OLHEM SÓ! 17 de maio é o Dia internacional de Combate à Homofobia! Podemos aproveitar e nos manifestar já que estaremos juntos novamente nas ruas, não?

csamento gay

Olhem só. Até o governo tem programação. Veja todas as cidades participantes:

( FONTE- COMUNICAÇÃO DA Coordenação Estadual de Políticas para a Diversidade Sexual)

COORDENAÇÃO DE POLÍTICAS PARA A DIVERSIDADE SEXUAL APÓIA NA COMEMORAÇÃO DO DIA INTERNACIONAL E ESTADUAL CONTRA A HOMOFOBIA csamento gay

Anualmente, é celebrado no dia 17 de maio o Dia Internacional de Combate à Homofobia, como alusão à data em que, em 1990, a Assembleia Geral da Organização Mundial da Saúde aprovou a retirada do código 302.0 (“homossexualismo”) da Classificação Internacional de Doenças, declarando que “a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão”. Nesta data também é celebrado o Dia Nacional de Combate a Homofobia e o Dia de Luta Contra a Homofobia no Estado de São Paulo, instituído pela Lei Estadual nº 14.462/2011.

Tendo como objetivo ampliar e interiorizar as ações alusivas a esta data, a Coordenação Estadual de Políticas para a Diversidade Sexual (CPDS), órgão ligado a Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania apoiará diversos municípios do Estado de São Paulo que realizarão atividades de mobilização no combate à homofobia e transfobia, com a disponibilização de materiais da campanha “São Paulo Contra a Homofobia”. A ação tem como foco informar a toda população sobre a Lei Estadual nº 10.948/01, que protege lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais e pune administrativamente a prática de discriminação em razão de orientação sexual e identidade de gênero, visibilizando assim um dos grandes problemas ainda vivenciados em nossa sociedade, além de lembrar as vítimas da homofobia, lesbofobia e transfobia.

Confira abaixo os municípios com atividades confirmadas que promoverão ações para marcar tal data:
Andradina Araraquara Barretos
Barueri Cubatão Embu das Artes
Itaquaquecetuba Jaboticabal Lençóis Paulista
Lins Mauá Mogi Mirim
Mogi das Cruzes Monte Alto Pontal
Santo André São João da Boa Vista Sertãozinho
Taboão da Serra Taubaté Ribeirão Pires
São José do Rio Preto São José dos Campos

Além do apoio aos municípios, a Coordenação Estadual de Políticas para a Diversidade Sexual, juntamente com a Secretaria Estadual da Cultura, por meio de sua Assessoria de Gênero e Etnias e a Comissão da Diversidade e Combate a Homofobia da OAB/SP, realizará no dia 9 de junho nas Fábricas de Cultura do Capão Redondo e do Jaçanã, atividades com as populações locais.
HELOISA GAMA ALVES
Coordenadora de Políticas para a Diversidade Sexual
Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania
Governo do Estado de São Paulo

E, já que estamos nessa…Viu o Elton John, o companheiro e o filhinho?

DO UOL E FOLHA DE SP

Elton John mostra primeiro filho em capa de revista

DE SÃO PAULO

Elton John posou com o companheiro, David Furnish, e o primeiro filho do casal na capa da revista “OK” desta semana. O bebê chamado Zachary nasceu nos Estados Unidos no dia de Natal.

John, 63, recorreu a inseminação artificial e barriga de aluguel para ter o primeiro filho com Furnish, com quem se casou em 2005 após 12 anos de relacionamento.

  Reprodução  
 
Elton John e seu companheiro David Furnish apresentam o primeiro filho, Zachary, em capa de revista

“Eu nunca senti nada parecido com isso na minha vida. Não há palavras adequadas para descrever esse sentimento”, diz o cantor à revista.

O cantor inglês, que foi acusado pela imprensa de comprar um apartamento separado para que o filho vivesse com duas babás, garante que não irá mimar o filho financeiramente.

