Com qual desses três aviões Cerveró fugiria? Um deles está à venda

Melhor do que sorvete na testa
Melhor do que sorvete na testa

Lista tríplice

A PF não terá dificuldades em achar parceiros de Delcídio na rota de fuga de Nestor Cerveró. Só há no Brasil três aviões Falcon 50, que ele citou na trama, prontos para voar: os de prefixos PP-NOB, PR-GJS e PR-WYW. Um Falcon 50 custa até US$ 5 milhões (R$ 20 milhões).

Está à venda por US$ 2,8 milhões o Falcon 50 prefixo PR-WYW, de José Paulo Ferraz do Amaral, do Multiplan, rede de shopping que doou R$ 250 mil à campanha de Dilma e R$ 750 mil ao PSDB.airplane8

fonte: DIÁRIO DO PODER – COLUNA CLÁUDIO HUMBERTO

Fuga por onde se devia lavar roupas sujas. É o Lula, se escondendo da imprensa, em Barcelona. Falou em lavanderia…

disfarçadoLula foge da imprensa

Lula conseguiu escapar da imprensa hoje em Barcelona. Ele e toda a comitiva que o acompanhava saíram do hotel escondidos pelos corredores da lavanderia.

fonte: Por Lauro Jardim

Esquina da Farme de Amoedo, com Visconde de Pirajá. Repressão marca encontro frustrado com o tráfico no Alemão. E o mundo levanta a poeira com os documentos do Wikileaks. Leia o Gabeira de hoje

Clique para ver o movimento

Gatos e ratos desmarcam encontro à moda carioca

 Vazamentos e traficantes

Fernando Gabeira

 

Dois temas, dois vazamentos, merecem ser comentados hoje. O primeiro, é o vazamento de documentos diplomáticos dos EUA, através da organização Wikileaks. Sobrou para quase todo governante do mundo a revelação de seus segredos, ou pelo menos a revelação de como a diplomacia americana os trata, nos relatórios reservados.

Interessante para o observador da política externa constatar esses sobressaltos. Na verdade, a primeira grande mudança foi o surgimento de emissoras de televisão como a CNN, acompanhada da BBC e Al Jazeera. Todas com muita ênfase nos acontecimentos do mundo, acabaram obrigando os diplomatas a saírem das sombras para os holofotes. Agora com a sucessão de vazamentos do Wikileaks, uma organização que se dedica a isto, pelo menos  já não há tantos segredos como antes. O único problema é que os vazadores terão de enfrentar os mesmos métodos que estão utilizando e a fúria de governos poderosos pode destruí-los. Pelo menos há muita promessa de repressão no ar.

O outro vazamento que intriga as pessoas é a fuga dos traficantes no Complexo do Alemão. Fala-se que utilizaram as escavações e galerias feitas pelo PAC. Duvido, mas creio que elas não servissem a este objetivo. Só estudando o terreno com cuidado.

Minha hipótese é a de que os traficantes fugiram no mesmo embalo que tomaram ao escapar da Vila Cruzeiro. Naquela noite, o cerco ainda não estava feito. O Exército decidiu colaborar no dia seguinte. Mesmo depois do cerco feito, é possível, mas improvável, que as fugas tenham acontecido. Improvável porque as pessoas arriscam muito; possível porque os cercos mais perfeitos contêm dois anéis e isto demanda muito mais gente do que a utilizada.

Agora que aconteceu a tomada do Alemão, vamos enfrentar o plenário com muito mais força, pedindo melhorias para a policia, isto é recolocando o debate da PEC300.

O Exército deve ficar seis meses no Alemão, assim como está há muito tempo em Cité Soleil e Bel-Air, comunidades haitianas. Daqui a pouco, vamos compreender aqui, o que já se compreendeu lá: será preciso substituir, gradativamente, as tropas por grupos especializados em engenharia e outras atividades socialmente importantes.

Temos uma grande vantagem sobre o Haiti. Lá é difícil encontrar equipamentos e matéria prima. Aqui temos uma retaguarda ideal.

Para não deixar traficantes fugirem, na próxima, o governo já conta com o apoio antecipado das Forças Armadas. Agora é desejar que a Conferencia do Clima em Cancún também dê um passo adiante: os debates estão se dando num país onde o tráfico de drogas chegou a um nível de violência mais trágico ainda do que a queima de carros.

FONTE: www.gabeira.com.br