#ADEHOJE – 100 DIAS DE JAIR, BURACO NEGRO E VAMOS INDO

#ADEHOJE – 100 DIAS DE JAIR, BURACO NEGRO E VAMOS INDO

 

SÓ UM MINUTO – Hoje completam 100 dias do Governo de Jair Bolsonaro. O que isso quer dizer? Que talvez agora ele agora comece a governar, o que seria ótimo, ao invés de nos presentear com sandices suas, dos seus filhos e alguns ministros. Ocorreram coisas boas que ficaram soterradas, por exemplo, as privatizações na área de infraestrutura. De qualquer forma tudo é muito esquisito – como o tempo dele é gasto. Hoje tem encontro com o presidente da Fifa para tratar de liberação de bebida alcoólica par ao público na Copa América e para tratar, acreditem, do título de campeão mundial do Palmeiras em 51…De noite encontra embaixadores da Arábia Saudita, que a ministra da Agricultura está tentando salvar as exportações, depois daquelas falas em Israel.

Hoje tem foto do buraco negro. E ainda tem mais buraco negro: os 80 tiros do Exército que mataram o pai de família virou lamentável e triste incidente para os ministros da Justiça e para o da Segurança. Bolsonaro quieto – sobre isso, sobre as chuvas no Rio que mataram 10 pessoas, sobre…

ARTIGO – Bola quicando na área, Por Marli Gonçalves

OneStepWallThrowsTenho tido a terrível sensação de que não estamos conseguindo completar as coisas. Sabe? Tipo fazer, finalizar, do começo ao fim, ver linha pontilhada virar traço e as reticências, ponto final. A bola bate, bate, quica, e não entra na rede, não encaçapa. Não chega lá. Não vira solução.

Desde menina sou apaixonada por desenhos animados, principalmente aqueles que tinham uma musiquinha que era cantada com uma bolinha correndo, pulando ali no pé da tela da tevê, dando a letra e a cadência – uma espécie de precursor do karaokê. Adorava ver a bolinha branca pulando toda feliz, até o fim da canção. Também adoro o som da raquete batendo na bolinha de ping-pong, e esta sair batendo na mesa, pulando a redinha, naquela sequência emocionante até voar para fora, gaiata, fazendo correrem atrás dela, bolinha sonora, oca, veloz.bola

Pois foi essa imagem que me veio à cabeça esta semana. Uma bola quicando. A bola apareceu obviamente por causa da cabeçada dos super cartolas, presos justamente por causa de uma “bola”, mas uma outra super bola, a que pula debaixo dos panos para fazer o jogo correr de várias formas, nem sempre redondas, em vários campos. Vide estado dos Estádios.

A bola continua quicando. Protestos, gritos e sussurros, pedidos de impeachment, uma caminhada frustrante de gatos pingados que se jogam em qualquer abraço político correndo na estrada que ao final vai dar em nada, nada, nada nada, do que pensava encontrar, parafraseando Gilberto Gil ensinando a falar com Deus.

Uma economia em parafuso, sem rosca, um país com prego na ponta, todo dia um pássaro cantando na gaiola, uma surpresa, uma revelação. Todas com o mesmo polegar de identificação digital, feitas para um caixa, de algum número, 1-2-3, para alçar alguém, por ganhar algo, e levando o que é nosso no rabo da estrela – e que, de tão afoita, deixa a cada dia mais rastros. Fora a panela no fogo, fritando, lentamente, uns e outros que estão ainda se trocando no vestiário.

A bola pulando, quicando; picando, como se diria em Portugal. Tudo do mesmo. Quase um ano e meio da Operação Lava Jato, a novela – toda hora entra um ator – em capítulos intermináveis, que já vira uma nova Redenção e talvez até a ultrapasse em algum passe, enquanto a bola perde força a olhos vistos, ficando quadrada como o Sol que vários ainda vêem pensando se piam ou não. No cenário, uma comissão, melhor, mais uma, analisando, analisando, em embaixadinhas que ficam no mesmo lugar. E tudo virando uma bola de neve. De grude, isso sim.