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/862182-elton-john-mostra-primeiro-filho-em-capa-de-revista.shtml

ARTIGO – Confusões, reais, mentais, e outras

Por Marli Gonçalves

Trem bala perdida perdido, polícia sobe o morro e bandido desce, para ver a Marinha chegar. Cloaca falante ganha entrevista. Novo governo será o velho. Agressores são filmados até as pregas atacando e batendo, mas continuam “supostos”. Advogado criminal trapalhão do goleiro Bruno cai, mas porque revelou vício de crack. Dizem por aí, ainda, que a morta está viva, enquanto ninguém sabe da iraniana Sakineh. Acho que ando sacudindo demais a cabeça.

Caramba! Que dias! Ligar a televisão na Bósnia, no Afeganistão ou no Iraque deve ser mais ameno do que tentar copiar os modelos dos coletes azuis à prova de bala dos repórteres globais na linha de tiro. Vão virar moda de verão já-já. Se aumentarem o realismo, melhor tirar as crianças da sala, embora só elas devam saber melhor desviar-se das balas virtuais ricocheteando nas telas, de tanto jogarem o Wii. O Rio de Janeiro continua lindo, mas as línguas malditas ironizam que tudo é apenas planejamento governamental para lançamento de financiamento para compra de carros novos – o modelo Caveirão, o principal. Nós todos, bem no meio do tiroteio.

Em São Paulo, nada melhor. O passeio predileto para as ilhas de consumo shoppings centers pode se transformar momentaneamente em passaporte para caixões de medo, com assaltos ocorrendo mais do que pão com manteiga na padaria da esquina. Lá, na virada, onde a placa de rua está tombada porque alguém errático ou bêbado errou o freio. E assim ficará o poste mais alguns bons dias. Faz sol, chuva, venta, tem granizo, enchente, seca – tudo ao mesmo tempo agora. Não dá tempo nem de ver desenhos em nuvens.

Enquanto isso, em Brasília, os homens dizem que querem abrir a Copa. Os cartolas e Lula e os que vêm aí acham lindo Sergio Cabral e sua discurseira; falam em apoio incondicional. Policiais no cume dos morros cravam bandeiras com caveiras que lembram as escuderias do Esquadrão da Morte. Pelo menos as bandeiras cravadas na Lua devem estar lá ainda.

Nem na época de metaleira, quando sacudíamos bastante a cabeça, me vi tão confusa. Inclusive com relação à análise desses acontecimentos. Estão certos? Errados? Ataques de guerra momentâneos contra situações que levaram anos sendo claramente construídas nas nossas fuças (e avisávamos, e alertávamos) serão eficazes? No morro onde milhares de pessoas normais vivem lado a lado com bandidos, apenas duas escolas.

Me perguntam: e você, daria aula lá? Não agora, responderia, certamente que não. Mas há mais de 30 anos entrava tranquila para alfabetizar em favelas, inclusive os “contraventores”. O que há? Os bandidos eram mais civilizados? Bandidos traficantes são piores do que os bandidos sequestradores, assassinos, assaltantes? Não há mais paz possível nem entre eles e sua gente? Será que a guerra é só contra o tráfico?

Esse pensamento me provoca arrepios e as dúvidas que exponho, sem saber para que lado pender. Só girando violentamente a cabeça para ver se, primeiro, acordo deste pesadelo. Se fosse só isso… Homofobia em ascensão, atendimento de saúde em queda. Falação de projetos sociais, dezenas de moradores de rua assassinados violentamente nos últimos meses em Maceió, vidas encurtadas de forma mais rápida do que eles próprios pensaram ou tentaram.

Um novo governo eleito que, antes da posse, já é mais do mesmo. Sou otimista, pretendo acreditar na boa vontade, mas eles não ajudam. Viu ou soube da famosa “entrevista” que o presidente que vai embora “concedeu” aos blogueiros progressistas, como se auto-intitulam os chupa-ovos qualquer coisa, topa tudo por dinheiro e afagos? Não é que o Cloaca ganhou linhas e linhas de celebridade instantânea? Amou ser chamado de Cloaquinha, por Lula! E os outros? Nossa, qualquer-coisa perde. Tudo gente que passou os últimos anos mandando e-mails, excelentes para estudos psiquiátricos, se é que me entendem. Uso o Cloaquinha como exemplo e representante da laia. Saber o nome dele e o que faz só vai piorar o tal buraquinho sujo. Se você souber dos outros…

Ao mesmo tempo, a linda Irlanda não está mais às voltas com IRAs, nem a Espanha com seus ÊTAs. Agora a coisa está feia para todos. O mundo bate cabeça. Nos Estados Unidos, Obama aqui a pouco vai ser chamado de afrodescendentezinho (que eu também sei ser politicamente correta) safado. Já tomou uma cotovelada. Evo Morales já deu pernada. Chavez dá piti. Melhor pensar no casamento do Príncipe Williams. Com que roupa vai a Carla Bruni?

