Médicos voltam às ruas na próxima terça-feira, 8. Veja agenda.

chatiado...n98

FENAM divulga Dia Nacional de Protestos

As manifestações ocorrerão em todo o Brasil, a cargo dos sindicatos médicos locais, nesta terça-feira (8), data prevista para a primeira votação do projeto, na Câmara dos Deputados.

A Federação Nacional dos Médicos (FENAM), por meio do presidente, Geraldo Ferreira, convoca, hoje (04), a todos os médicos brasileiros, para a realização do Dia Nacional de Protestos contra a precariedade da saúde pública e do trabalho médico, agravados pelas contradições do projeto de Lei de Conversão 26 (MP 621), que trata do programa Mais Médicos. As manifestações ocorrerão em todo o Brasil, nesta terça-feira (08).

A ideia é que os sindicatos médicos regionais coordenem a suspensão parcial do atendimento, marchas na rua, protestos em frente aos hospitais, praças, secretarias de saúde, câmaras ou assembleias legislativas. O dia foi escolhido por ser a data da primeira votação do projeto, que tramita na Câmara dos Deputados. A sugestão também é que os médicos usem roupas ou faixas pretas, em alusão ao momento de luto vivido pela categoria.

“A medida é uma resposta de indignação da categoria contra o projeto que possuiu sucessivos equívocos, e coloca em risco a segurança do atendimento à população. A nossa resistência às agressões do governo federal, mais do que nunca, provam nosso compromisso com o cidadão”, afirmou o presidente da FENAM. O programa, por exemplo, facilita a entrada de profissionais formados no exterior, sem comprovação técnica, e com concessão de “registro” pelo Ministério da Saúde, atribuição até, então, exclusiva dos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs).

O PL também configura simulação jurídica de ensino, ao ofertar bolsa ao médico formado, ao invés de salário e direitos trabalhistas. A proposta da FENAM é a realização de concurso público e criação de carreira de estado para o médico, ponto essencial à interiorização permanente da assistência, fixação do profissional e a melhoria das infraestruturas de atendimento em áreas remotas, propostas ignoradas pelo relator do projeto, o deputado Rogério Carvalho (PT-SE).

Por meio de carta à população, os médicos lembram dos riscos assumidos pelo governo federal ao propor que médicos – sem domínio da língua portuguesa – atendam a população. Cobram ainda a oferta de condições de trabalho e de atendimento, o aumento dos investimentos em saúde (10% da receita bruta); pedem isonomia no valor pago em bolsa ao médico residente brasileiro, que recebe atualmente R$ 2,9 mil por 60/h, enquanto os profissionais do programa são remunerados com R$ 10 mil, para a realização da mesmas atribuições, com carga horária de 40h.

 “Na condição de médicos e também de pacientes, expressamos nossa solidariedade aos cidadãos que sofrem com problemas da assistência no país. Reafirmamos que o enfrentamento dessas dificuldades não deve ser resumido à presença – ou não – do médico nas unidades de saúde. Nós mantemos nossa disposição em contribuir com o melhor da nossa capacidade, mas sem compactuar com propostas improvisadas e eleitoreiras que não solucionarão os graves problemas do SUS”, afirmou o presidente da FENAM.  

A FENAM reúne 53 sindicatos médicos e representa 400 mil médicos no país.

fonte: assessoria de imprensa fenam

Mais médicos, médicos estrangeiros…Isso ainda vai dar muito processo e pano pra manga. Federação se pronuncia

 

aegypten80FENAM considera crime a atuação de médicos estrangeiros sem diplomas revalidados

O presidente da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), Geraldo Ferreira, declarou nesta quarta-feira (14), em São Paulo, que considera crime contra a saúde pública brasileira, e, sobretudo, contra a população mais carente no interior do país, a atuação dos 522 médicos formados no exterior, sem a comprovação da compatibilidade curricular, por meio do exame Revalida, para atuarem no Programa Mais Médicos.