No campo a escalação parece não mudar ano após ano, e o que muda são só uns de segundo time. O Brasil nunca chega lá, não finaliza a jogada. Fica tudo inacabado, um orgasmo não sentido, um coito interrompido, e uma terrível sensação de frustração por não resolvermos nem nossas primeiras necessidades e desejos. Ficamos na promessa. Ficamos na mão.

gif-bolinhaNas mãos dos bancos que nos exploram como cafetões, ou nos escravizam por dívidas marcadas em algum caderninho, e que correm céleres para frente, deslizando quando tentamos contê-las. Se for em cestas, nem as básicas – furadas que são.

Ficamos na mão do governo e seus governantes tendo ideias medíocres, ou chutando, chutando e a bola quicando com um monte de jogadores atônitos em campo, especialistas em gol contra, conversa fiada, explicações estapafúrdias. Quando a esmola é muita, o santo deve desconfiar. Temos de tentar bolar uma saída. Antes do mata-mata.

Surgem heróis todos os dias. O mais novo é bem baixinho, tem língua presa e vem de um campo de futebol. Vai meter a mão na cumbuca, no vespeiro. Apitar como juiz para ver se aparece algum outro aí de novidade. Mas temo que seja mais uma bola fora.bola_pulando_9

Aqui, onde qualquer meleca de pessoa é chamada de guerreira, louvada, ganha loas e boas. Grudadas em bolinhas de baixo das mesas, essas melecas quando descobertas já estão largadas, ninguém as assume. Seus donos já estão nas arquibancadas fazendo outras bolinhas, de chiclete mascado para grudar em alguém.

“Aqui, onde o olho mira/Agora, que o ouvido escuta /O tempo, que a voz não fala /Mas que o coração tributa” … Recorrendo ao Gil novamente, infelizmente, ainda, “O melhor lugar do mundo é aqui. E agora. Aqui, fora de perigo. Agora, dentro de instantes/Depois de tudo que eu digo/ Muito embora muito antes”…
Dizendo tudo, dizendo nada, enrolando, a bolinha vai quicando.

E a gente vai levando, a gente vai levando… E como vai.

São Paulo, campo minado e seco, com possibilidade de trovoadas, 2015

4957027Marli Gonçalves é jornalista – – Adoraria ter uma bola de cristal para saber quem vai ganhar esse jogo, afinal. Onde ele vai acabar, qual time vai sacudir a rede, nos fazer vibrar.

********************************************************************
E-mails:
marli@brickmann.com.br
marligo@uol.com.br
POR FAVOR, SE REPUBLICAR, NÃO ESQUEÇA A FONTE ORIGINAL E OS CONTATOS

Tenho um blog, Marli Gonçalves https://marligo.wordpress.com. Vai lá.
Amizade? Estou no Facebook.
Siga-me: @MarliGo

Site da Copa indica praias com tubarões para mergulho. E depois a gente fala, e eles acusam de um tudo. Desse jeito o estrangeiro não vai poder falar mal da gente quando voltar pra casa. Não voltará.

Site da Copa indica praias com tubarões para mergulho

Guga Matos/JC ImagemFONTE: uolshark on a board Animated-deep-sea-diver-with-shark-swimming-in-circles-around-him animaatjes-haaien-63112

ARTIGO – Precaução, caldo de galinha e bola nas costas. Por Marli Gonçalves

voleurbroke_man_with_empty_pockets_md_clrPelas ruas veremos grupos de atônitos estrangeiros, andando com uma corda amarrada entre si ou de mãos dadas. Talvez com capacetes, uma roupa isolante, coletes à prova de bala, um escafandro? Luvas nas mãos. O álcool em gel numa moringa presa ao pescoço. Só gostaria de fazer uma pergunta, depois de ler atentamente as recomendações que os governos de vários países estão dando aos incautos que vierem à Copa do Mundo

Você viria?

