ARTIGO – Máscaras, Carnaval e nossas agonias. Por Marli Gonçalves

Uma pressa que pode nos custar muito caro essa de liberar o uso de máscaras justamente nesta época e quando surgem novas ondas em todo o mundo, que podem rapidamente se transformar em tsunamis. Estamos em um país descontrolado e agora mais uma nova e terrível cepa liga o alarme da prudência em volume máximo

  Aconteceu exatamente assim no ano passado, lembram? Quando as coisas começaram a melhorar um pouco o povo já botou as manguinhas de fora incentivado pelos malucos negacionistas e ignorantes que nos desgovernam. O resultado: 2021 foi um massacre, e logo em abril o número de mortes já ultrapassava as ocorridas em todos os meses anteriores. Já chegamos em 614 mil mortes, ao todo. Diga esse número em voz alta, para entender o tamanho. Lembre de quantas pessoas perdeu; perdemos. E não aprendemos.

Parece até que queremos um repeteco, e não haverá fogos de artifício, pular sete ondinhas, fantasia e samba no pé, bloquinho e desfiles que mostre acerto nas decisões que vêm sendo anunciadas. Isso, claro, quando há alguma decisão.

Antes até da liberação – aqui em São Paulo prevista para 11 de dezembro o fim do uso de máscaras em locais abertos – já está insustentável e visível que os cuidados estão sendo largados pelos caminhos. Basta olhar o número de máscaras jogadas pelo chão nas ruas, como exemplo. A dificuldade de termos de explicar para os engraçadinhos em que data estamos. Nas academias – a que frequento me dá uma boa ideia – as máscaras caem dos narizes; os funcionários enfrentam o ódio quando alertam os egoístas seres. Tem mais essa: alguns alunos cariocas, e como lá liberaram a farra, os caras querem esticar o mapa e usar isso como argumento, acredite quem quiser.

Ultimamente as pessoas não ouvem as notícias inteiras, assim como, também, ou só leem as manchetes ou só o que lhes convém. Fazem questão de não assimilar a realidade. Tristeza maior é ver jovens não indo se vacinar, ou ainda “esquecendo” o calendário da segunda dose. Deprimente ver pessoas que além de não se vacinarem, ainda saem por aí fazendo campanha mentirosa contra as vacinas, ou mesmo disfarçando que tomaram, já que, do meu ponto de vista, na realidade está praticamente nulo esse controle.

Nesses tsunamis, vacinas ainda são a nossa única tábua de salvação. Eu conto ou vocês contam que, se nem quem tomou as três doses, como é o meu caso, está totalmente garantido, imaginem eles! Pior, podem estar, como nos piores filmes de ficção, andando por aí, sendo os agentes da morte, de transmissão. Vermes.

Estamos no fim de mais um ano bem difícil, onde já não há mais espaço nem para piorar. Inflação crescente comendo nossos tornozelos, miséria grassando, violência aumentando, sistemas em colapso. Governo que continua testando nossa paciência de uma forma nunca vista. Entrada de ano eleitoral, com personagens surgindo e sem propostas viáveis para qualquer via de direção.

Uma grande campanha agora seria “Vamos salvar 2022”. Mas pelo visto vamos ter de apelar mesmo é para Todos os Santos, e em nome de nossa saúde mental.

Ou você ainda não reparou que está todo mundo meio que pirando por aí?

___________________________________________________

Marli GonçalvesMARLI GONÇALVES – Jornalista, consultora de comunicação, editora do Chumbo Gordo, autora de Feminismo no Cotidiano – Bom para mulheres. E para homens também, pela Editora Contexto.  (Na Editora e na Amazon). marligo@uol.com.br / marli@brickmann.com.br

___________________________________________

 (se republicar, por favor, se possível, mantenha esses links):
Instagram: https://www.instagram.com/marligo/
No Twitter: @marligo
Blog Marli Gonçalves: www.marligo.wordpress.com
No Facebook: https://www.facebook.com/marli.goncalves

ARTIGO – Pesadelos no país tropical. Por Marli Gonçalves

O Sol escancarado, o céu azul, a temperatura amena, as noites fresquinhas, quase tudo o que a gente poderia precisar para ser feliz. Mas quem consegue? Com sobressaltos de dia, de tarde, de noite… e de madrugada! Os sonhos são estranhos, os pesadelos reais. Os dias, o tempo, o futuro, alterados.

Mauvais rêve | Mon petit nombril

Nas ruas, um bando de gente louca continua andando pra lá e pra cá sem máscara, ou com ela, digamos, posta ou pendurada em lugares bem estranhos. Precisa dizer que não precisa tirar para falar ao celular? Que máscara é feita para cobrir o nariz e a boca, os principais meios de transmissão dessa doença maldita que veio bagunçar o coreto mundial coma música tenebrosa do terror? Que o horror é invisível?

O inverno deve ser longo: arrebatou o verão, o outono e já se anuncia na primavera do ano que não mais esqueceremos. Ultrapassamos oficialmente um milhão de infectados, quase 50 mil mortos. Por essas e outras que parece que a cada dia, as coisas pioram, e não é só no número, mas com o bagunçado afrouxamento das regras da quarentena, com a forma que as informações (não) são entendidas e em um momento tão delicado.