Para completar, sabe o que o deputado Jair Bolsonaro, aquela belezinha, andou falando? Que pais precisam agredir um filho homossexual para mudar seu comportamento. Onde que ele falou? No programa “Participação Popular”, na TV Câmara, que discutiu a “Lei da Palmada” – projeto de lei, também ridículo, que proíbe punição corporal dos pais às crianças, como se eles pudessem fiscalizar”! “Se o filho começa a ficar assim, meio gayzinho, [ele] leva um couro e muda o comportamento dele”, afirmou. Quer mais? Bolsonaro foi reeleito, pelo PP, e vai continuar lá, onde faz parte da Comissão de Direitos Humanos e Minorias. Deslize? Não! Ele reafirmou, depois: “Se o garoto anda com maconheiro, ele vai acabar cheirando, e se anda com gay, vai virar boiola com toda certeza”. Juro que não é piada.

Não dá vontade de embaralhar tudo? Desculpem, mas fui obrigada a escrever bem confusamente sobre todas essas pendengas. Agora, neste final, queria demais poder dizer “esqueça, que tudo isso é só sonho ou pesadelo”. Mas você sabe que é ainda pior. Assim, só nos resta fazer uma coisa: deitar o cabelo. Uma expressão muito usada há alguns anos e que queria dizer “ficar paralisado”, na cama, com a cabeça no travesseiro. Para não ficar tonto, nem tão confuso. Para ficar imexível. Esperar que tudo passe.

Deita o cabelo!

São Paulo, cidade atacada pelo PCC de forma diferente em 2006, traumatizada ainda em 2010, e agora não pode nem botar banca.

• (*)

Marli Gonçalves é jornalista. Até cortou o cabelo essa semana para ver se não era isso que estava esquentando muito a sua cuca. Mas ainda dá para bater o cabelo. Ou para compor um rock, hard rock, extraído das pedras furadas e ensanguentadas dos morros. Ou um blues da imensa tristeza de ver para onde caminha a humanidade.
PS: Mais um amigo/amiga se foi esta semana. No caso, amigo e amiga, que essa tinha dos dois sexos na veia. A cantora, transexual, performer, ativista dos direitos gays e maravilhosa, Claudia Wonder foi pro céu na sexta, 24. Que Deus a abrigue com carinho. Ela fez por merecer, por si e por outros e outras, durante toda a vida.
***
Estou onde você quiser me achar. No Twitter, Facebook, blog, feitos com muito esforço para ficarmos juntos mais tempo: Clicando aqui, todo dia tem novidades, defesa dos nossos direitos, gracinhas e broncas. Inscreva-se para receber os avisos de novos posts. Entre, participe, fique à vontade. Sinta-se em casa. Divirta-se. Visite o meu blog
No Twitter, esperando seguir e ser seguida: “www.twitter.com/MarliGo 
***
E-mails:
marli@brickmann.com.br
marligo@uol.com.br
***

ATENÇÃO: Por favor, ao reproduzir esse texto, não deixe de citar os e-mails de contato, e os sites onde são publicados originalmente, http://www.brickmann.com.br e no http://marligo. wordpress.com/// Aqui você encontra todos os artigos anteriores:www.brickmann.com.br
***

Alôôô! Não é hora de repensar ( direito ) essas leis? Homem é prso por beijar menino no cinema. Claro, com consentimento do próprio.

PAPO SÉRIO, NA LINHA “CHEGA DE HIPOCRISIA!”

Não me levem a mal, mas…

Vi a chamada e corri lá, apavorada, sobre que história era essa de um cara agarrar um garoto no cinema. Qual não foi minha surpresa ao achar mais um caso de !”amor”, de relacionamento homossexual.

