ARTIGO – Homens são assim; mulheres são assadas.

Marli Gonçalves

Nada de planetas. Homens de Marte, mulheres de Vênus, essas coisas. Nem vem também com o simplista Irmão Sol, Irmã Lua. Quero saber é se você viu como os homens podem se estrumbicar gostoso nas mãos de uma mulher.

Tenho um amigo que vive me dizendo que os homens não querem nem saber se a mulher é isso, aquilo, se está gorda, tem celulite, pneuzinho. Homem quer é rodar, mesmo com pneu furado. Toda vez que reclamo de algum defeito que encontro em mim, ele repete. “Quem repara nessas coisas é mulher!” Esta semana ouvi mais uma frase lapidar: “Uai, tem gente que parece que não pode mais ver uma mulher feia na frente, que fica um troço impossível”.

Começo a achar que ele tem razão ao ver a foto de Mildred Baena, pivô fora do padrão da separação, depois de 25 anos de casados, de Arnold Schwarzenegger e a bela Maria Shriver. Realmente. O grandalhão bonitão ainda teve um filho, hoje com dez anos, o que parece mostrar que a relação foi continuada; não foi um acidente, e nem ele pode falar que no dia estava bêbado ou sem óculos. Aí, se pensei assim, parei ainda para pensar qual foi a reação da esposa dele, que é uma Kennedy chiquérrima, e em como deve ter sido essa conversa de fim de relacionamento com o Exterminador. “Não tinha coisa melhor?” – tenho certeza de que ela deve ter perguntado. E depois de bater a porta foi procurar o melhor advogado que podia para tratar da separação, ou melhor, do escalpo que fará.

O que se passa na cabeça dos homens? Eu nunca entendi direito. Mas percebo bem o que se passa na cabeça das mulheres. E às vezes coisa boa não é, ó moços e desavisados que são levados por instintos e cabeças que empinam!(Dependendo do caso). Há mulheres envenenadas. Comeu, morreu. Não é por menos que a abelha é rainha, e a aranha, viúva e negra.

Todas as mulheres têm – de alguma forma – seus mitológicos seres internos, e eles aparecem. Uma hora aparecem. E podem não ser só as fadas, elfos, anjos, femmes fatales Podem ser sereias, com o andar de peixe insinuante fora d`água ; dragões vociferando chamas e brasas; bruxas urdindo venenos e vinganças; ou apenas Amélias – que um dia cansam. Um dia a casa cai. Foi o que o Exterminador do Futuro sentiu na pele esses dias¸ com o pé que levou da esposa depois que veio a público o caso com a ex-empregada baranga. É. Baranga, mas quem se deu bem foi ela. Agora pode contar o caso em prosa e verso, investindo e ganhando mais do que um Palocci, e em menor tempo. Veja bem.

Outro caso desses dias beira o paradoxo do ridículo, do nonsense. Homem mundialmente superpoderoso, peladão, numa suíte chiquérrima de hotel de Nova York se encanta com camareira que vê no quarto quando sai do banho, como conta esta quase fábula moderna. Mais: se encanta e quer pegar. Tenta pegar. Pega. O problema é que desta vez ele tinha encontrado um osso mais duro de roer, e acabou preso e exposto em praça pública. Vai perder as calças. O cargo que tinha – e o que poderia ter – foram afogados. O ganso sofreu um entorse. Moral da história: às vezes é melhor só ter um passarinho nas mãos. Nas próprias mãos.

O problema é que em todas essas histórias as mulheres acabam se queimando junto; inclusive junto das esposas, que viram vítimas, e que acabam obrigadas, muitas, a fazer o papel de solidárias e compreensivas quando os casos vão aos tribunais. E logo começam a surgir as teorias e os dedos apontados para os pivôs. “Ela deve ter provocado”, ”Agente infiltrada”, “Armação”.