“Não somos contra a vinda de médicos estrangeiros, mas a qualidade desse profissional tem que ser atestada pelo Revalida. Ignorar esse item e achar que treinamento rápido garante boa assistência é um crime contra a saúde pública. É uma enganação à população”, destacou Ferreira.

Ainda segundo ele, a entidade previa a intenção do governo federal de “importação de médicos”, uma vez que não realizou concurso público para criação de postos de trabalho permanentes, que resultou na fuga dos profissionais brasileiros.

A FENAM defende que a tentativa do governo em levar médicos onde não há assistência é nobre, mas fere os direitos trabalhistas básicos dos profissionais, como o não oferecimento da carteira assinada, entre outras garantias para fixação. “A sociedade precisa saber, por exemplo, que esses profissionais não poderiam se afastar  do trabalho para o tratamento de doença, por  eventuais acidentes ou para licença maternidade. Não há também direito à aposentadoria e, em caso de falecimento, seus dependentes estariam totalmente desamparados”, informou.

A declaração foi feita, após divulgação do Ministério da Saúde, sobre o desembarque no Brasil dos médicos formados no exterior entre os dias 23 a 25 de agosto. Do total de formados, 358 seriam estrangeiros e 164 brasileiros formados no exterior. Da Argentina virão 141 profissionais, seguida por Espanha (100), Cuba (74), Portugal (45) e Venezuela (42).

Além disso, se o médico participante do programa desistir nos primeiros seis meses, terá que reembolsar os valores. Se ele for estrangeiro, além de devolver a verba, perderá o direito do continuar no País. Diante da precarização do trabalho e as condições limitantes percebida nos moldes do programa, a entidade promete entrar com representação na Organização Internacional do Trabalho (OIT) e na Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) para denunciar as questões.

Os Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) informaram que ingressarão com ações na Justiça Federal dos Estados para que não sejam obrigados a efetuar o registro provisório aos médicos, sem a comprovação documental da revalidação dos diplomas e da certificação de proficiência em língua portuguesa.  Serão feitas ações civis públicas individuais, com pedido de tutela antecipada.VASO ESPIRRANDO

Médicos: informações completas sobre a paralisação, em 20 Estados. O bicho vai pegar…

n99

FONTE: ASSESSORIA DE IMPRENSA – FENAM

Médicos: pelo menos 20 estados já confirmam nova paralisação para amanhã e quartan98n98 n99

Seguindo o calendário de greve da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), pelo menos 20 estados já confirmaram adesão à paralisação dos dias 30 e 31 de julho. Os sindicatos médicos de todo Brasil continuam a luta contra o Programa Mais Médicos e os vetos à Lei que regulamenta o exercício da medicina. O movimento, que conta com maior adesão para esta terça e quarta-feira, promete maior impacto que no último dia 23.

“A FENAM delibera suspensão tanto do sistema público, quanto do suplementar. É uma luta geral, em nome da medicina e da população brasileiras”, ressaltou o presidente da entidade, Geraldo Ferreira.

A mobilização desta semana é preparatória para a grande marcha à Brasília no dia 08 de agosto, quando ocorrerá uma audiência pública sobre o Mais Médicos no Congresso Nacional. Após 10 de agosto, quando se finda a programação estabelecida, será realizada uma avaliação das reivindicações da categoria. Caso não haja avanços no movimento, a Federação adianta que decretará greve por tempo indeterminado.

Confira abaixo à programação dos sindicatos:

Acre:

Desde o dia 23, os médicos decidiram pela deflagração de greve por tempo indeterminado. Caso haja pressão para o retorno ao trabalho, o médico poderá encaminhar os nomes dos gestores que estão realizando a coação.
Os nomes dos acusados comporão uma lista que será entregue aos Ministérios Públicos Estadual e do Trabalho para serem processados por assédio. Os nomes dos gestores também podem ser enviados pelo e-mail sindmedacre@hotmail.com ou pelos telefones 3224-6483 e 3224-2390.

