#ADEHOJE – Bem pior que uma decepção

#ADEHOJE – Bem pior que uma decepção

SÓ UM MINUTO – Bem pior que uma decepção. Vou usar o título do editorial do Estadão de hoje, porque ele é perfeito ao se tratar do governo que nos governa. Mas o editorial trata só das questões econômicas, as que não entendo bem. Mas entendo de comportamento, educação, saúde, segurança pública, e tenho posição firme com relação a esses temas. Não é coisa de direita ou esquerda. É coisa de respeito com a população. Destruir (mais ainda) a Educação, cortando verbas e fazendo trapalhadas, liberar armas, inclusive para crianças e adolescentes, cancelar radares nas nossas estradas perigosas para agradar caminhoneiros, deixar que esse debate imbecil entre ele, os filhos, os militares prossiga, as falas preconceituosas, decretos autoritários, vaivéns… Muita coisa. Enfim, eu não tinha dúvidas, mas sei que quem nele votou depositava esperanças, e eu estou vendo muitas dessas pessoas inclusive até sendo atingidas pelos raios desencontrados que saem daquela cabeça

Trechinho da coluna Carlos Brickmann para os jornais de domingo define como ninguém os tucanos

 O deputado José Aníbal, do PSDB, outro campeão de popularidade que pretende testar-se como candidato a prefeito de São Paulo, esqueceu do falecido companheiro de partido, governador Franco Montoro, ao falar da campanha das Diretas-Já. Montoro não apenas foi um dos líderes da campanha como também quem a viabilizou. E fundou o PSDB. Aníbal não se desculpou: disse que apenas leu a apresentação redigida pelo partido – uma bobagem, porque se espera de um candidato que seja capaz ao menos de corrigir besteiras em discursos que lhe preparam. A assessoria do partido disse que a apresentação foi elaborada pelo candidato. Eta, partido mais confuso! É cada um por si e ninguém por todos. Os tucanos se odeiam tanto uns aos outros que não conseguem nem mentir juntos!