Até nisso é mais difícil quando se é mulher. Lembra da cara de tacho de Hillary Clinton ao ver o marido, o homem mais poderoso do mundo naquele momento, com o charuto na mão, segurando uma gordinha de vestido azul? Será que os homens pensam que mulheres mais comuns, feias, gordas ou outras coisas, ficarão tão felizes com suas cantadas que costurarão a boca depois? Que ficarão agradecidas pelo fato? Outro dia, um idiota, abominável, imperdoável e inominável, daqui mesmo, chegou até a dizer que as mulheres feias tinham de agradecer por ser estupradas. Deve ser isso. Na velha dominação ainda existente, eles acham que são o supra-sumo da cocada. E acabam se dando mal.

São novos tempos. Tempos em que vemos também as mulheres perdendo suas mais incríveis especialidades, sua naturalidade, mas antes de tudo cuidando perigosamente de alguns de seus interesses, divididos entre o amor e o dinheiro. Aqui não se trata mais de meras idiossincrasias dos sexos, ou discussão das relações nos encontros de casais. Trata só da maldade humana, a parte capaz de vender filha, matar mãe, subir de qualquer jeito. Sem ilusões. E quando as ilusões acabam não há mais limites.

Portanto, senhores, cuidado. Uma chave de pernas pode abrir algumas portas. Inclusive para as feias, bruacas e barangas, como vocês a elas se referem, como se fossem, logo vocês, as coisas mais lindas do mundo, Avis Rara.

Os tempos são modernos. Ninguém mais fica só. Tem internet. Tem agência de encontro de iguais ou parecidos. Mulher não sofre mais tanto assim – compra cachorro, gato, preá. Paga e pega. Pega e paga. E só entra na quebrada quando tem certeza, como diria a Ofélia. De que vai levar alguma vantagem, como diria o Gérson.

Afinal, homens são flautas; e as mulheres, pandeiros e violão.

 

São Paulo, no mês das casadoiras, 2011

(*) Marli Gonçalves é jornalista. Continua pensando em escrever um livro com o título “Lili, A Amante Ideal”. Legislando em causa própria.
************************************************************
E-mails:
marli@brickmann.com.br
marligo@uol.com.br
ATENÇÃO: Por favor, ao reproduzir esse texto, não deixe de citar os e-mails de contato, e os sites onde são publicados originalmentehttp:// http://www.brickmann.com.br e no https://marligo.wordpress.com// Aqui você encontra todos os artigos anteriores:www.brickmann.com.br
Estou no Twitter, @MarliGo, Facebook, e no blog : Clica aqui, para ir lá no blog! Visite o site MARLI GONÇALVES – Onde você encontra de tudo e muito mais
No Twitter, querendo seguir e ser seguida: “www.twitter.com/MarliGo

Nafissatou Diallo derruba Dominique

Interessante… andei vendo que o nome Nafissatou Diallo ficou conhecido esses dias por ser a camareira que denunciou o Diretor do FMI

Achei uma história que não conhecia no caminho, a de uma escritora senegalesa de mesmo nome: apenas um outro  nome no meio. Ela já morreu. Olha só:

Nafissatou Niang Diallo was born in 1941 in Dakar. She has worked as a Midwife and as a Paedriatric Nurse. She was brought up by her paternal grandmother when she lost her mother at the age of one and a half. Her father, Samba Assane, was a civil servant working for the municipality of Dakar. At the age of seven she was sent to the ‘Champ de Course’ primary school and when she was thirteen she attended the ‘Collège Moderne’ in Dakar, after which, aged sixteen she went to the ‘Van Vollenhoven’ high school. She next enrolled at the State School for Midwives when she was eighteen. She left Senegal when she was twenty-three to continue her studies in Toulouse for two years. She married Mambaye Diallo in 1961 and had six children. She died in 1982

Aproveita  que está por aqui e lê as últimas notícias, de Antonio Ribeiro,da Veja

Renúncia de DSK é previsão bem pragmática de calvário

O preso número 09132366L do Departamento Correcional da Cidade de Nova York renunciou ao cargo de diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI). Dominique Strauss-Kahn, de 62 anos, principal candidato da oposição nas eleições presidenciais francesas de maio de 2012, enviou carta ao seu empregador em Washington – recebia salário de 441 000 dólares anuais e mais ajuda moradia de 76 000 dólares – justificando sua decisão: “Eu vou dedicar todas minhas forças, todo meu tempo e toda minha a energia para demonstrar minha inocência.” A demissão foi aceita pelo Conselho Executivo do Fundo. Em efeito, o americano John Lipsky ocupa de forma interina a chefia. Christine Lagarde, Ministra de Finanças da França é a  favorita em uma disputa na qual as partes interessadas ainda não definiram oficialmente seus candidatos.