Amazonas:

Calendário de mobilizações:
Dia 30: Greve e manifestação, às 9h, na sede da Prefeitura de Manaus;
Dia 31: Greve e manifestação, às 9h, na sede de Governo do Estado;
Atenção: Nos dias de mobilização haverá lista de presença para assinaturas dos médicos.

Denúncias
A Ouvidoria do Simeam também estará recebendo denuncias durante o período grevista, dos médicos e da população, sobre as condições de trabalho nas unidades de saúde, falta de medicamentos e demora na realização de exames por meio de fotos, vídeos ou textos através do e-mail ouvidoria@simeam.org.br e pelos telefones 3651-7798/3308-9313.

Bahia:

Em reunião realizada com o Cosemba, os médicos definiram a programação de ações de protesto para os dias 30 e 31 de julho, quando haverá a greve geral, em todo o país.

No dia 30 de julho o Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA), promove um debate público, mediado por Rogério Queiroz. Começa a partir das 14hs na sede do MP.

Os convidados serão diretores de escolas de medicina, representantes da Defensoria Pública, OAB, vereadores e deputados estaduais e federais, senadores, AMAB, AMAP, diretores acadêmicos, ligas e médicos e residentes via CEREM.

No dia 31 de julho, os presidentes do CREMEB, ABM e Sindimed junto com os parlamentares, participam do café da manhã na ABM a partir das 7h30. À tarde acontecerá a feira de saúde no canteiro central da Centenário, na Barra, das 15h às 18h.

Os médicos seguem em caminhada até o Farol da Barra com cartazes, faixas e panfletos abordando diversos temas ligados a melhoria da saúde pública, como o Revalida, condições de trabalho e corrupção, Programa Mais Médicos, carreira de estado, Brasil +10 e o Ato Médico.

Ceará:

Categoria define nova programação para próximas mobilizações
Comissões do movimento no Ceará definem e divulgam nova programação para os próximos dias.

Dias 30 e 31 de julho: PARALISAÇÃO NACIONAL
30/07 – TERÇA-FEIRA
10 horas: Concentração no Hospital Geral de Fortaleza para dar um ABRAÇO no hospital.
16 horas: Atendimento à população, panfletagem e exposição de fotos, na Praça José de Alencar.

31/07 – QUARTA-FEIRA
9h30min: Panfletagem em frente ao Hospital das Clínicas, em direção a Av. José Bastos.
10 horas: Pediatras farão atendimento à população, na Praça do Coração de Jesus.
14 horas: Atendimento à população, panfletagem e exposição de fotos, na Praça do Coração de Jesus.
16 horas: Caminhada que sai da Praça do Coração de Jesus para o núcleo do Ministério da Saúde no Ceará.
OBS: Todos de jaleco branco.
19 horas: Assembleia Geral para avaliação do movimento e próximos passos, no CREMEC.
ATENÇÃO: Os médicos que quiserem fazer atendimentos nas praças podem ligar ou enviar e-mail para o SIMEC para confirmar participação, informando nome, especialidade e qual horário e dia de sua preferência. Contatos: (85) 3261-4788 – E-mail: imprensa@simec.med.br

Distrito Federal:

O SINDMÉDICO-DF, a FEBAM, o CRM/DF, a AMBr e a ABRAMER convocam todos os médicos das redes pública, privada e suplementar, residentes e estudantes de medicina a participar das paralisações que serão realizadas nos dias 30 e 31 de julho (terça e quarta-feira)

Nos dias 30 e 31 não serão realizadas consultas e cirurgias eletivas. Serão mantidos apenas os atendimentos de emergência e urgência. Todos os médicos – dentro e fora dos consultórios – devem usar roupas, tarjas ou laços pretos para destacar o protesto. Ao abordarem ou serem abordados pelos pacientes, devem mostrar que a classe médica repudia a gestão da saúde pelo governo da presidente Dilma Rousseff, os equívocos e consequências das medidas anunciadas.

