#ADEHOJE – MINISTROS BRINCAM DE PODER.

 

#ADEHOJE – MINISTROS BRINCAM DE PODER.

 

 

SÓ UM MINUTOEscravos de Jó, jogavam caxangá, tira, põe, não deixa ficar! A última do ministro colombiano da educação, Ricardo Vélez Rodriguez é de deixar de cabelo sem pé. Uma sucessão de barbaridades: ele quer e mandou o MEC emitir comunicado para que as crianças se perfilem para cantar o hino, sejam fotografadas e filmadas sabe-se Deus para o quê – o que vã fazer de propaganda com isso. Mais: ainda deveriam repetir o slogan absurdo para um país laico, proposto pelo Governo Bolsonaro: Brasil acima de tudo, Deus acima de todos! Espero que haja um amplo protesto contra isso enquanto é tempo. E obviamente a outra ministra absurda, Damares Alves, que está lá em Genebra fazendo a gente passar vergonha, apoiou a ideia de jerico do Vélez. Precisamos dar algo para esses caras fazerem, para pararem de ter tempo de pensar tantas atitudes imbecis como essa. Imaginam nossas crianças, pleno Século XXI, digitais, perfiladas cantando o Hino Nacional? Mais fácil juntas fazerem um pancadão e dançarem funk até o chão.

 

 

 

 

 

 

#ADEHOJE – MINISTROS SEM PÉ NEM CABEÇA E O ULTRA SECRETO.

#ADEHOJE – MINISTROS SEM PÉ NEM CABEÇA E O ULTRA SECRETO.

 

SÓ UM MINUTO – O CHEFE DA ABIN, Janér Tesch, AGORA PODE DIZER O QUE NÃO PODEMOS SABER, CARIMBANDO ULTRA SECRETO. ISSO É QUE É TRANSPARÊNCIA!

Não bastasse a Ministra Damares Alves, da Família, Mulher, Direitos Humanos, índios, enfim, de nós todos, os Enjeitadinhos, falar bobagens todos os dias, agora surge mais um parvo: da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez, colombiano naturalizado brasileiro, que se apresenta como teólogo, filósofo, ensaísta e professor. Já teve de pedir desculpas à mãe de Cazuza por acusa-lo de ter dito coisas que jamais disse…Falta pedir desculpas a todos os brasileiros que chamou de ladrões, entre outras. Fossem só esses, mas é uma coleção, de baixíssimo nível, e que que já vêm com a capivara. Veja o rolo do que está – ou não – no Turismo, Marcelo Álvaro Antonio – tem três nomes e muitas laranjas a explicar.

 

#ADEHOJE – DAMARES NO ALVO. MILHÕES NAS RUAS, PROTESTOS. MAS LÁ NA VENEZUELA

#ADEHOJE – DAMARES NO ALVO. MILHÕES NAS RUAS, PROTESTOS. MAS LÁ NA VENEZUELA

SÓ UM MINUTO, TALVEZ MAIS… – Juan Guaidó agora foi reconhecido pelo Parlamento Europeu como presidente da Venezuela, como se autoproclamou a semana passada. O problema é que a Rússia está perto de defende-lo e os malucos de Maduro seguem na repressão violenta, inclusive contra os jornalistas estrangeiros. Mas o babado do dia está por conta de quem? … Da Damares Alves, claro! A revista Época vem pesada contra ela. Reconstrói a história de como a ministra Damares Alves levou há 15 anos, de uma aldeia no Xingu, a menina que hoje apresenta como sua filha adotiva, Lulu Kamayurá. A adoção nunca foi formalizada. Uma das pessoas ouvidas pelos repórteres Natália Portinari e Vinícius Sassine é Tanumakaru, uma senhora octogenária e cega de um olho, avó da menina e quem a criou até mais ou menos seus seis anos. Falando em tupi, ela contou que Lulu nasceu frágil e com inúmeros problemas de saúde. Era menininha ainda quando Márcia Suzuki, braço direito da hoje ministra, se ofereceu para levá-la a um tratamento dentário. Nunca mais voltou. Damares conta que salvou a menina de ser sacrificada. Segundo os índios, ela foi levada na marra. MP investiga a Ong da tal ministra.

