25 DE OUTUBRO, 14H30, PRAÇA DA SÉ. ATO EM HOMENAGEM A VLADO HERZOG – ASSASSINADO PELA DITADURA HÁ 40 ANOS – PROMETE EMOCIONAR, E MUITO

Vladimir Herzog – 40 anos

“Lembrar é preciso, Respeitar é preciso, Cantar é preciso…”
Ato Inter-religioso pela PAZ, pela VIDA e CONTRA a VIOLÊNCIA
Convite_Vladimir_Herzog_40_anos_sequencia
O evento irá homenagear o jornalista Vladimir Herzog, assassinado pela ditadura em 25 de Outubro de 1975, lembrando os 40 anos do grande Ato Inter-religioso celebrado em sua memória em 31 de Outubro do mesmo ano, conduzido por Dom Paulo Evaristo Arns, pelo rabino Henry Sobel e pelo pastor James Wright, no qual oito mil pessoas enfrentaram o medo e o cerco militar para dizer “Basta!” de viva voz. Por sua grandeza e pela imensa participação popular, esse ato constituiu a forte inflexão que deu início à derrocada da ditadura e à construção da democracia brasileira.
Iniciativa do Instituto Vladimir Herzog e da Arquidiocese de São Paulo, o Fórum Coral Paulistano com o apoio do Projeto Canta São Paulo e o Coro Luther King, sob direção artística do Maestro Martinho Lutero Galati (Maestro do Teatro Municipal de São Paulo), promoverão um ato pela Paz e pelos Direitos Humanos. Será um encontro de artistas cidadãos e de cidadãos artistas. Será um concerto feito de canções de resistência que imortalizaram personagens e fatos da História recente do Brasil e da América Latina. Será uma missa criolla, uma prece multicultural, uma oração de todos os homens e de todos os credos, numa só voz.
*Mais de 600 cantores confirmados.
Evento gratuito e aberto ao público.

Confirme sua presença e convide seus amigos e familiares no evento: https://www.facebook.com/events/1672857689658584/

Compartilhe a #vlado40anos
http://www.vladimirherzog.org/vlado40anos

O brucutu Bolsonaro socou o senador Randolfe! Isso é que é direita X esquerda.

boxSoco no Doi-Codi

Bolsonaro é acusado de agredir Randolfe em visita ao Doi-Codi

O deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) é acusado de dar um sopapo no senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) após a negativa dele entrar nas instalações do Exército, onde funcionou, durante a ditadura militar, o Destacamento de Operações de Informações, Centro de Operações de Defesa Interna (Doi-Codi) do Rio de Janeiro. A assessoria do senador conta que o deputado tentou forçar que Randolfe entrasse na ala, após negativa, eles discutiram e Bolsonaro lhe deu um soco.

Randolfe é vice-presidente da Subcomissão Permanente da Memória, Verdade e Justiça do Senado. A comitiva defende a transformação do local em um centro de memória, da mesma forma como ocorreu com o antigo Departamento de Ordem Política e Social (Dops) em São Paulo. Também participam da comitiva o senador João Capiberibe (PSB-AP) e as deputadas federais Luiza Erundina (PSB-SP) e Jandira Feghali (PCdoB-RJ).

FONTE: DIÁRIO DO PODER