Vou fazer um resumo das recomendações dadas pelos gringos aos gringos que se atreverem a chegar nesse país aborígine, cheio de macacos, bananas e perigos insondáveis: não compre camisinhas por aqui; aliás, nem remédios, porque devem ser falsificados. Não leve prostitutas ou prostitutos para o hotel, que pode ser perigoso. Não diga! Não se hospede em andar baixo, tipo primeiro andar, de lugar nenhum. Não desgrude o olho de sua bebida, para não virar, literalmente, Cinderela, e ainda porque do jeito que as coisas estão caras seus bons drinques valerão ouro durante a Copa. Cuida do dinheiro, cabeça, corpo, membros (todos!), cartões de crédito, chinelos, bonés e óculos de sol. Não bebam água. Não encostem o bumbum na privada.

voleurAndem sempre em grupos, e cada um de vocês carregue sempre duas bolsas – uma é para o inevitável ladrão. Ah, também há o risco de raptos e sequestros e, saiba, gringo, que os criminosos daqui são violentos, surpresa! Não deixe nada à mostra, nem câmeras, nem relógios, nem joias. Nem mostre a pele, porque talvez achem que nós, brasileiros, somos todos meio tarados. E somos.

Tranque as portas e as janelas. Como somos meio símios costumamos escalar grandes alturas sem problemas.

girl_cop_chasing_thiefNão participe de protestos, manifestações. Tem muita gente e é perigoso. Inclusive, se puder evitar ir aos estádios, evite logo – lá também vai ter muita gente e pode sair confusão. Sabe como é, né? Um monte de estrangeiros de nações que se odeiam… Uma dica: carregue outra moringa pendurada no pescoço, com vinagre, que a nossa violenta polícia costuma usar gases para conter tumultos. Mas isso também pode ser útil depois de vocês comerem nossa feijoada, ou uma moqueca quente. Riscar o fósforo também ajuda.

Só peguem táxis, e que estejam na porta dos hotéis. Não perguntem, não se façam de bobos, não mostrem que são de fora – um perigo andar de bobeira nas ruas. Nós, os brasileiros, podemos atacar a qualquer momento. Não relaxem! Olha a cobra!Travel_purse

Não relaxem com sua bolsas, malas, malinhas, frasqueiras, nem com suas mulheres, namorados, bofes ou assemelhados – brasileiros são meio priápicos e podem sumir com eles para alguma praia da Bahia, tipo Trancoso, onde várias e vários desses espécimes perdidos podem ser encontrados depois dando muito para os pescadores. Assim, repetimos, não peçam ajuda. Pode aparecer alguém a fim de dar.Tourist

“Ladrões” brasileiros em hotéis e restaurantes, os batedores de carteira, as estradas de má qualidade, o transporte público clandestino, o trânsito pesado, entre outras coisas, alguns dos alertas que os estrangeiros que virão de países que até agora eu considerava mais civilizados receberam; tipo Estados Unidos, Inglaterra, França, Alemanha. Como se eles não tivessem problemas.

Outra coisa que está nesses alertas: nós, brasileiros, costumamos roubar o troco, tiramos pirulitos de crianças, roubamos a bola no meio do jogo, passamos a perna em vocês e empinamos papagaios.

journaux011E os outros perigos? Só de dengue, temos quatro tipos em franca circulação. Temos frieiras, chulé, sarampo, catapora, gripe, coceiras em geral, como sarnas. Assim, cuidado com nossos cachorros, gatos, aves, e – não esqueçam – macacos! Quer saber mais? Melhor esquecer os jogos realizados em Manaus. Lá é muito quente e perto da floresta de onde podem surgir até uns bois da cara preta que não gostam de gente de fora. Isso, claro, sem contar com os índios ainda não contatados que poderão querer contatar justo agora.