Ah, tem mais essa: 3,5 milhões no país vivem em áreas com barragens em risco.

ARTIGO – A liberdade é trans-lúcida. Por Marli Gonçalves

 

Polêmicas coloridas. Nunca as cores foram tão visadas. Que rosa e azul, que nada! O verde e o amarelo estão na berlinda. O laranja anda sumido. O vermelho, coitado, ainda bem que pelo menos foi liberado para a passagem de ano, porque alguém descobriu que podia dar sorte e porque é a cor de Ogum, o santo guerreiro que regerá este ano.

 

 Imagem relacionada

Deixem o branco e o negro em paz; os vermelhos em suas terras. Os verdes, livres para cuidar do meio ambiente. Os do arco-íris vivendo suas vidas. Os religiosos com seus mantos e adereços roxos. Continuem mantendo o marrom longe dos olhos de Roberto Carlos. Chega de cinzas na vida, nos carros, nas paredes, nos prédios das cidades.

Sabiam que existem apenas três cores “verdadeiras”? O amarelo, o azul e o vermelho. Nada, nenhuma mistura pode criá-las, mas são elas que criam todas as outras cores. O azul e o amarelo, juntos, criam o verde; o vermelho e o amarelo, o laranja; o azul e o vermelho, o roxo. A partir daí as primárias e secundárias se fundem e criam a miríade.

Porque não levamos em conta essa liberdade infinita na vida real? Para que ficar batendo na tecla do controle da liberdade, de coisas que nos são tão caras, pelas quais a humanidade luta há tanto tempo? De onde vem essa mania humana de limitar as pessoas, dividi-las, ordená-las, literalmente? Rotulá-las, etiquetá-las?

O Brasil é um país reconhecidamente multicolorido, multifacetado, feliz por isso, composto de povos de todo o mundo. Preocupa perceber que podem tentar a hegemonia de um pensamento, o incentivo e aplausos a uma religião, forçando a barra e impulsionando perigosos conflitos em um momento em que tudo o que precisamos é do branco, da Paz. A junção de todas as cores do espectro, a clareza máxima, a que reflete e ilumina.

Peraí, alô! – que como já ando cansada de levar bordoadas de todos os lados, presta atenção que não estou falando só nem do novo governo, nem dos ministros despreparados e da ministra (tão poucas mulheres e vejam só a que está lá) desavisada.

Estou falando de você também, você que vive dizendo que mulher pode isso, não pode aquilo. Que aponta o dedo e dá aquela risadinha morfética quando encontra pessoas livres – sejam de idade, modos, referências, aquelas que não estão nem aí, porque não saíram para você gostar delas, elas se bastam – pelas ruas. Claro, você pode gostar ou não. Mas jamais dizer que elas não poderiam estar assim ou assado. Quem disse?

É muito jeca um país que fica batendo palminhas para uma primeira dama só porque ela apareceu com “vestido adequado”, aliás, rosinha, neutrinho, bonitinho, bobinho. Adequado para o quê? Para quem? Para uma “jovem senhora” (me dá até alergia essa expressão), para uma evangélica? De outro lado, desceram o pau na vice-segunda dama que apareceu de azul com rendas, sem ser tão bonita, etc, etc, etc. Ela ousou. Palmas para ela. Me fizeram lembrar umas dessas consultoras de etiqueta que há algum tempo decretou que “não se mostra os braços em solenidades”. Essa zinha deve ter ficado bem incomodada com a Michele Bolsonaro e com todas as outras que apareceram com seus ombros descobertos e decotadas na posse, naquele assombroso dia de verão.

Creio que ainda será preciso percorrermos uma longa estrada até alcançarmos um país melhor, socialmente justo, especialmente livre e responsável.

