Sniff. Nossa Maria Helena Rubinato, do Blog de O Globo, resolveu fechar as portas do boteco. Vai ficar só no balcão do Noblat. Sniffff. Profundo.

Daqui, aguardarei de portas abertas e com todo o carinho os leitores lá da Maria Helena, no  http://oglobo.globo.com/pais/noblat/mariahelena/

A gente vai ter que procurá-la só lá no blog do Noblat. O bloghetto vai sair do ar no dia 20.

Veja o recado que ela postou no dia 14. Chorei, esperneei. Mas entendo e já lhe dei um beijão hoje mesmo.

http://oglobo.globo.com/pais/noblat/mariahelena/

Constrangida, envergonhada e emocionada

Em 20 de março de 2009 Ricardo Noblat, comemorando os 5 anos do Blog do Noblat, postou o seguinte em seu blog:

5 anos – O blog de Maria Helena

Suei muito a camisa para convencer Maria Helena Rubinato Rodrigues de Sousa, colaboradora deste blog desde 2005, a criar seu próprio blog sem, no entanto, me abandonar.

Consegui. E daqui a pouco o blog dela entrará no ar. Poderá ser acessado na lateral esquerda desta página, logo abaixo do blog da cientista política Lúcia Hippolito.

Maria Helena é paulistana, nascida aos 23 de setembro de 1937. Aos 2 anos foi para o Rio de Janeiro e São Paulo passou a ser uma referência querida, mas uma referência. Hoje, considera-se carioca.

Professora primária formada em 1957, fluente em inglês, francês, espanhol e italiano, com cursos nos Estados Unidos e na Suiça, inclusive de História da Arte, é tradutora.

Hoje, dedica-se a cuidar da obra e imagem de seu pai, João Rubinato, mais conhecido como Adoniran Barbosa.

Estou certo que o blog dela será uma celebração à inteligência – como são os artigos que ela publica aqui sempre às sextas-feiras.

Por sinal, Maria Helena exercerá uma dupla militância. Estará no blog dela – e no meu diariamente com seus comentários, a seção Obra-Prima do Dia e o artigo das sextas.

Quem suará a camisa a partir de hoje será ela.

* * * * * * * * * * * *

Quem me conhece de perto sabe a emoção que senti. Um texto desses, com a assinatura que tem, foi para mim a posse na Academia Brasileira de Letras, foi receber louros e foi motivo para muita choradeira. Na minha família sou conhecida como chorona, o que sou. Na alegria e na tristeza, choro paca!

Hoje, dois anos e quase 9 meses depois, tenho que confessar: não consegui honrar a confiança do Noblat.

Não deu.

Tentei, tentei muito, mas foi impossível abraçar os dois mundos com as mãos. O Blog do Noblat e o Bloghetto. E tive que escolher um dos mundos.

Escolhi o Blog do Noblat. Fazer um blog como o dele é trabalho para leão. Só quem tenta fazer um bloghetto que seja é que valoriza o trabalhão que isso é. E eu quero aliviar a carga dele. Pelo afeto que sinto por ele: é o irmão que nunca tive. Meu filho diz que é mais que isso: que Ricardo José é o irmão que ele nunca teve… Pode ser. Há mais coisas entre o ceu e a terra do que sonha nossa vã filosofia!

Vou continuar a fazer 3 coisas que adoro:

montar o post das Obras-Primas que posto na Nave-Mãe cinco dias por semana;

montar e organizar, lá também, a Hora do Recreio, um recreio que só me faz bem;

e o artigo semanal, que foi onde tudo começou.

Sei que perco um espaço maravilhoso, onde conheci muita gente boa. Sei que diminuo minha carga de trabalho e que minha saúde vai agradecer. Todas as vezes que apelei para o coração generoso de vocês tive respostas maravilhosas. E hoje volto a pedir: não esqueçam de passar pela Obra-Prima do Dia e deixar uma palavrinha, quer gostem ou não. Leiam meus artigos e me critiquem – eu vou responder. Não quero perder o convívio com vocês e sei que não vou perder.

Quando escolhi encerrar o bloghetto no dia 20 de novembro, fiz pensando na data redonda, 2 anos e 9 meses da estreia e também no aniversário de meu filho, esse escorpião que completa 40 anos! Não sabia que a reforma do portal da Globo.com seria no dia 13. O que atrapalhou um pouco meus planos. Mas creio que são as tais linhas tortas…

Esta semana será atípica. E ainda tenho que me explicar com a Marli Gonçalves e com o Carlinhos Brickmann, dois jornalistas de peso que me honraram com seus artigos esse tempo todo!

Estou exausta, emocional e fisicamente. Peço SOS. Não briguem comigo. Compreendam meu gesto.

Não vou mais falar no assunto. Do dia 21 em diante, todos na Nave-Mãe!

Um beijo e um abraço em cada um de vocês. MH