ARTIGO – Desaforos não se leva para casa. Por Marli Gonçalves

Tão de brincadeira. Ouço as ruas e me preocupo. Não ouço de um lado só; ouço o direito, o esquerdo, o desinformado; o influenciado e o influenciador. O idiota e o intelectual. A situação é esdrúxula, mas não só isso: é perigosa

Estica a corda. Estica. Uma hora ela arrebenta e é esse impasse previsível que tem deixado – a mim e a muitas pessoas às quais tenho grande apreço – mais do que preocupados, chateados e irritados. Desanimados total, achando tudo um porre, nada (nem ninguém) que preste. Estamos brincando em cima de uma panela de pressão – um país perdido sem direção e em crise econômica, institucional e vou dizer: em profunda crise existencial.

Jogadas políticas temerárias vem sendo feitas à luz do dia e na calada da noite. Alguns riem. O resultado do placar é que aparece diferente para cada plateia. De um lado, os estupefatos que aceitam as provocações e acham que a solução é fechar o tempo de vez, sem entenderem que a História não deve nem precisa voltar atrás aos tempos obscuros, cavernosos e sangrentos vividos, tempos que teimam em negar como se realidade não tivessem sido. Nesse grupo há ainda os crédulos em justiceiros falastrões para quem – os que o criticam – somos analfabetos, sem ter ideia de quantos milhões o são mesmo, sem solução, e que podem votar, mas não podem ser votados para lutar contra isso.

De outro, a jogada mais radical, feita para a torcida única de bandeirinha na mão que acha que só ela sabe o que é que é bom, o que é pobre, miséria, justiça social, arte engajada, e insiste em criar caso até o fim no que não será possível, infelizmente, de forma alguma, que seja executado em paz – essa é a certeza: a candidatura de Lula, o encarcerado que mais recebe visitas que podem ser chamadas de íntimas – sem sexo, e com grande incontinência verbal.

Tapas sequenciais na cara. E ninguém está a fim de virar o outro lado para ser esbofeteado de novo.

Deixe os meninos brincarem – diria um sábio ancião, observando esse caso lá de cima de uma montanha, de onde já não mais precisa descer para votar nesse tutti-frutti absurdo e desconexo de cabo a rabo que se apresentará nas urnas. Diria mais: que eles precisam sempre regar o grupo deles, para não perderem mais do que já perderam nesses últimos anos, os que despertaram do torpor infantil emanando da plantação do canto esquerdo do rio. Jogar para a galera é o que fazem.

Só que os meninos estão justamente brincando com fogo porque querem se queimar, há entre eles muitos que – nem um pouco meninos – sabem ser o choque inevitável e para lá exatamente por isso encaminham a comissão de frente. ONU. ONU? Isso é que é atirar para todos os lados. Nunca os vi mexer o traseiro para situações vexatórias de miserê.

Teremos dias exóticos, ainda mais exóticos, quero dizer, pela frente. Vamos observar. Debates e entrevistas, os mais divertidos. Uma das melhores coisas é lembrar que a maioria das perguntas que uns fazem aos outros e que os jornalistas cutucam não têm o menor interesse de verdade para a gente a resposta, a não ser por futrica. Ver se um vai dar uma bifa na cara do outro; se o efeito do calmante vai passar, se o sangue vai subir, se gravata combina com o terno, que inclusive está tudo muito masculino para o meu gosto, se plantaram ou pintaram cabelo é o que dá a audiência.

E o que é pior, se perguntássemos ou se a conversa girasse apenas sobre as suas propostas para o Governo, seria menos constrangedor o silêncio.

daria-mtv-foot-tapping-waiting-impatient

________________________________

Marli Gonçalves, jornalista – Que essa corda seja resistente e não rompa.

marli@brickmann.com.br; marligo@uol.com.br

2018

RIP MARIO CHAMIE. MAIS UM POUCO DA INTELIGÊNCIA SE ESVAI.

do UOL – http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/938308-morre-mario-chamie-poeta-e-ex-secretario-de-cultura-de-sao-paulo.shtml

Morre Mário Chamie, poeta e ex-secretário de Cultura de São Paulo

DE SÃO PAULO

Atualizado às 16h09.