Quer saber? Melhor desistir de ir pro Rio também. Não vai ser bom andar na praia, nem visitar pontos turísticos e muito menos fazer graça e ir sambar ou funkar nos morros e favelflasheras. Estrangeiros: decorem essas letras, CV e PCC; suma onde elas estiverem marcadas. Enfim, pensando bem, também é melhor cortar São Paulo da lista. Tem uns manos por lá.

carnaval14Cuiabá é quente, a Bahia é lerda. Ceará? Antes de ir aos jogos verifique se o estádio está lá no local. Pernambuco? Atenção, tubarões e refinarias superfaturadas!

E os cremes? Protetor solar, desinfetante, repelentes. Mosquiteiros! Não tente comprar drogas – elas podem estar malhadas. Prefira vendê-las, talvez lucre mais.

royalty-free-robber-clipart-illustration-1088419Enfim, que povo horrível somos nós! Mordemos, roubamos, mastigamos, fornicamos, envenenamos. Ultimamente também amarramos em postes e soltamos buscapés. A própria FIFA, oficialmente, alertou que, entre outras coisas, não cumprimos horários, gostamos de apertar e chegar bem perto, bem suados, beijamos muuuuuuuito. Comemos muita carne nos rodízios, falamos português, não gostamos que nos confundam com argentinos, furamos fila, e a mulherada dá mole, mas não é bem assim.

Mas um dos alertas que fizeram é realmente importante: “No Brasil, as coisas são geralmente feitas no último minuto e, se existe alguma coisa que todos os turistas devem se lembrar, é: não perca a paciência e mantenha os nervos calmos (…) (…) a filosofia de vida dos brasileiros pode ser resumida com a seguinte frase: “relaxa e aproveita” (“relax and enjoy”)”. Uma ode à nossa Marta Suplicy. Mas notem bem: só se vocês, gringos, trouxerem as camisinhas…

Deixamos mesmo tudo para a última hora. Inclusive, para compensar o nosso complexo de vira-latas, só mesmo ganhando essa Copa na última hora. Para poder responder em alto e bom tom para quem chegar se achando por cima da carne seca, com graça para o nosso lado: precaução e caldo de galinha não fazem mal a ninguém.

Tomem bastante Chicken broth, De bouillon de poulet, Hühnerbrühe, Caldo de pollo.

São Paulo, onde fica o Itaquerão, e onde começará o show/dramatourist_kameraMarli Gonçalves é jornalista Nem eu sabia que o Brasil era tão ruim assim. Já pensou se os estrangeiros souberem mesmo como as coisas se passam por aqui? Alguém avisa para eles que também vai ter muito mais gente aqui do Terceiro Mundo?

********************************************************************
E-mails:
marli@brickmann.com.br
marligo@uol.com.br

Viu o tal clipe oficial da #Copa2014? Um monte de peito, bundas e nossa! o Brasil só tem gente gostosa?

Reclamam, mas deem uma olhada no tal filmete. Propaganda sexual, com as muié tudo com abajur de b… e mulatas rebolando e …
Pergunto:
– Quem é esse cara que parece o Paulo Gustavo?
– Que coisa mais ininteligível é essa?

– O que a Jennifer Lopez tem a ver com tudo isso?
Nossa, acho que detestei. Mas veja você mesmo.

Você também quer um Fuleco para chamar de seu? Então, vai ser famoso que ganha! grrrr

Fuleco para celebridades

A Copa está chegando

A Fifa vai tentar popularizar as mascotes da Copa do Mundo. Está bancando a produção de miniaturas do Fuleco para distribuir entre celebridades. Luciano Huck, Kaká, Sabrina Sato, William Bonner e Fernanda Paes Leme estão na lista da entidade para receber o brinde.

FONTE: COLUNA RADAR – VEJA ONLINE – Por Lauro Jardim