#ADEHOJE – OBVIEDADES DE BOLSONARO E O MINISTRO DESORIENTADO

#ADEHOJE – OBVIEDADES DE BOLSONARO E O MINISTRO DESORIENTADO

 

SÓ UM MINUTO – Bolsonaro declarou agora pela manhã que semana que vem enfrentará um tsunami, e ninguém sabe exatamente o que quis dizer com isso. Em um evento na Caixa, onde mais uma vez usou um termo – digamos, sexual – para falar sobre o “amor à primeira vista” com o presidente da instituição, o festival de obviedades ataca. Presidente afirmou que sua gestão enfrenta alguns problemas devido à forma como ele escolheu governar. Não nos diga!! Se é que há um governo que nos governa, e não uma loucura atrás da outra como a que estamos assistindo ainda inertes.

O Congresso já disse também que o decreto de armas é inconstitucional e deve ser derrubado, se é que ainda reta um mínimo de sanidade.

Semana que vem, quarta-feira, dia 15, tem manifestação grande do pessoal da educação, com greve. A situação da educação vai de mal a pior com esse ministro Weintraub maníaco que inventaram – caso claro de problemas com ele próprio, com a matemática e com a língua portuguesa. Quase 3500 bolsas de pesquisa canceladas! O Brasil em marcha-a-ré.

 

#ADEHOJE – TRAGÉDIAS SE SUCEDEM NO PAÍS. LULA FICA LÁ.

#ADEHOJE – TRAGÉDIAS SE SUCEDEM NO PAÍS. LULA FICA LÁ.

 

Só um minuto – Mais um dia de tristezas nos cenário nacional. Passam de 300 os mortos na tragédia de Brumadinho, rompimento da barragem da Vale. E no Rio de Janeiro fortes chuvas na noite de ontem já causaram seis mortes. Foram desmoronamentos, deslizamentos, o horror que se espalhou por toda a cidade. Em São Paulo, os viadutos e pontes estão assustadores, todos com problemas graves, emendas, buracos, rachaduras. As cidades largadas à própria sorte. Para piorar, perdemos Carlos Fernando, um grande músico, vocalista do Nouvelle Cuisine. Ah, vocês já devem saber: o sitio de Atibaia rendeu mais doze anos e 11 meses de prisão para o Lula… A defesa deve recorrer.

 

#ADEHOJE, #ADODIA – COM HUMOR, MAS NÃO É BRINCADEIRA.

#ADEHOJE, #ADODIA – COM HUMOR, MAS NÃO É BRINCADEIRA.

 

Acho que é importante dar uma situada. Se faço esses vídeos usando humor, quero dizer que isso não é brincadeira, não. Tenho mais de 40 anos como jornalista, já vivi para ver que não se adoram ídolos de barro. Não é esquerda, não é direita; é a liberdade que temos e queremos de criticar, comentar, analisar os fatos que se passam em nossos dias. Juntos. Numa conversa, como se estivéssemos – e eu acredito que estamos – entre amigos. Uso o humor porque não há outro jeito de encarar nossas dificuldades, que não são poucas, inclusive para fazer esse trabalho, assim, de cara limpa, ao natural, da forma que dá. Falo de política, claro, mas especialmente falo de nossas vidas, de comportamento, da vontade que as coisas deem certo. O CONVITE É PARA QUE VOCÊ SE JUNTE A NÓS, CHAME MAIS AMIGOS, COMPARTILHE. TODO DIA, TE ESPERO AQUI.

#ADEHOJE, #ADODIA. COMUNICAÇÃO, IMPRENSA, LIBERDADE DE IMPRENSA. SABER. DEPOIS, CRITICAR, COMENTAR…

#ADEHOJE, #ADODIA. COMUNICAÇÃO, IMPRENSA, LIBERDADE DE IMPRENSA. SABER. DEPOIS, CRITICAR, COMENTAR, ANALISAR

 

Tenho ouvido muita gente reclamando que a imprensa está dando muito espaço ao dia a dia do presidente eleito, Jair Bolsonaro. Até entendo, porque dá uma enjoada. Mas é fundamental que saibamos tudo que fazem, pensam, fazem, pretendem. Nem que seja incluindo saber do pão com leite condensado, do banco, da praia, dos abraços e beijos aqui e ali. Se não soubermos, como vamos analisar, criticar, comentar? Papéis que serão muito mais importantes a partir de agora. Por isso, inclusive, estou aqui. Tá ok? Tá OK agora é o novo pretinho. O presidente fala toda vez que quer encerrar a conversa, percebeu?

 

#ADEHOJE, #ADODIA. Calma, pessoal!

#ADEHOJE, #ADODIA. Calma, pessoal!

 

 

Vamos parar para pensar nessas paixões políticas que podem virar logo uma enorme decepção, iguais às amorosas. Vamos com calma. O povo está muito agressivo. A gente escreve uma coisa e se entende outra, com comentários que chegam até a ser levianos. Imprensa, gente, é para olhar, criticar, não se coloca de lado algum.