Morreu aos 78 anos o poeta e ex-secretário de Cultura de São Paulo Mário Chamie. Segundo a família, Chamie estava hospitalizado desde a última quarta-feira no Hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo, e sofreu uma parada cardíaca na manhã de hoje.

Ele tinha câncer de pulmão e estava sendo submetido a quimioterapia.

O enterro está marcado para as 9h desta segunda no cemitério do Araçá, em São Paulo. Ainda não há informações sobre velório.

Chamie lançou seu primeiro livro de poesia, “Espaço Inaugural”, em 1955. Em 1962, lançou “Lavra, Lavra”, livro fundador da poesia práxis e vencedor do Prêmio Jabuti.

Foi secretário municipal de Cultura entre 1979 e 1983 e foi um dos responsáveis pela criação do Centro Cultural São Paulo e da Pinacoteca do Estado.

O poeta deixa uma filha, a cineasta Lina Chamie.

  Bel Pedrosa – 2.mar.94/Folhapress  
O poeta e ex-secretário municipal de Cultura Mário Chamie, que morreu neste domingo
O poeta e ex-secretário municipal de Cultura Mário Chamie, que morreu neste domingo

REPERCUSSÃO

“Era um grande amigo. Além de ser um poeta inventivo, muito experimental, o Chamie foi um ser humano muito especial. Perdi um amigo e a poesia brasileira perdeu um poeta”, lamenta o poeta Ferreira Gullar.

Para José Renato Nalini, secretário-geral da Academia Paulista de Letras, Chamie era um dos mais brilhantes acadêmicos da APL. “Cada intervenção dele nas reuniões era uma verdadeira aula. Era um intelectual muito corajoso.”

“Chamie foi uma das grandes figuras culturais de São Paulo surgidas na metade do século 20. Foi um imenso poeta, um originalíssimo ensaísta e um dos mais marcantes secretários de Cultura que a cidade já teve”, diz Amir Labaki, diretor do É Tudo Verdade e articulista da Folha.

Para a escritora Lygia Fagundes Telles, ele foi um “grande poeta” muito original. “Foi meu colega na faculdade de direito do Largo de São Francisco. Tinha também uma personalidade muito polêmica, opiniões muito forte”, conta.

Intelectuais e Artistas: quem apóia quem. As listas. A azul e a vermelha

Site de Luciano Pires lista os intlectuais e artistas que apóiam cada uma das candidaturas.

Tem até gente boa dos dois lados, mas repara só como tem “patrocinados”, apaniguados e outros na lista da Dilma

Fui lá e busquei as listas.Os manifestos? Vai no www.lucianopires.com.br

1. APÓIAM SERRA

Affonso Romano de Sant’Anna
Alda Ruth Vidigal
Almino Monteiro Álvares Affonso
Amaury de Souza
Ana Maria Diniz
Ana Maria Tornaghi
André Franco Montoro Filho
André Sturm
André Urani
Andrea Calabi
Angela Maria
Angélica M. de Queiroz
Angelo Luiz Cortelazzo
Antonio Bueno
Antonio J. Barbosa
Antônio Márcio Fernandes da Costa
Antonio Octávio Cintra
Aristides Junqueira
Armando Castelar Pinheiro
Arnaldo Jabor
Beatriz Segall
Bolívar Lamounier
Boris Fausto
Carlos Henrique de Brito Cruz
Carlos Henrique Ferreira de Araujo
Carlos Velloso
Carlos Vereza
Carlos Vogt
Célia Melhem
Celso Lafer
Charles Gavin
Chitãozinho & Xororó
Cibele Yahn Andrade
Claudia Camara
Claudio Botelho
Claudio Salm
Cléo De Páris
Cristina Motta
Davi Araújo
Denise Gomes
Dominguinhos
Dora Kaufman
Dori Caymmi
Efrem de Aguiar Maranhão
Elza Berquó
Everardo Maciel
Fabio Magalhães
Fabio Penna
Fafá de Belém
Fátima Duarte
Fernando Durão
Fernando Gabeira
Ferreira Gullar
Francisco Weffort
Gabriela Duarte
Gilda Gouvea
Giulia Gam
Glória Menezes
Guilherme Coelho
Guiomar Namo de Mello
Gustavo Franco
Gutemberg Guarabira
Hamilton Dias de Souza
Haroldo Costa
Heleno Severo
Hélio Bicudo
Henrique Bloch
Henrique Theodore Bloc
Hubert Alquéres
Ilana Novinsky
Ines Carvalho
Ivam Cabral
Ivan Cardoso
Ivan Lins
Ives Gandra Martins
Iza Locatelli
Izabelita dos Patins
Jacob Kligerman
João Batista de Andrade
João Sayad
Joelma
José Arthur Gianotti
José Carlos Costa Netto
José Carlos Dias
José Goldemberg
José Gregori
José Henrique Reis Lobo
José Julio Senna
Jose Pastore
José Salles dos Santos Cruz
Josier Vilar
Juca de Oliveira
Junior
Leiloca
Leonel Kaz
Leonardo Medeiros
Leonardo Monteiro de Barros
Leôncio Martins Rodrigues
Luciano Benévolo de Andrade
Luiz Alberto Py
Luiz Cezar Fernandes
Luiz Felipe d’Avila
Luiz Sérgio Henriques
Luiza Carolina Nabuco
Lulu Librandi
Luzia Herrmann de Oliveira
Lya Luft
Maílson da Nóbrega
Maitê Proença
Marcelo del CimaMarcelo Knobel
Marcelo Madureira