Programação
Dia 30 – Suspensão de atendimentos eletivos, luto, panfletagem nos hospitais nos turnos matutino e vespertino e ato público no Ministério da Saúde, às 15h.
Dia 31 – Suspensão de atendimentos eletivos, luto, panfletagem nos hospitais nos turnos matutino e vespertino e assembleia na AMBr (Setor de Clubes Sul, Trecho 3, Lote 16) , às 19h.

Espírito Santo:

Além da paralisação nos dias 30 e 31, a programação do movimento inclui mobilização de médicos pelas redes sociais, envio de e-mails para toda a categoria, panfletagem, publicação de vídeos denúncia na internet e a participação de residentes e acadêmicos de medicina num grande ato público.

Confira programação:

30/07 – Paralisação de todo atendimento eletivo na rede pública e privada
•Blitz em Hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPA) da Grande Vitória para verificar as condições de atendimento à população

31/07 – Paralisação de todo atendimento eletivo na rede pública e privada
•Audiência com parlamentares
•Ato público com concentração em frente ao CRM-ES

Goiás:

A paralisação começa à zero hora da próxima terça-feira (30), e termina à meia-noite de quarta-feira (31). O SIMEGO salienta que a greve é presencial, os médicos devem se dirigir ao seu local de trabalho e registrar sua presença.
Durantes esses dias todos os atendimentos eletivos do SUS, convênios e particulares, devem ser suspensos, mantendo apenas os atendimentos de urgência e emergência, as evoluções de pacientes internados, plantões de UTI, plantões de regulação de urgência e transplantes.

Dia 31
Paralisação dos atendimentos Médicos eletivos.
Manifestação no Paço Municipal de Goiânia às 15:00 horas.
Assembleia Geral, às 19 horas no Cremego, na qual serão discutidos os rumos do movimento.

Maranhão:

Dia 30/07/13-Passeata dos médicos e acadêmicos às 9:00 horas.Percurso da passeata: saída em frente ao Hospital Dutra –HUUFMA, passando em frente do Hospital Materno Infantil, Hospital Português , Santa Casa de Misericórdia , encerrando em frente ao Hospital Djalma Marques (Socorrão I), no centro da cidade.

Dia 31/07/13- Coletiva de imprensa com as entidades médicas : CRM-MA, Sindicato dos Médicos , AMB , com participação dos acadêmicos de medicina. Local: Auditório do CRM-MA, no horário da tarde.

Mato Grosso

As entidades médicas do estado de Mato Grosso (AM-MT, CRM-MT E SINDIMED-MT) decidiram pela mobilização no dia 30, com camiseta de protesto e diálogo com pacientes. Já na quarta haverá paralisação, com assembleia às 14h no CRM e às 16h manifestação.

Mato Grosso do Sul:

Os médicos de Mato Grosso do Sul paralisarão o atendimento ambulatorial nas redes pública e privada dia 31 deste mês, (quarta-feira). No mesmo dia da paralisação os médicos da Capital estarão na praça Ary Coelho, a partir das 9h, realizando orientações à população em diversas áreas de especialidades médicas.

Minas Gerais:

Os médicos foram convocados para paralisação do atendimento nos setores público e suplementar, exceto as urgências e emergências, para os dias:
– Terça Feira- 30 de julho- Paralisação no atendimento e coletiva de imprensa na AMMG às 12h, onde todos estão convidados a participarem.
– Quarta-Feira- 31 de julho – Paralisação com concentração dos médicos no CRMMG às 17h e passeata até a sede da AMMG onde será realizada uma assembleia dos médicos às 19h.

Pará

Amanhã, 30, terá AGE no Sindicato, chamada de Assembleia da Resistência porque se discutirá exclusivamente o veto ao Ato Médico e o programa Mais Médicos. Serão decididas ações e estratégias de resistência aos ataques que têm sido desferidos contra a categoria.

Paraíba:

A Paraíba seguirá o calendário de greve da FENAM. Haverá assembleia às 9h no CRM com lista de presença no dia 30/07. No dia 31 todos devem estar às 10h na assembleia legislativa para sessão especial onde será debatido o programa “Mais Médicos” com os deputados.