Agora prá ser homossexual tem que ter idade, se de maior? Igual a história da professora que está sendo despedaçada no Rio de Janeiro e as entidades de defesa dos direitos caladas, mudas, bocas costuradas.

Gente, pedofilia é uma coisa. Essa aqui é outra. Parem para pensar. Mas, por favor, sem preconceitos, apenas vendo a realidade. Com 12, 13, 14 pode ser modelo internacional, né? Campeãos esportivos! Fazer e acontecer, desde que sem sexo? Garoto com garoto e garota com garota pode?

do G1 – www.g1.com.br

Jovem de 18 anos é preso por beijar garoto de 13 em cinema de shopping

Beijo consentido por menor durou 5 minutos, diz gerente em SP.
Maior responderá por estupro de menor de 14 anos, segundo a lei.

Kleber Tomaz Do G1 SP

Um estudante de 18 anos foi preso em flagrante pela Polícia Militar, na noite de quarta-feira (10), por beijar um garoto de 13 anos dentro do cinema de um shopping no bairro de Lauzane Paulista, na Zona Norte de São Paulo. O beijo durou mais de cinco minutos, segundo testemunhas, sempre com o maior abraçando o menor pelas costas. A denúncia foi feita por funcionários do centro de compras.

Apesar de o garoto ter consentido o beijo, a lei determina que menores de 14 anos ainda não respondem por seus atos. Por isso, o maior foi levado ao 13º Distrito Policial, na Casa Verde, também na Zona Norte da capital, onde foi indiciado por estupro de vulnerável. Segundo o boletim de ocorrência obtido pelo G1, o maior irá responder por crime contra a dignidade sexual e, caso condenado, poderá pegar até 14 anos de prisão.

A reportagem não conseguiu localizar o maior preso para comentar o assunto. Também não encontrou os pais do menor para falar do caso ou o shopping.

A assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo informou que o suspeito continuava detido no 13º DP no fim da manhã desta quinta-feira (11). Durante a tarde, ele será transferido para a carceragem do 72º DP, na Vila Penteado. Depois disso, o caso será investigado pelo 38º DP, na Vila Amália.

Abraçados
Ainda segundo a ocorrência, a gerente do cinema relatou que por volta das 20h os dois compraram o ingresso na bilheteria e entraram no cinema para assistir à sessão. Depois, saíram da sala e foram para a bomboniere do cinema, onde a mulher contou ter visto o maior e menor abraçados. Ela suspeitou que o jovem de 18 estivesse acariciando o de 13. Ao se aproximar, conta que os dois se beijaram. Ela então pediu para o segurança levá-los ao setor de atendimento e chamou os pais do adolescente e a PM.

À Polícia Civil, o maior contou que tem “por hábito fazer amizades através da internet, visando marcar encontros e sair com outros jovens e que já fez isso por três outras vezes”. Mas durante o interrogatório, ele não respondeu as perguntas feitas pela autoridade policial e preferiu se manter em silêncio.

O menor contou que conheceu o maior pela internet e que “marcaram um encontro no shopping para irem ao cinema e se conhecerem”. Ele negou ter sido forçado a beijar o jovem de 18 anos. “O fez por vontade própria”, relatou o garoto de 13 anos.

Procurado para comentar o assunto, o desembargador Antonio Carlos Malheiros, coordenador da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça de São Paulo, afirmou que a prisão do maior por ter beijado o menor foi correta.

“Tecnicamente é correto porque é menino menor de 14 anos de idade que está sofrendo, foi atingido por um maior de idade que está praticando com ele algum ato libidinoso. Se ele  tivesse 14 e houvesse consentimento poderia entrar em alguma indicação delituosa, como por exemplo, corrupção de menor, algo nesse sentido. Mas com menos de 14 anos, tudo agora é estupro. Agora é estupro de vulnerável para menor de 14 anos. Não é considerado pedofilia porque pedofilia é no âmbito infantil. A vítima teria de ter 12 anos de idade“, disse o desembargador por telefone ao G1.

“A legislação é nova e realmente pune com severidade esse tipo de conduta. Cabe apurar se esse fato acontecia sempre e ouvir de testemunhas“, afirmou o advogado Ricardo Cavezon,  presidente da comissão da criança e adolescente Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).