algum tipo de preconceito com as fotos de mulheres que amamentam”.

“A censura é dizer que minha foto atenta ou é uma obscenidade é uma completa ignorância”, garantiu Power.

A mulher denunciou que o fechamento da conta afetou sua situação laboral, já que utilizava Facebook como plataforma profissional.

“Muitas mulheres e profissionais fazem suas consultas por meio do Facebook, e agora também não posso publicar artigos ou projetos”, lamentou a psicóloga. Garantiu que espera uma resposta da companhia para levar o caso à justiça.

“Espero que me escutem e vejam que amamentar um filho não é um ato obsceno”, acrescentou. EFE

O Irã está surtando. Proibiu Paulo Coelho e o Dia dos Namorados!

Primeiro, o Estadão veio com a notícia que o Irã proibiu o Paulo Coelho.

Agora li que também proibiram as cmemorações do Valentine`s Day, dia 14 de fevereiro.

Estão jogando pedras neles mesmos!

do estadão:

Irã proíbe livros de Paulo Coelho

Autor foi avisado por editor no país persa; motivo da censura não foi especificado

10 de janeiro de 2011 | Estadão.com.br

 O escritor Paulo Coelho foi informado por seu editor no Irã, Arash Hejazi, que a publicação de seus livros foi proibida no país persa pelo Ministério da Cultura e das Diretrizes Islâmicas, segundo informações publicadas nos blog do autor.

Paulo Coelho disse contar com o governo brasileiro para resolver o caso, o que considerou como “um mal-entendido”. “Espero que o Itamaraty e a ministra da Cultura, Ana de Hollanda, não se omitam em relação a essa medida arbitrária pois, caso contrário, estarão assinando embaixo”, disse o escritor ao Estado. “Não sei se a decisão passou pela cúpula do governo iraniano, ou seja, se foi apenas uma medida do Ministério da Cultura.”

A ministra lamentou a proibição da circulação da obra do escritor e disse que procuraria ainda nesta segunda-feira o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, para pedir mais informações sobre o caso.

Coelho conta que jamais, em seus livros, fez alguma ofensa ao islamismo. “Minha obra é publicada no Irã desde 1998, já vendeu milhares de exemplares e, em 2000, eu estive naquele país, sendo esperado por aproximadamente 5 mil pessoas no aeroporto”, disse ele.

O escritor suspeita de um fator que pode ter sido a origem da censura. “Em 2009, eu ajudei Hejazi a deixar o Irã logo depois das eleições”, conta. “O mais surreal é que até as edições piratas estão vetadas. Não sei como vão controlar isso.”

O aviso do editor iraniano chegou por email ao autor. Na mensagem, Hejazi diz que foi “informado pelo Ministério que todos os livros foram proibidos, inclusive as versões não autorizadas publicadas por outras editoras” e que “todos os livros que têm o nome Paulo Coelho não estão mais autorizados a serem publicados no Irã”.

O escritor estima ter vendido mais de 6 milhões de livros na República Islâmica. O editor iraniano sugeriu a disponibilização da obra na internet para download, e o brasileiro aceitou.

Em 2005, o governo iraniano já havia banido o livro O Zahir. Os exemplares da obra de Coelho foram levados por agentes do governo da Feira do Livro de Teerã. Na época, Hejazi disse que “o Ministério da Cultura estava extremamente preocupado com o aumento da popularidade de Paulo Coelho”.

O Código Da Vinci, de Dan Brown, e Memória de Minhas Putas Tristes, de Gabriel García Márquez também estão na lista de livros proibidos pelo Ministério da Cultura iraniano.

Paulo Coelho faz sucesso no exterior e tem pelo menos 300 milhões de livros vendidos em mais de 150 países. Ele foi o primeiro escritor não muçulmano a visitar o Irã após a Revolução Islâmica de 1979, de acordo com o site da Academia Brasileira de Letras, onde ocupa a cadeira 21. (Colaborou Ubiratan Brasil)

Artigo: Política-mente, correto?