Paraná:

Os médicos do Paraná voltarão a paralisar suas atividades nos dias 30 e 31 de julho. A nova paralisação da classe médica paranaense será marcada pela concentração de médicos, residentes e estudantes de medicina às 9h30 do dia 30 na Praça Rui Barbosa, no centro de Curitiba, em um grande ato público da categoria. À tarde, distribuídos em diversos pontos de concentração popular da cidade, os médicos realizarão um trabalho de conscientização da sociedade, com a distribuição de panfletos e conversas com a população. O ato junto à população será repetido nos períodos na manhã e da tarde do dia 31. No fim do dia haverá um novo encontro dos médicos na sede da AMP para avaliar o movimento e decidir os próximos passos.

Pernambuco:

Amanhã (30) e na quarta -feira (31/07), os médicos de Pernambuco irão suspender os serviços eletivos públicos e privados, resguardando os atendimentos das emergências, urgências, quimioterapia, radioterapia, hemoterapia, hemodiálise e afins.

Durante os dias de paralisação serão realizadas duas importantes ações:
Terça-feira (30/07) – blitz nas unidades de saúde do Estado, com o objetivo de identificar pacientes que estejam aguardando transferência, para leitos de enfermaria, de cirurgia e de UTI, além de mostrar o déficit estrutural dos serviços. Os dados serão encaminhados ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

Quarta-feira (31/07) – mutirão de atendimentos, no Memorial da Medicina, Rua Amaury de Medeiros, 206, Derby, 08h às 14h. Na ocasião serão realizadas consultas médicas na área de cardiologia, clínica médica, dermatologia e pediatria. À noite será realizada uma Assembleia geral extraordinária, às 19h, no auditório da Fafire, Av. Conde da Boa Vista, 921, Boa Vista. Pauta: rumos do Movimento Nacional Médico.
Piauí:

De 23/07 a 31/07 – Médicos devem trabalhar tanto em vínculo privado como público usando o adesivo “Orgulho de ser médico!” e entregarão aos pacientes a “Carta Verdade” elaborada pelas Entidades Médicas, relatando a verdade sobre o impasse entre médicos e o Governo Federal.
Rio de Janeiro:

paralisar suas atividades nos próximos dias 30 e 31/7, seguindo a orientação das entidades médicas nacionais, e mantendo somente os atendimentos de urgência e emergência. O Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (SinMed/RJ) já comunicou aos gestores da saúde das três esferas de governo e aos sindicatos patronais sobre a decisão dos médicos, destacando o direito dos profissionais de se organizar por melhores condições de trabalho e remuneração, com base na Constituição Federal e no Código de Ética Médica.

O Departamento Jurídico do SinMed/RJ destaca que nenhum gestor/empregador poderá adotar qualquer medida de represália aos médicos que aderirem à paralisação. Eles não poderão ser punidos, nem sofrer coação ou qualquer tipo de sanção (advertência, suspensão ou demissão). E ainda, se houver desconto pelo dia não trabalhado, este poderá ser objeto de negociação entre o SinMed/RJ e o gestor/empregador, podendo o caso até ser submetido à Justiça.

Dia 30/07:
9h – Doação de sangue, no Hemorio
11h – Ato público no Hospital Souza Aguiar e passeata até a Prefeitura, onde será realizada assembleia.

Dia 31/7:
11h – Ato Público na Cinelândia e passeata até o Ministério da Saúde e depois até a ALERJ.
Nos dois dias serão haverá paralisação dos atendimentos ambulatoriais e eletivos, sendo mantidos os atendimentos de urgência e emergência.

Rio Grande do Norte:

Médicos paralisarão nos dias 30 e 31 de julho. Nesta terça-feira, o dia se inicia com manifestação. Concentração às 8:30h no Hospital Walfredo Gurgel e segue com caminhada até a governadoria.

