#ADEHOJE – IDEIAS DO QUE ELE PODERIA FAZER COM A CANETA. POR LÁ EM CANCÚN, POR EXEMPLO…

#ADEHOJE – IDEIAS DO QUE ELE PODERIA FAZER COM A CANETA. POR LÁ EM CANCÚN, POR EXEMPLO…

SÓ UM MINUTO – Bolsonaro disse que tem nas mãos a caneta que pode transformar a Estação Ecológica de Tamoios na “Cancún” brasileira. O lugar que ele quer destruir é um santuário, 29 ilhotas e rochedos, onde vivem animais sob ameaça de extinção como a garoupa, a tartaruga-verde e o cavalo-marinho-do-focinho-longo. Isso, e a Usina Nuclear. Não gosto de ser grossa, mas a situação geral ajuda: me digam o que ele pode fazer com essa tal caneta… Ideias não nos faltarão. Ah, coincidência… É neste local que Jair Bolsonaro foi multado em 2012 por praticar pesca ilegal.

Para completar esse governo do horror, o tal ministro Osmar Terra – pior, com a anuência de Moro – censura pesquisa da Fiocruz sobre a questão das drogas no Brasil. Toffoli tira da pauta a descriminalização. Eles querem manter o status quo dos chefes do tráfico.

Por tudo isso, já nem nos espanta a queda de 0,2% do PIB. O país anda pra trás em política, educação, saúde, economia e comportamento…

Pelo fim da violência contra a mulher. Fiocruz faz dicionário de temas.Lançamento no Rio, a partir de 9 novembro

Fiocruz publica obra sobre violência contra mulheres

Woman_boxer_2Dicionário Feminino da Infâmia

Fiocruz publica obra de referência sobre violência contra mulheres

A Fiocruz lança na próxima segunda, dia 9 de novembro, o Dicionário Feminino da Infâmia: acolhimento e diagnóstico de mulheres em situação de violência. A publicação tem o selo da  Editora Fiocruz e foi  coordenada pelo  Comitê Nacional de Pró-Equidade de Gênero e Raça da instituição.  Traz temas relevantes e atuais relacionados à luta da mulher, como aborto, estupro, redes sociais, ética feminina, trabalho, autoestima, violência, feminismo e lesfobia, entre outros. O trabalho reúne mais de cem colaboradores, pesquisadores e profissionais de universidades, agências governamentais, serviços públicos de saúde, seguridade social, segurança pública, jurídico-policiais e organizações não governamentais, que trabalharam coletivamente na seleção dos temas e elaboração dos verbetes.

Organizado pelas pesquisadoras Elizabeth Fleury e Stela Meneghel, o Dicionário feminino da infâmia traz um rico panorama dos conceitos recorrentes na pauta feminista e das mulheres e vai além, apresentando temas e significados em sua dimensão histórica, política e social. O dicionário nasceu com o objetivo de permitir o acesso a informações fundamentais para o acolhimento e cuidado com as mulheres tanto ao público leigo como às equipes multiprofissionais de saúde, assistência social, segurança e justiça que atendem mulheres em situação de violência.

Estão explicados nessa obra de referência fenômenos que envolvem os vários aspectos, tipos e cenários das  violências e também formas de resistência, além de informações sobre análises científicas que ampararam a criação de procedimentos, normas, abordagens e técnicas que hoje estão regulamentados e em funcionamento em diversos setores públicos de forma consolidada ou ainda embrionária. Além disso, houve uma preocupação importante: transmitir aos leitores as mais importantes noções sobre conceitos de liberdade, direitos humanos, justiça, aspectos da educação masculina que levam à prática da violência e outros temas.

A ideia é prover os profissionais da área pública e os cidadãos de informações sobre o que tem acontecido desde que as mulheres começaram a conquistar espaço nos planos social, político, jurídico e de cidadania. A obra traz registradas histórias de lutas que atravessaram séculos, travadas por pioneiras reconhecidas e outras anônimas, e que permitem que cada vez mais as mulheres transitem por espaços e lugares antes vetados a elas.

Sobre os verbetes

A escolha dos temas para os verbetes se deu com base em ampla e cuidadosa pesquisa, primeiro com a bibliografia de referência e, em seguida, reunindo atores sociais e políticos, pesquisadores e equipes multiprofissionais. Os verbetes apresentam, em geral, a conceituação do fenômeno, sua contextualização e desenvolvimento históricos, os desdobramentos dos movimentos realizados, principalmente pelas mulheres, para a superação de realidades adversas.

  • Serviço:women3

O lançamento será no I Seminário Pedagógico do Dicionário/RJ, que acontece nos dias 9 e 10 /11 na Fiocruz,  Campus Manguinhos. O seminário e lançamento também será realizado em Belo Horizonte, nos dias 12 e 13/11, na Academia Brasileira de Letras, que fica na Rua da Bahia, nº 1466, Bairro Lourdes.

fonte: Woman_boxer_2

Coordenadoria de Comunicação Social da Fiocruz