Boa Tarde. Começar com Gleisi Narizinho de freira não tem preço. Olha só. Ela não sabia.

Assessor pedófilo

FONTE: http://www.bemparana.com.br/tupan/assessor-pedofilo/
por Fernando Tupan
 

Assessor pedófiloGleisi Hoffmann

povoNa primeira entrevista dada pela ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, sobre o caso de seu assessor acusado de pedofilia, Eduardo Gaievski (PT), a uma radialista de Curitiba, ela se colocou na condição de vitima dele. Para Gleisi, Gaievski teria se infiltrado sorrateiramente no governo, burlando controles da Abin e do Gabinete de Segurança Institucional, que não descobriram nada irregular na vida dele. Não é bem assim: desde 2010, Gaievski é dono de robusta ficha policial e, se consultados, há vários canais que apresentam informações sobre seus inquéritos não só de exploração sexual, mas de outros delitos, inclusive corrupção. Na Certidão Positiva da comarca de Realeza, inclusive, há uma festa de delitos do assessor.

Ela é vegan, mas come nossa carne: Gleisi Hoffmann, nossa ministra voadora, em mais um capítulo “Acontece no Paraná”

1908gleisiGleisi já usou seis vezes aviões da FAB

 
Matéria de Marco Feltrin, do Bonde, relata que os políticos do Paraná, ligados ao governo Dilma (PT), fizeram 21 voos com aviões da FAB. Gleisi Hoffmann (Casa Civil) utilizou os jatos da FAB em seis oportunidades. Gleisi fez sempre o mesmo trajeto, partindo de Brasília aos sábados para Curitiba, onde tem residência, e retornando no dia seguinte. Em duas oportunidades, o retorno teve mais passageiros do que a ida. 
 
Em 20 de julho, a ministra saiu de Brasília às 10h40 com mais uma pessoa. No dia seguinte, retornou à capital federal com mais três passageiros. Já no dia 3 de agosto embarcou para Curitiba com mais uma pessoa, tendo retornado com outras duas. 
 
Já o ministro Paulo Bernardo usou o avião da FAB em apenas uma oportunidade para retornar a Curitiba, onde tem residência. Na noite de 27 de julho, um sábado, deixou Brasília rumo a capital paranaense às 22h com mais dois passageiros. Os outros quatro voos feitos pelo ministro foram a serviço. Em Porto Velho (RO), Bernardo participou da assinatura do projeto “Infovia Rondônia”, que prevê otimização dos serviços de internet no estado. A outra viagem foi para Lima, no Peru, onde participou da reunião da União das Nações Sul-Americanas (Unasul). 
 
O deputado federal André Vargas (PT) fez nove voos com jatos da Força Aérea entre os dias 31 de julho e 4 de agosto, época em que ocupava a presidência da Câmara dos Deputados. 
 
Quatro voos foram feitos no dia 31, quando Vargas passou pelas capitais Curitiba, Salvador e Belo Horizonte para defender junto aos governadores a criação dos Tribunais Regionais Federais nos três estados, proposta que vai contra o posicionamento do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, e do presidente do Senado, Renan Calheiros. 
 
Vargas decolou do aeroporto Governador José Richa em Londrina às 7h25 com destino a Curitiba. Às 11h20, deixou a capital paranaense rumo a Salvador. Após ficar pouco mais de duas horas na capital baiana, foi para Belo Horizonte. Às 22h20, o então presidente em exercício da Câmara pousou em Brasília. Em todos os voos, ele estava com mais três passageiros. Alegando questões estratégicas, a FAB não informa quem são os acompanhantes, nem o custo das viagens. 
 
No dia seguinte, uma quinta-feira, André Vargas deixou a capital federal por volta das 19h, fez uma escala em Congonhas (São Paulo) para deixar o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e desembarcou em Londrina às 22h25, onde tem residência. Cinco pessoas estavam na aeronave. 
 
No sábado, 3 de agosto, o petista partiu rumo a Cascavel pela manhã, onde assinou a declaração de interesse para um acordo de cooperação da Câmara dos Deputados com a Câmara de Vereadores para implantação da Rede Legislativa de TV Digital no município. Ele retornou a Londrina às 16h15, trazendo mais seis pessoas. Na noite de domingo (4), o deputado voltou a Brasília com o mesmo número de acompanhantes. 
 

Paraná: Gleisi Barbie não sabe o que fazer mais para ser candidata; e a oposição bate sem dó. Olha essa: o quarto da Gleisi…

 

Qual melhor quarto para Gleisi?

 3107aninagleisi

As colunas sociais dos jornais do Paraná mostram que a exposição Casa Cor 2013, montada em Curitiba, tem uma suíte montada para a ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil) – uma homenagem das arquitetas Denise e Carolina Leal Ribas.

Os adversários da petista não perderam tempo e jogaram  outras duas versões de suíte para a ministra nas redes sociais. Veja que beleza.

Tenho bons amigos no Paraná. Me mandaram. Olha a Barbie “Gleisi” Narizinho, que coisita

1907barbie

Barbie em queda, diz PMDB*

 *Casa de boneca – *Parlamentares do PMDB se divertiam ontem enviando por SMS notícia sobre a queda de vendas da boneca Barbie. “Até a Barbie está ameaçada de cair?” Em tempo: Barbie é o apelido pelo qual os peemedebistas chamam a ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil).

 *Coluna Painel da Folha de S. Paulo desta sexta-feira, 19.*