Rio Grande do Sul:

Médicos e estudantes de Medicina do Rio Grande do Sul vão parar nesta terça (30) e quarta (31). A mobilização atingirá diversas regiões do Estado e as áreas pública e privada. Nesta terça-feira, às 15h, entidades médicas gaúchas farão balanço do primeiro dia da paralisação, em entrevista coletiva em Porto Alegre. O movimento atingirá 50% dos serviços não urgentes. A expectativa é de que as direções dos serviços providenciem reagendamento dos atendimentos. Postos de urgência e emergência não serão afetados.
Além da Capital, a paralisação atingirá os serviços eletivos de saúde de outras nove cidades gaúchas: Erechim, Bagé, Santa Cruz do Sul, Passo Fundo, Rio Grande, Santana do Livramento, Uruguaiana, Santa Maria e Ijuí. Desde quarta-feira, um dia após a assembleia estadual decidir pela paralisação, os serviços de saúde começaram a ser notificados. O Sindicato Médico do RS (SIMERS) informa que a população também está sendo comunicada da mobilização em diversos pontos de atendimento.

Os serviços de urgência e emergência funcionarão normalmente. Casos graves não deixarão de ser atendidos em nenhum lugar. Quem estiver de plantão em serviços de urgência e emergência estará fora da paralisação, mas apoiará integralmente o movimento.
Rondônia: **
Paralisação dias 30 e 31.

São Paulo:

Os médicos paralisarão. A próxima quarta-feira, 31, promete novas manifestações de médicos na capital paulista. A exemplo do que aconteceu nos últimos dias 3 e 16 de julho, a categoria voltará às ruas com concentração, às 16h, na Associação Paulista de Medicina (Av. Brigadeiro Luiz Antonio, 278), seguindo em direção à Avenida Paulista e sendo encerrada na sede do Cremesp (rua Consolação, 753).

Santa Catarina:

O Conselho Superior das Entidades Médicas de Santa Catarina (Cosemesc) confirma para o dia 31 de julho – quarta-feira, paralisação geral da categoria. A suspensão de atendimentos está prevista para a rede pública e privada e só não ocorrerá em casos e locais de urgências/emergências e tratamentos que não possam ser interrompidos

Programação:
Florianópolis
Hora- 10h às 14h
Local- Ponto Chic- Entre esquina da Felipe Schmidt com a Trajano. Enterro simbólico dos três ministros que não querem o Revalida: Padilha, Mercadante e Patriota.
20h Assembleia Geral na sede da ACM (avaliação do evento e encaminhamentos para serem entregues no Encontro Nacional das Entidades Medica em agosto)
Chapecó
Hora – 10 horas
Local – A confirmar – enterro dos Ministros Padilha e Mercadante e presidente Dilma.
Blumenau
Hora- 10 horas
Local – concentração em frente à prefeitura e panfletagem nos principais semáforos da cidade
Joinville
Hora- 10h às 14h
Local-. A concentração será em frente à sede do SIMESC, com caminhada em direção à Câmara Municipal
Lages
Hora- 10h
Local- em frente à Catedral Diocesana.
Joaçaba
Hora: 9h30
Local: em frente Prefeitura de Joaçaba
Navegantes, Camboriú, Itapema, Balneário Camboriú e Itajaí
Hora 11h
Local – em Itajaí, concentração às 11h em frente à unidade de saúde da família, bloco 29, na Univali. Depois passeata até o Hospital Marieta Konder Bornhausen, local onde ficarão concentrados até às 14 horas.

Sergipe:

Os médicos de Sergipe tanto da rede pública quanto da rede particular, estão paralisados nesta terça e quarta-feira. Neste período de paralisação, acontecerão atividades obedecendo um calendário programado pela Comissão de Estratégia e Planejamento, como: Panfletagem e um café da manhã nesta terça-feira na sede do Sindimed, às 7h30 minutos com a presença já confirmada de alguns parlamentares da Bancada Sergipana.

