ARTIGO – Me abana? Por Marli Gonçalves

graphics-fan-964637Esta semana arrasei. Cada dia da semana postei no Facebook uma foto “selfie”, posando com um dos leques de minha modestinha coleção. Tão modesta que já mostrei toda ela, em poucos dias. Foi um sucesso, com um monte de “curti”, fiufiu, elogios. Já estou até pensando o que vou aprontar agora, mas o problema é que não gosto muito de usar roupa; sangue de índio. Uma parte do corpo por dia? Posso mostrar? E se me censuram? O negócio está preto, não pode facilitargraphics-fan-122807

Está tudo muito seco, opressivo, quente, e a gente precisa de um ventinho. Então eu me abano com os meus leques mesmo, que ventilador e ar condicionado gastam energia e energia é dinheiro. O calor de um verão não aproveitado, no entanto, frita os miolos, tira forças e até pensar fica difícil, imaginem escrever. Mas estou apenas disfarçando para entrar no assunto que quero expor, sério, uma vez que não sei receita de bolo: a censura que nos ronda, sopra um hálito quente aqui, ali. Na nossa nuca. Como diz um amigo, um dia censuraram X e eu não fiz nada; no outro, Y e eu não fiz nada; depois fui eu e eu não tinha a quem recorrer, parafraseando Martin Niemöller.

Todo santo dia ficamos sabendo de alguém punido e banido pelos controladores das redes sociais. Essa semana foi o genial fotógrafo Gal Oppido a vítima. A conta dele no Instagram, com milhares de seguidores e onde ele diariamente posta verdadeiras obras de arte, fez puff! Sumiu, sem explicações. Provavelmente, desconfio, por causa de “alguém” (covardes nunca se apresentam) não gostou de algum pedaço de pele negra que viu de um dançarino maravilhoso que ele coincidentemente fotografava para um trabalho especial dele. A gritaria foi geral e a conta voltou.

graphics-fan-141829Só que não é só na rede que a tesourinha anda cortando, editando. Não é que o Ministério alterou a classificação do pueril Confissões de Adolescente de 12 para 14 anos? Não é que esses pastores políticos de quinta categoria toda hora vociferam contra alguma charge, piada, filme, cena de tevê, e ameaçando jogar hordas moralistas babando em cima de nossas canelas?

Sou do tempo da ditadura. Cresci sob sua égide, sem poder ler o que queria nem falar tudo o que pensava, nem fazer o que queria. Cresci aprendendo a olhar para os lados, sabendo que tudo estava sendo registrado, mesmo que mal e porcamente, tanto que hoje os arquivos desapareceram, por aqueles homens que nos cercavam, sempre em seus ternos baratos, listrados, óculos escuros, e que mais pareciam bandidos que tiras. Com 15 anos um dia vi um ônibus chegando e levando embora quase uma centena de amigos roqueiros presos. Lembro apenas de ter agradecido a Deus esses minutos que me atrasei – eles ainda teriam de me explicar, menor de idade que era. E já bastava o corre-corre: um deles estava com uns 50 ácidos e não teve dúvida: jogou na boca dos amigos o mais rápido que pode. O resultado foi certamente uma das prisões mais engraçadas daqueles tempos negros, já que todos começaram a “viajar” ao mesmo tempo. Apenas um jornal fez esse registro – a foto desse bando de malucos – imagem que guardo na memória – esse lugar ainda indevassável, nosso mais valioso cofre.graphics-fan-886453

“Eles”, os inimigos, também tentavam outros disfarces: casais namorando no muro, mendigos, sempre perto das janelas para gravar as conversas. Mas, enfim, ainda disfarçavam.

Agora não. O tiro é direto. Cortam – às vezes a gente nem fica sabendo, porque o que os olhos não veem o coração não sente. O que pretendem?

Teimam em nos ensinar. Querem voltar as nossas cabeças para que vejamos apenas um lado, que ainda explicam, como se fôssemos todos uns imbecis de marca maior como se falava antigamente. Lembram aquelas cenas de filmes “eróticos” que o cara falta arrancar a cabeça da mulher, empurrando, para obrigá-la ao sexo oral.Creature_on_fan

O jornalismo, pobre jornalismo, editorializado. Para um lado, para outro. As cenas do cinema nacional, o que um crítico apontou outro dia, são chatas porque são expressas- ele andou até ali, viu? Pegou o copo. Bebeu. Caiu. Era veneno (e faltam mostrar aquele caveirinha com os ossos cruzados para terem certeza se você entendeu). Criam assim gerações de autômatos, preguiçosos, jovens de olhar vazio, como alguns que tenho encontrado. Como os que estão nas ruas sem saber para o quê.

Deixem-nos em paz. Deixem-nos pensar, formar opinião. Sem cabresto. Estamos em outros tempos e devíamos estar construindo uma moral, sim, mas mais aberta e condizente.

Deixem os pensamentos serem ventilados. Com eles não dá para usar leques.