Marco Antonio Villa
Marco Aurélio Nogueira
Marcos Mendonça
Marcos Moraes
Marcus Vinicus Andrade
Maria do Alívio G. S. Rapoport
Maria Helena Gregori
Maria Helena Guimarães de Castro
Maria Inês Fini
Maria Laura Cavalcanti
Maria Teresa Sadek
Marielza Pinto de Carvalho Milani
Mario Brockmann Machado
Mário Chamie
Mário Miranda Filho
Mário Vedovello Filho
Maristela Kubistchek
Marly Peres
Maurício Paroni de Castro
Mauro Mendonça
Michelangelo Trigueiro
Miguel Reale Jr.
Moacir Japiassu
Nana Caymmi
Narjara Tureta
Patrizia Suzzi
Paulinho Vilhena
Paulo Henrique Cardoso e Van Van
Paulo Renato Souza
Pedro Hertz
Pedro Malan e Catarina
Regina Duarte
Ricardo Azevedo
Rick & Renner
Roberto Mello
Rodolfo Garcia Vázquez
Rodrigo Lopes
Ronaldo Bastos
Rosamaria Murtinho
Sandra de Sá
Sandy
Sérgio Besserman
Sergio Bianchi
Sérgio Famá Dantino
Sérgio Fausto
Sérgio Reis
Simon Schwartzman
Stephan Nercessian
Suely Grisanti
Tânia Brandão e David
Tarcisio Meira
Teresinha Costa
Tereza Mascarenhas
Terezinha Zerbini
Thaila Ayala
Therezinha Sodré
Tonia Carreiro
Trovadores Urbanos
Vera de Paula
Vera Gimenez
Vera Vedovelo de Britto
Vitor Martins
Walter Franco
Walter Rocha
Zelito Viana