Na manhã da quarta-feira, dia 31, os médicos voltam a se reunir na sede do Sindimed, às 8 horas para uma assembleia com o objetivo de avaliar o Movimento Médico. As atividades seguem pelo mês de agosto, com uma Audiência Pública, marcada no dia 08 de agosto, no Congresso Nacional.

Tocantins:

Paralisação dia 31.

Federação Nacional dos Médicos divulga agenda de greves e movimentações. Eles estão bravos.

 

n99FENAM define calendário de greve

(fonte: Assessoria de Imprensa)

A Federação Nacional dos Médicos (FENAM) definiu nesta quinta-feira (11) um calendário de ações como forma de enfrentamento ao Governo. Lideranças sindicais de todo o país estiveram reunidas na sede da entidade em Brasília, traçando os rumos do movimento diante da revolta generalizada da categoria com o Programa Mais Médicos e os vetos à Lei 12.842, que regulamenta a medicina. Greve, manifestações, assembleias, ações judiciais e realização do Encontro Nacional das Entidades Médicas (Enem) fazem parte do cronograma que se inicia no próximo dia 15.n98

No Congresso Nacional, a luta será pela derrubada da MP 621, chamada de ‘MP da morte’ e dos vetos da presidenta Dilma Rousseff ao Ato Médico. Ao mesmo tempo, serão movidas ações judiciais sobre a mesma questão. Na ocasião, também definiu-se que a FENAM apresentará o seu pedido de desligamento da Comissão do Ministério da Saúde para provimento de médicos do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Conselho Nacional de Saúde (CNS).

Segundo o presidente da FENAM, Geraldo Ferreira, as últimas medidas tomadas pela presidenta Dilma Rousseff tratam-se de manobras para exploração da mão de obra médica e precarização do trabalho. A destinação de 10% das receitas da União para a saúde, a criação de carreira de estado e a devida regulamentação da medicina são essenciais para começar a solucionar enfim o caos em que se encontra a saúde brasileira.

Julho
Dia 15: Assembleias estaduais
Dia 17: Reunião FENAM, CFM e AMB
Dia 18: Manifestações de rua
Dia 23: Greve e manifestações
Dia 30: Greve
Dia 31: Greve e assembleias estaduais

Agosto
Dia 8: Audiência pública no Congresso e realização do Encontro Nacional das Entidades Médicas (Enem)
Dia 9: Realização do Encontro Nacional das Entidades Médicas (Enem)
Dia 10: Encontro Nacional das Entidades Médicas (Enem)

Oficial da Federação dos Médicos: cubanos que viessem seriam considerados escravos

mu9no limite 3Tese do trabalho escravo faz governo recuar na contratação de médicos cubanos

De acordo com notícia divulgada pela Folha de S.Paulo nesta segunda-feira (8), o Brasil paralisou as negociações com Cuba para a vinda de 6.000 médicos cubanos ao país e lançou nesta semana programa para atrair profissionais estrangeiros tratando Espanha e Portugal como países “prioritários”.

Para a Federação Nacional dos Médicos (FENAM), o recuo foi devido a tese apresentada pela entidade de que os médicos cubanos iriam desempenhar trabalho análogo a escravo no país.

Isso porque, no modelo usado na Venezuela, Cuba funciona como uma empresa terceirizada que fornece profissionais que devem atender a um duro regulamento disciplinar, que inclui pedir autorização para pernoitar fora do alojamento, proibição de dirigir e de se comunicar com a imprensa e a obrigação de informar sobre namoros.

Apesar do recuo, a FENAM continua atenta às negociações e os atrativos que o Governo pretende oferecer aos médicos estrangeiros e manterá reunião na próxima quinta-feira (11), com as lideranças sindicais para debater os próximos passos do movimento.

Uma greve geral da categoria poderá ser anunciada em caso de veto a Lei Ato Médico ou insistência na importação de médicos sem o Revalida.

FONTE:Assessoria de Imprensa da Federação Nacional dos Médicos (FENAM)