 

A política mente por todos os poros, nas nossas fuças. Além de se intrometer e interferir em nossas vidas, sonhos e projetos. E mesmo assim ainda tem gente que não entende que política de verdade é o nosso próprio viver. Apesar deles

Vocês também pensaram que depois das eleições as coisas iam ficar mais divertidas, produtivas, e que o pior já teria passado? (E, inclusive, chegado ao Poder?) Engano. Os últimos dias foram ainda mais recheados de grandes abóboras, erros primários, conversas jogadas fora e especulações sem pé nem cabeça. As trapalhadas nos exames somaram-se à inabilidade inacreditável dos atuais motoristas do país Brasil, e o que é pior, dos futuros, também – já que a cada dia a esperança da chegada de cabeças bem pensantes se esvai no ralo incomum. Cada explicação mais fajuta do que a outra, esquecida logo depois. Cada ato logo seguido de um desato ou desatino. Mentiras oficiais de calça e perna curta embuchadas nas nossas gargantas.Tem dias que “eles” todos penetram até nos nossos sonhos, transformando-os em pesadelos. Pois bem, então .

O vice-presidente José Alencar, quase 80 anos, internado há dias, com luta contra o câncer há anos, mais de 15 cirurgias, tem um infarto agudo do miocárdio. A nota diz que ele não corre risco de morte. Um mineiro imortal, finalmente.

No jornal que se dizia de oposição, ops, imparcial, a matéria de capa: “Com Dilma nas nuvens”, sobre o voo da presidente eleita em primeira classe para a Coreia do Sul. Você leu aquilo? Não? Ah, que pena! Ficou sem saber que a nossa presidente também baba enquanto dorme, come frugalmente, usa pijaminha e chinelinhos coloridos que a maravilhosa companhia aérea fornece, e lê, lê muito. Anda com três livros na malinha, essa nova intelectual. E com o moderno IPAD para continuar lendo. Meu Deus! Que capacidade! Temo que ficaremos com nossa governante despachando de dentro das bibliotecas. Fora outros detalhes.

Ah, você não sabia. Não adianta negar que só soube agora. A nossa presidente, depois de eleita, “deixou” que fôssemos informados de algo fundamental: tem mãe. E mãe viva, daquelas, mineiríssima, inclusive bem falante, apessoada, classe média da Savassi, articulada, e… religiosa! Dilma Jane. E uma tia. Não parece estranho que só apareça agora alguéns que poderiam ter tranquilamente acabado com todos os “boatos” equivocados e “aleivosias” contra ela lançadas na campanha, conforme amplamente falado?

Enquanto isso, o ministro da Educação piscava os olhos claros, arrebitava o nariz e abria as asas sobre os INEPtos   de sua pasta, cometendo erros ano após ano nos exames vestibulares. Desculpe aí, hein? Mas será mesmo que não tinha um único filho de Deus que pudesse ter revisado as provas na gráfica? Ô coitados!  

Como? Estavam ocupados analisando e tentando censurar a obra de Monteiro Lobato? Está brincando! Verdade? Como é? Querem colocar notas explicativas para dizer que a carne preta de Tia Nastácia é afro-descendente? Para que as crianças não virem racistas imediatamente após a tal perigosa leitura das “Caçadas de Pedrinho”  ?  

Vou falar baixinho porque, senão, grito. Muito do que aprendi na infância colhi ali nas obras de Monteiro Lobato, incluindo noções de Português e Aritmética, o respeito aos povos, a capacidade de sonhar, a importância da família, o respeito com todos, o carinho com os animais e a luta contra injustiças de toda a sorte, além de um enorme amor pela pátria. De crianças, as porcas torcem o rabo, com o Marquês de Rabicó, o Visconde de Sabugosa, a doida Emília, Narizinho, Pedrinho, a miríade de personagens. Ainda muito pequena apontava aos meus pais (e outros) quando muitas vezes estes eram racistas, ou não entendiam a igualdade entre as pessoas. Será que eu deveria ter sido proibida de ler? Será que foi por causa disso que virei subversiva e de esquerda durante a ditadura? Que perigo! Devia ter lido só “As princesas também soltam Pum”, mas esta bobagem ainda não havia sido escrita à época.

De saco cheio desse politicamente correto que anda por aí, conclamo todos a esconderem, enquanto há tempo, os seus exemplares de “Reinações de Narizinho”. Eles, os pentelhos do politicamente correto, podem achar que o livro está fazendo apologia às drogas e ao delírio das viagens. E o que é pior, influindo na formação de mulheres insatisfeitas. Mulheres que jamais terão príncipes, muito menos reinos de águas claras. E jamais terão, ainda, aquele vestido tecido pela Dona Aranha   (forte incentivo ao homossexualismo?): um vestido da cor do mar, com todos os seus peixinhos. Tecido pela fada Miragem, cortado com a tesoura da Imaginação, cosido com a agulha da Fantasia, usando a linha do Sonho. 