2. APOIAM DILMA

Leonardo Boff
Chico Buarque de Holanda
Oscar Niemeyer
Aderbal Freire Filho – diretor de teatro
Alcides Nogueira – dramaturgo e roteirista
Alcione – cantora
Aldir Blanc – compositor e escritor
Álvaro Caldas – jornalista
André Klotzel – cineasta
André Luiz Oliveira – cineasta
Anne Pinheiro Guimarães – cineasta
Antonio Grassi – ator
Argemiro Ferreira – jornalista
Armando Freitas Filho – poeta
Beth Carvalho – cantora
Beth Formaggini – cineasta
Carlos Augusto Brandão – crítico de cinema
Carlos Brandão
Celso Frateschi – ator e diretor
Chico Cesar – cantor e compositor
Chico Diaz – ator
Claudia Furiati – historiadora e escritora
Cláudio Baltar – diretor
Cristina Buarque de Hollanda – cantora
Daniel Sroulevich – produtor cultural
Daniel Souza – designer e empresário
Dau Bastos
Débora Duboc – atriz
Dira Paes – atriz
Domingos de Oliveira – diretor teatral, cineasta
Edgar Vasques – cartunista
Ednardo – cantor
Eduardo A. Russo – crítico de cinema
Eduardo Figueiredo – produtor teatral
Eric Nepomuceno – jornalista e escritor
Eryk Rocha – cineasta
Felipe Radicetti – compositor
Geraldo Moraes – cineasta
Geraldo Sarno – cineasta
Helena Sroulevich – produtora cultural
Helvécio Ratton – cineasta
Hermano Figueiredo – cineasta e cineclubista
Hugo Carvana – ator e cineasta
Janaina Diniz – cineasta
Jesus Chediak – cineasta e produtor cultural
João Bosco – cantor e compositor
João Carlos Couto – dramaturgo e produtor teatral
Joel Pizzini – cineasta
Jorge Furtado – cineasta
José Joffily – cineasta
José Roberto Filippelli
Karen Acioly – diretora teatral
Leopoldo Nunes – cineasta e agente cultural
Lucélia Santos – atriz
Lucia Murat – cineasta
Lúcia Rocha – curadora do Tempo Glauber
Lucília Garcez – escritora
Lucy Barreto – produtora
Luiz Antonio de Assis Brasil – escritor
Luiz Carlos Barreto – produtor
Luiz F. Taranto – jornalista e cineasta
Luiz Fernando Lobo – diretor artístico e ator
Luiz Fernando Lobo – diretor teatral
Manfredo Caldas – cineasta
Marcelo Laffitte – cineasta
Marcos Souza – músico e jornalista
Mariana Lima – atriz
Marieta Severo – atriz
Marília Alvim – cineasta
Mario Prata – escritor e dramaturgo
Marquinhos de Oswaldo Cruz
Maurice Capovilla – cineasta
Maurício Machado – ator
Miguel Paiva – escritor e humorista
Miúcha – cantora
Monarco – compositor
Monique Gardenberg – cineasta e diretora de teatro
Murilo Salles – cineasta
Nelson Sargento – compositor
Nei Lopes – compositor e escritor
Noilton Nunes – cineasta
Orã Figueiredo – ator
Otto – cantor e compositor
Paloma Rocha – cineasta
Paula Gaitán – cineasta e artista plástica
Paulo Betti – ator
Paulo Halm – roteirista e cineasta
Pedro Cardoso – ator
Raquel Karro – atriz
Ricardo Cota – Secretário de Comunicação do Governo do RJ
Ricardo Cravo Albin – jornalista, historiador e pesquisador da MPB
Ricardo Gontijo – jornalista
Roberto Berliner – cineasta
Roberto Gervitz – cineasta
Roberval Duarte – cineasta e produtor cultural
Rodrigo Targino – cineasta
Rogério Correa – cineasta
Rosa d`Aguiar Furtado – jornalista, tradutora (viúva de Celso Furtado)
Rosemary – cantora
Rosemberg Cariry – cineasta
Rubens Rewald
Ruth Rocha – escritora – nega ter assinado. DIVULGOU CARTA EM APOIO A SERRA
Ruy Guerra – cineasta
Sandra Werneck – cineasta
Sara Rocha – produtora de cinema
Sérgio Sá Leitão – cineasta e administrador público
Silvia Buarque de Hollanda – atriz
Silviano Santiago – escritor
Sylvia Moreira – arquiteta, cenógrafa
Tata Amaral – cineasta
Tia Surica -sambista
Toni Venturi – cineasta
Tuca Moraes – atriz e produtura
Vania Cattani – cineasta
Vicente Amorim – cineasta
Vinícius Reis – cineasta
Vladimir Carvalho – cineasta
Wagner Tiso – músico
Walter Carvalho – cineasta
Walter Lima Júnior – cineasta
Wolney Oliveira – cineasta
Ziraldo – desenhista, escritor, pintor
Frei Betto
Emir Sader
Álvaro Caldas – jornalista
Ricardo Gontijo – jornalista
Regina Zappa – jornalista e escritora
Padre Ricardo Rezende
Paulo Sergio Niemeyer
Vera Niemeyer
Tulio Mariante – designer