QUEM TEM, TEM MEDO. ABIN PREOCUPADA SE SEU ARAPONGA ARAPONGOU PARA OUTROS LADOS…

Governo teme que
espião seja ligado
ao WikiLeaks

A área da inteligência do governo federal entrou em pânico com a descoberta do roubo de dados supostamente confidencias realizado pelo ex-agente William (o sobrenome é omitido por segurança), que entrou na Agência Brasileira de Inteligência (Abin) há dois meses e passou a copiar papéis. O temor do governo é que o ex-araponga seja ligado ou pretendesse se ligar ao site WikiLeakes, de Julian Assange.

Vazou, acabou

O general Elito Siqueira, do Gabinete de Segurança Institucional, e a alta arapongagem temem “o fim da Abin” se houver “megavazamento”.

Volta à ativa

as preocupações do governo: o STF anulou a demissão do agente Nery Kluwe, suspeito de “vazar informações à imprensa”.

Preso espião que espionava a agência de espiões. Só no Brasil. Só na ABIN. Só nossos araponguinhas…

Abin pediu prisão de funcionário que espionava a agência, diz GSI

Gabinete de Segurança Institucional informou que prisão foi feita pela PF.
Funcionário preso violou regulamento e normas de segurança da agência.

 

 

 

FONTE: Do G1, em Brasília

 

O Gabinete de Segurança Institucional (GSI), ligado à Presidência da República, informou na manhã desta quinta-feira (20) que a Polícia Federal prendeu um funcionário da Abin que espionava a agência internamente. Foi a própria Abin (Agência Brasileira de Inteligência) que acionou a PF, depois de verificar atividades suspeitas na estação de trabalho ocupada pelo funcionário.

Reportagem do jornal “Correio Braziliense” publicada nesta quinta informa que o espião preso já havia conseguido “hackear” 238 senhas de colegas, envolvidos em investigações estratégicas da agência. O GSI, responsável pela Abin, divulgou nota em que afirma que foram verificadas, na estação de trabalho ocupada pelo funcionário, “diversas ações vetadas por regulamentos e normas legais”.

A Abin, depois de verificar os procedimento ilegais, acionou a Polícia Federal, que prendeu o espião em flagrante na última sexta-feira. Ele foi liberado depois de pagar fiança. O GSI informou ainda que a agência abriu um Processo Administrativo Disciplinar contra o funcionário.