O desempregado, casado com a milionária franco-americana Anne Sinclair, de 62 anos de idade, ex-apresentadora vedete da TV francesa TF1, está sob sete acusações formuladas pelo promotor John McConell, adjunto de Cyrus Vance Jr, o filho do ex-secretário de estado do governo Jimmy Carter. Entre elas: ato sexual criminoso, tentativa de estupro, cárcere privado,  abuso e manipulação sexual sem consentimento. A juíza Melissa Jackson, do Tribunal Criminal de Manhattan, acolheu a denuncia, ordenou o confisco do passaporte e prisão preventiva em cela de 12 metros quadros no setor leste – reservada para detentos com doenças contagiosas – da prisão da Ilha Rickers, o maior complexo penitenciário do planeta. O presidiário esta sendo monitorado a cada quarto de hora para evitar tentativa de suicídio, embora até os cadarços dos sapatos tenham sido confiscados.

A magistrada Jackson satisfez os interessados na sua decisão alegando a possibilidade do acusado de fugir dos Estados Unidos e embasada na circunstância da captura. Ou seja, 10 minutos antes do voo 023 da Air France decolar para Paris. Mas não só. O exame de corpo de delito de Strauss-Khan – procedimento normal nos trinta casos diários de agressão sexual tratados pela Unidade de Vitimas Especiais  de Nova York – corrobora com  as queixas da suposta vítima. Nafissatou Diallo, imigrante da Guiné-Bissau de 32 anos de idade, viúva e mãe de uma adolescente de 15 anos de idade, moradora do High Bridge Apartments,  dois prédios nos quais a Harlem United Community AIDS Center alugam moradia para adultos soropositivos de renda modesta – seu apartamento não está nesta categoria – é camareira exemplar, segundo o seu gerente,  há três anos do Hotel Sofitel New York, onde teria ocorrido o crime.

A renúncia de DSK, como ele é mais conhecido entre seus conterrâneos franceses, é previsão bem pragmática do futuro. Hoje ou amanhã, serão sorteados de 16 a 23 eleitores nova-iorquinos para determinar oficialmente as acusações e depois de ouvidos testemunhos, a defesa e a promotoria, decidir se o acusado dever ir a júri popular, desta vez com 12 jurados e 2 suplentes. Se for o caso,  só deverá acontecer no início de 2012 e com duração longa. Se for condenado com acúmulo de penas, Strauss-Kahn pode pegar até 74 anos de prisão, mas poderá recorrer, em ultima instância, aos juízes da Suprema Corte americana.

A qualquer momento do processo, o acusado pode declarar-se culpado. Neste caso, serão abertas negociações entre os advogados e o promotor para anular certas acusações e atenuar eventual sentença. DSK conta com a ajuda do famoso advogado das “causas desesperadas”, Benjamin Brafman, ex-defensor do cantor Michael Jackson contra acusações de pedofilia. Hoje, ele tentará novamente obter junto ao juíz Michael Obus a liberdade condicional do cliente contra a fiança de um milhão de dólares e porte bracelete eletrônico para rastreamento em tempo real. Ainda. Brafmam vai propor a juiza moradia menos severa e mais próxima do tribunal para o DSK, o apartamento da filha do acusado, Camille, de 26 anos, no elegante Upper East Side de Nova York.

Por Antonio Ribeiro

http://veja.abril.com.br/blog/de-paris/sem-categoria/dsk-renuncia-ao-cago-de-diretor-gerente-do-fmi/