Vexamão! Nem o próprio Kiko do KLB votou nele? Nota do Cláudio Humberto

Vexame: Kiko, do grupo KLB, não
recebe nenhum voto para vereador

Foto

 

 

O Kiko, do grupo musical KLB, não conseguiu se eleger vereador em São Paulo pelo PSD. O que é pior: passou o maior vexame ao ficar sem nenhum voto registrado no sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) – que já estava com 98,78% das urnas apuradas no momento em que o fato foi verificado.

Belíssima frase do jornalista Henrique Suster. Para a eleição, domingo.

 

“Que neste 07 de Outubro deixemos de ser tão 12 de Outubro e sejamos mais 7 de Setembro, pois só com muito 1º de Maio o nosso Brasil não será um 1º de Abril”.

HENRIQUE SUSTER

23 MIL HOMENS NA RUA. É A OPERAÇÃO SATÉLITE, DA PM DE SÃO PAULO. VEJA SÓ.

PM faz megaoperação com 23 mil homens em São Paulo

A ação começou às 14 horas desta quinta-feira (27) com o reforço de policiais dos setores administrativos e o apoio de 291 viaturas, 796 motos, 4 aeronaves, 8 cães e 112 cavalos. A Operação Satélite tem o objetivo de prevenir e combater a criminalidade em todo o Estado

Desde as 14 horas de hoje (27), a Polícia Militar deflagrou a Operação Satélite para combater a criminalidade em todo o Estado de São Paulo.

Em todo o Estado, 22.910 policiais militares estão empregados na megaoperação para reforçar o policiamento nas ruas paulistas, com o objetivo de prevenir e combater a criminalidade, principalmente o roubo e furto de veículos, roubo a banco e caixa eletrônico, tráfico e consumo de entorpecentes, além de ações educativas de trânsito, bloqueios policiais e Operação Direção Segura, com utilização de  333 bafômetros.

Do efetivo, 5.583 estão na Capital; 2.546 na Região Metropolitana; 9.953 no Interior; 537 do Policiamento de Choque; 1.116 do Policiamento Rodoviário; 92 de Rádio Patrulha Aérea; 748 do Policiamento Ambiental; e 127 do Policiamento de Trânsito.

Do número total de policiais na operação, estão inclusos 5.346 policiais do serviço administrativo das Unidades operacionais, 950 das Diretorias; 300 da Casa Militar e Assessorias Militares da Assembleia Legislativa, Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público, Poder Judiciário, Secretaria da Segurança Pública e 958 das Escolas de Formação.

 A operação contará com 2.291 viaturas; 796 motos; 4 aeronaves; 8 cães; 112 cavalos.

Todas as Unidades Territoriais e Especializadas participarão da Operação: Trânsito, Rodoviária, Ambiental, Bombeiros, Grupamento Aéreo, Policiamento Territorial, contando com o apoio do efetivo administrativo das Unidades e assessorias, que normalmente atuam na atividade meio da Instituição, ou seja, Recursos Humanos, Logística, Telecomunicações, Tecnologia da Informação, etc.

FONTE: ASSESSORIA DE IMPRENSA – SWECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLIC DE SP

Lauro Jardim publica hoje uma foto e nota muito interessante. Russomanno vai querer sumir com esse porta-retrato

Russomanno e o laranjal da Delta

Veja como esse mundo é mesmo pequeno. Quem poderia imaginar uma festinha entre os fornecedores de notas fiscais do laranjal da Delta Construções Adir Assad e Marcelo Abbud (leia mais em Se a PF procurar, acha) com o líder das pesquisas em São Paulo, Celso Russomanno?

Pois a imagem aí de cima mostra tudo isso e mais alguns personagens, como o presidente estadual do PRB, Vinicius Carvalho, em uma alegre noite de maio deste ano na casa de Abbud. Qual será a justificativa de Russomanno para conviver tão intimamente com essa dupla que a Delta e outras grandes empreiteiras usam para lavar dinheiro? Será que ano eleitoral é também ano de fazer novas amizades?

Para quem não lembra, Assad e seu sócio Abbud estão por trás de um conjunto de empresas fantasmas identificado pelo Coaf como destinatário de pelo menos 93 milhões de reais em recursos da empreiteira de Fernando Cavendish, entre janeiro de 2010 e julho de 2011. Registradas no nome de laranjas, as empresas foram abertas nos anos eleitorais de 2008 e 2010.

Mas a dinheirama não foi usada para abonar serviços de engenharia. Ela saiu do caixa da Delta principalmente para pagar propina a servidores públicos e abastecer caixa dois de campanhas eleitorais. O esquema de Assad e Abbud está tão enraizado nos partidos que o seu silêncio na CPI mista do Cachoeira é garantido a peso de ouro.

FONTE: COLUNa radar – veja – Por Lauro Jardim

Elementar, meu caro Watson. Haddad é anódino, placebo, sem sal, sem açúcar

Haddad: campanha gelada

Se vão ou não para o segundo turno em São Paulo, são outros quinhentos, mas a cúpula petista está impressionada com a recepção gelada que a campanha de Fernando Haddad, inclusive o próprio, recebe na periferia da capital paulista.

FONTE: COLUNA RADAR – VEJA ONLINE – Por Lauro Jardim