A cultura da liberdade individual, um bem que temos de prezar. A liberdade é translúcida, deixa passar a luz. Ilumine-se.

———————————

Marli Gonçalves, jornalista – Viva e deixe viver. Eles e elas passam. Que Ogum nos proteja dos desvarios.

Brasil, 2019!

marligo@uol.com.br / marli@brickmann.com.br

 

ME ENCONTRE (se republicar, por favor, mantenha esses links):
https://www.youtube.com/c/MarliGon%C3%A7alvesjornalista
(marligoncalvesjornalista – o ç deixa o link assim)
https://www.facebook.com/BlogMarliGoncalves/
https://www.instagram.com/marligo/?hl=pt-br
www.chumbogordo.com.br
https://marligo.wordpress.com

#ADEHOJE, #ADODIA – LIBERDADE PARA AS CORES E PARA NÓS!

#ADEHOJE, #ADODIA – LIBERDADE PARA AS CORES E PARA NÓS!

Amigos, a gente já sabe que vários ministros do novo governo têm pensamentos estranhos, para nós, e mesmo para muitos dos que votaram no candidato eleito que foi quem os escolheu. Podemos zoar com eles o tempo que quisermos. Mas também é necessário que se pense e repense sobre vários pensamentos que ocorrem no nosso meio. Quem pode isso, quem pode aquilo, que roupa tem de usar com que idade. Mulheres, de rosa, azul, verde ou amarelo, seja com o próprio arco-íris, são vítimas. Deixe-nos livres para decidir sobre nossas vidas! Pensem nisso!

 

#ADEHOJE, #ADODIA – OS VÁRIOS GOVERNOS BOLSONARO

#ADEHOJE, #ADODIA – OS VÁRIOS GOVERNOS BOLSONARO

 

 

REPARA SÓ. JÁ DÁ PRA VER QUE O Governo Jair Bolsonaro não é um só. São pelos menos três, sem contar as rebarbas. Dá para torcer para que pelo menos algumas dessas partes se encaixem e melhorem o país. Que sejam as melhores. Daqui a gente já vê a área econômica do tal super ministro Paulo Guedes, que já fez até a Bolsa subir, porque o mercado gostou do que disse. Tem a área de segurança pública e Justiça do Sergio Moro, que chegou também cheia de promessas sobre problemas que nos angustiam, como crime organizado e corrupção, especialmente. E tem uma arrepiante área que engloba o social, o comportamento e que pode nos trazer as piores notícias. Osmar Terra, Damares Alves, o da Educação, Saúde, e o mais novo esquisito do pedaço, o chanceler Ernesto Araújo, aquele que falou grego e tupi-guarani na posse, e que, traduzindo, também, não adiantaria porque não tinha muito sentido. Tem mais fatias que vamos descobrindo com o passar dos dias.

#ADEHOJE, #ADODIA – DIREITOS HUMANOS: O GRANDE MOTE E PREOCUPAÇÃO EM 2019

#ADEHOJE, #ADODIA – DIREITOS HUMANOS: O GRANDE MOTE E PREOCUPAÇÃO EM 2019

MULHERES: ABUSOS DE JOÃO DE DEUS, MORTES VIOLENTAS, DESRESPEITO… A gente tem de cuidar de tanta coisa nessa sociedade que vivemos! Homofobia, misoginia, preconceito racial, social, abusos de toda sorte. A preocupação com os Direitos Humanos será um grande mote em 2019. Terminamos mal o ano, com mulheres mortas a machadadas, atiradas de sacadas, perseguidas, aprisionadas, vivendo e convivendo com o medo. Por outro lado, um novo governo que arrepia quando comenta esses fatos, que demonstra pouco apreço às conquistas nessa área e que, ao que parece, será combatido com muita força nesse campo, por quem é do bem. Para quem lê as mensagens deles: presta atenção em cada palavra. São ameaçadoras à liberdade individual. Para eles, família é só o que conseguem tradicionalmente ver.

_______________________