Feito de cor – e cor do mar! Em vez de enfeites conhecidos – rendas, entremeios, fitas, bordados, plissês ou vidrilhos, era enfeitado com peixinhos do mar. Não de alguns peixinhos só, mas de todos os peixinhos – os vermelhos, os azuis, os dourados, os de escamas furta-cor, os compridinhos, os roliços como bolas, os achatados, os de cauda bicudinha, os de olhos que parecem pedras preciosas, os de longos fios de barba movediços – todos, todos”. O vestido “não parava um só instante” de faiscar e brilhar, e piscar e furtar-cor, porque os peixinhos não paravam de nadar nele, “descrevendo as mais caprichosas curvas por entre as algas boiantes”.

Muito louco esse Lobato, hein? E como diria a Narizinho aos desgovernados que nos governam: “Calem-se! Ou os peixinhos podem se assustar e sair correndo!”   

São Paulo, reino das águas turvas e, por incrível que pareça, em 2010         

• (*) Marli Gonçalves é jornalista . Cor predileta: furta-cor, e cor do crepúsculo. Estou como você: precisando ter ideias maravilhosas para sobreviver corretamente.

 

 


***

 

 

 

Vem voar comigo, igual passarinho, pela internet, onde quiser, pelo Twitter, Facebook, blog, feitos com muito esforço para ficarmos juntos mais tempo: Todo dia tem novidades, defesa dos nossos direitos, gracinhas e broncas. Inscreva-se para receber os avisos de posts novos. Entre, participe, fique à vontade. Sinta-se em casa. Divirta-se. Visite o meu blog Tenho Twitter e estou sempre em campanha por mais seguidores e amigos. Vem? Siga-me! O passarinho canta. É divertido. O endereço é “www.twitter.com/MarliGo    
***
E-mails:    
marli@brickmann.com.br
marligo@uol.com.br
***
 
 

ATENÇÃO: Por favor, ao reproduzir esse texto, não deixe de citar os e-mails de contato, e os sites onde são publicados originalmente, http://www.brickmann.com.br e no http://marligo. wordpress.com
***
Aqui você encontra todos os artigos anteriores:www.brickmann.com.br
***

 

 REPETINDO!

 

                                                                     Marli Gonçalves

 

  A política mente por todos os poros, nas nossas fuças. Além de se intrometer e interferir em nossas vidas, sonhos e projetos. E mesmo assim ainda tem gente que não entende que política de verdade é o nosso próprio viver. Apesar deles.

Olha a censura aí, gente! Vinda de lugares dos quais não se espera nada. E nada de bom vem. OAB pedindo censura para a obra de Gil Vicente, não!NÃO PODE!

OAB-SP pede veto a quadros que mostram artista atacando FHC e Lula

Série ‘Inimigos’, do pernambucano Gil Vicente, estará na 29ª Bienal de SP.
Ordem diz que obras fazem ‘apologia ao crime’ e pede que sejam proibidas.

Do G1, em São Paulo -www.g1.com.br

Site de Gil Vicente traz quadro da série ‘Inimigos’ em
que o artista corta a garganta do presidente Lula

Revista Não Lugar, Série Inimigos, páginas 52 a 61Autorretrato matando Ahmadinejad, 2010, carvão sobre papel, 200 x150 cm

Revista Não Lugar, Série Inimigos, páginas 52 a 61Autorretrato matando Ahmadinejad, 2010, carvão sobre papel, 200 x150 cm

 

Algumas das obras, segundo a nota da OAB-SP, retratam “o autor atirando contra a cabeça do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso” e “de posse de uma faca, degolando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva”.

Políticos e personalidades públicas como o papa Bento XVI, o presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad, o premiê israelense Ariel Sharon e a rainha Elizabeth II também aparecem sob a mira do artista em outros quadros da série “Inimigos”.

Para a OAB-SP, Gil Vicente faz “apologia ao crime”, e “uma obra de arte embora livremente e sem limites expresse a criatividade do seu autor, deve ter determinados limites para sua exposição pública”.

Série Inimigos, 2005. Documento NAVE, 2009, apresentação virtual. Exposições,

 

 

 

A seção de São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP) divulgou nesta sexta-feira (17) um comunicado em que pede a exclusão da série “Inimigos”, do artista plástico pernambucano Gil Vicente, da próxima Bienal de São Paulo.