São Paulo, fevereiro 2014, e peitos e bundas aflorarão logo mais de todos os cantos. Fan-03-june

Marli Gonçalves é jornalista Vou posar só de leque. Acho chique demais. Já aprendi a abri-los como o fazem as espanholas, com aquele barulhinho. E vou torcer para que as tevês contratem moças para cameraman. Aí talvez a gente possa ver que nas escolas de samba também passam corpos masculinos dignos de escultura. Isto é: se elas não forem censuradas, claro! graphics-fan-915599

********************************************************************
E-mails:
marli@brickmann.com.br
marligo@uol.com.br

Tenho um blog, Marli Gonçalves, divertido e informante ao mesmo tempo, no https://marligo.wordpress.com. Estou no Facebook. E no Twitter @Marligo

Domingos Pellegrini faz bela constatação. Chama de “Procuramos Esconder” o tal instituto daquela outra, insuportável, que juntou artistas pela censura. #desgosto

nota de Lauro Jardim- coluna radar – veja online

Leminski libertário

Leminkski: família quer censurar

Censura de família

Depois de receber um não da família de Paulo Leminski à publicação do seu Passeando por Paulo Leminski (O Bandido que Sabia Latim, de Toninho Vaz, também foi vetado), e disponibilizar o livro na internet, Domingos Pellegrini, dono de dois prêmios Jabuti, tem uma sugestão:

– O Procure Saber deveria se chamar “Procuramos Esconder”. Leminski tinha um espírito libertário. Ele seria a favor da liberdade às biografias e contra uma biografia que o mostrasse muito certinho.

Por Lauro Jardim

Caetano! Gil! Milton! Vê se cai logo a ficha! Voltem para a razão! Olhem com quem estão “andando”

MEU CEREBRO SAIU ANDANDOCongresso

A “bancada” do Procure Saber

Caetano e Gil: ao lado de Feliciano e Maluf

Caetano e Gil: ao lado de Feliciano e Maluf

O Procure Saber, grupo de músicos que defende a censura prévia de biografias não-autorizadas, tem pelo menos 71 deputados que concordam com suas teses.

Este é o número de parlamentares que protocolou em abril um recurso paralisando a tramitação do projeto de lei 393/2011. A proposta altera o Código Civil e garante o fim da censura às biografias.

Eis alguns exemplos de quem está ao lado de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Chico Buarque & Cia no Câmara: Anthony Garotinho, Jair Bolsonaro, Marco Feliciano, Paulo Maluf e Tiririca.

FONTE > – COLUNA RADAR – VEJA ONLINE – Por Lauro Jardim

worm-3_e0já leu meu artigo sobre esse assunto?

está aqui: VIDAS MOLHADAS

Manifesto da filha de Adoniran Barbosa, Maria Helena, a favor das biografias livres

Fonte: Facebook de Maria Helena RR de Sousa
graphics-books-449555

Sou filha de Adoniran Barbosa, compositor paulista. Há 8 biografias dele na praça e um belo livro que homenageia São Paulo e ele.graphics-books-132317Não sei se esses livros ainda são encontrados ou se estão fora de catálogo. Sei que conversei, sim, com alguns dos editores e escritores, respondi perguntas e emprestei ou cedi fotografias.

Mas nunca dei pitaco sobre textos. Nunca. Nem tinha que dar.

Concordo inteiramente com o Alceu Valença.

Não é possível que depois de tentar arrebentar com os músicos deste Brasil que se diz tão musical, ainda venha o mesmo grupelho tentar arrebentar com nossos escritores.

Temos Leis. E boas leis. Basta ficar atento e reagir se houver abusos e calúnias.

Eu estou com vergonha, por exemplo, pelo Chico Buarque. Decepção e vergonha. Ele quer biografias previamente censuradas! Pode dar qualquer outro nome, mas é isso que serão.

Será que ele não vê que isso é muito pior? Que dará margem que o leitor imagine o diabo? Em vez de se valer de uma biografia séria, as pessoas passarão a acreditar e repetir o que ouvirem de taxistas, garçons, porteiros, seguranças, etc. etc.

E a memória oral, por ser mais apimentada, é a que vai ficar valendo…

#contra a censura.”Eu gosto de vagina”: essa camiseta faria sucesso aqui. Mas proibiram a garota de usar, nos EUA.

Garota bissexual é impedida de assistir aula por usar camiseta “eu gosto de vagina” nos EUA

FONTE: Do UOL, em São Paulo
  • Reprodução/New York Daily News

  • Garota bissexual é proibida de assistir aula por usar camiseta "eu gosto de vagina"Garota bissexual é proibida de assistir aula por usar camiseta “eu gosto de vagina”

A estudante bissexual Brianna Demato foi impedida de assistir aulas na última terça-feira (2) por usar uma camiseta em que estava escrito “eu gosto de vaginas”. Os funcionários da escola Newton High School, em Nova York, teriam considerado a camiseta “muito distrativa”.

As informações são do jornal norte-americano New York Daily News. A jovem de 15 anos considera que seu direito de expressão foi violado pela escola. “É hipocrisia”, disse Brianna ao New York Daily News “Eles usam a palavra durante a aula. Por que eu não posso usá-la em uma camiseta?”

A jovem diz já ter usado a mesma camiseta outras vezes na escola e essa foi a primeira vez que houve problemas. Ela disse ter sido vista por um funcionário durante o horário de almoço no refeitório e foi pedido para que ela trocasse de camiseta ou fosse embora.

A mãe da garota, Cathy Demato, disse ao jornal Daily News que o ato foi discriminatório. “Ela não está machucando ninguém”, disse, “Ela pode usar a camiseta que quiser.”

Para o departamento de Educação municipal, o tipo de linguagem usado na camiseta é inapropriado para o ambiente escolar e pode causar conflitos

#contra a censura. Alguém pode explicar uma decisão judicial dessas?

Censura prévia

A censura no palanque: o TRE proibiu candidatos a vereador pelo DEM de Salvador de citar o mensalão e elogiar o ministro Joaquim Barbosa.

fonte: coluna claudio humberto