Pegam o mapa e colorem: vermelho, laranja, amarelo. Regras são baixadas alegremente como se nosso povo fosse suficientemente esclarecido para segui-las sem a devida fiscalização, que todos sabem que não haverá, ou se ocorrerem, só pescam as sardinhas tentando fugir de tubarões. Um dia se fala uma coisa; no outro, já não é mais. Fora as medidas que só podem nos fazer gargalhar, tipo aquela de que os ônibus só poderiam circular com as pessoas sentadas – e que não levou em conta, por exemplo, que ninguém anda querendo sentar nem ao lado, nem no quentinho de outras pessoas. Tem quem prefira só pegar nos ferros; depois limpar as mãos. Por aqui em São Paulo, já caiu essa medida também. Não, ninguém mandou aumentar a frota, para evitar aglomeração e gente pendurada; e os horários escalonados estão bem doidos. As portas se abriram, e as pessoas precisaram sair, com sua fome, seus medos, suas obrigações.

Outro dia, onde entrei, encontrei uma figura, uma mulher – que deixo pra vocês bem imaginarem suas divertidas formas e triste tipinho –  toda metida, sentada no meio de mais gente, sem máscara, e que ousou ficar toda irritada e emproada porque perguntei na hora a ela se era possível que pusesse, então, um farol verde sobre sua “linda” cabeça, já que, ríspida, disse que já tinha contraído o vírus e não precisava mais usar. Ela fechou a cara. Portanto…Volto a perguntar: e vocês acham mesmo que sairemos melhores dessa? Infelizmente o que tenho visto está na linha do “cada um por si”, e já nem falo em Deus, porque nem Ele deve estar acreditando o quanto seu Santo Nome vem sendo clamado em vão.

Meu lado diabinha tem pensado seriamente em começar a espirrar e tossir bem perto desses seres, só de sacanagem. Mas na verdade me sinto – e vejo muita gente que conheço da mesma forma – cada vez mais preocupada e isolada, até para evitar aborrecimentos, já que não tenho um pingo de sangue de barata em minhas veias.

O mesmo sangue que simplesmente ferve ao acompanhar a escalada vertiginosa da crise política. Que chega ao cúmulo do cúmulo, acumulando as digitais de um presidente cada vez mais insano e sua família e equipes envolvidos em tudo de ruim, perdidos, tentando justificar malfeitos diários, muitos até mais antigos, revelados pela imprensa que odeiam com todas as forças.

Dizer que o país está à deriva é pouco: todo o futuro está comprometido. Olha as áreas de Educação e Saúde, os desatinos da área econômica, o relacionamento diplomático, agora também estamos mandando lixo para instituições mundiais, como é o caso do ex-ministro Abraham Weintraub. Os poderes se digladiam entre si, as forças militares se assanham ocupando alguns postos chave. Saqueadores de outrora se aproximam, sedentos e cobrando caro para serem muletas e esteios de poder.

Enfim, um pesadelo, como os que vêm ocorrendo em nossas noites de sono e insônia, desses, que estamos caindo em um abismo, sendo perseguidos, gritando por socorro sem seremos atendidos, pendurados numa corda puxada de um lado e de outro.

O problema é que a tal corda puxada e que se estica está mesmo enrolada em nossos pescoços. O que descobrimos todos os dias, bem acordados. Apavorados.

– “Pamonhas, pamonhas, pamonhas” – um carro com alto-falantes passa agora aqui em frente, percorrendo as ruas. Essa realidade é mesmo muito dura em seus sinais.

_________________________________________

MARLI GONÇALVES – Jornalista, consultora de comunicação, editora do Chumbo Gordo, autora de Feminismo no Cotidiano – Bom para mulheres. E para homens também, pela Editora Contexto. À venda nas livrarias e online, pela Editora e pela Amazon.

marligo@uol.com.br / marli@brickmann.com.br

_____________________________________________________________

ME ENCONTRE, ME SIGA, JUNTOS SOMOS MAIS
 (se republicar, por favor, se possível, mantenha esses links):
Instagram: https://www.instagram.com/marligo/
Blog Marli Gonçalves: www.marligo.wordpress.com
Chumbo Gordo (site): www.chumbogordo.com.br
No Facebook: https://www.facebook.com/marli.goncalves
No Twitter: https://twitter.com/MarliGo
YouTube: https://www.youtube.com/c/MarliGon%C3%A7alvesjornalista
(marligoncalvesjornalista – o ç deixa o link assim)

#ADEHOJE – – O MUNDO OLHANDO DE ESGUEIRA PARA O BRASIL

#ADEHOJE – – – O MUNDO OLHANDO DE ESGUEIRA PARA O BRASIL

 

SÓ UM MINUTO – Os olhos queimam, anda difícil de respirar, o céu do dia virou noite em São Paulo, a água da chuva preta, preta. E eles negam. As lojas fecham, ninguém tem dinheiro para nada. E eles dizem que está tudo bem. Agora, o homem que nos desgoverna tem coragem de acusar as Ongs pelas queimadas que há tanto tempo denunciamos. A ignorância não tem limites. Gente que não entende nada, patavinas, é posta em locais chave, inclusive na área de educação. A cultura, coitada, também atacada…

Até quando? Parece que amanhã, sexta, tem manifestação pe4la Amazônia. Concentração no Masp, seis da tarde. Confirmem

#ADEHOJE – FALOU O QUE PENSA? DEMITIDO

#ADEHOJE – FALOU O QUE PENSA? DEMITIDO

 

SÓ UM MINUTO – Esse grupo que está no comando do Governo de Jair Bolsonaro não sabe diferenciar o que é Governo e o que é Estado. Não respeita suas próprias agências e institutos. Não acolhe (e nem pergunta, na verdade) suas opiniões. O resultado é algo como o que ouvimos hoje. Diretor do INPE, Ricardo Galvão, exonerado após fala sobre o Presidente Bolsonaro. Fala essa, inclusive, absolutamente verdadeira. Mas hoje, em reunião como o Ministro da Ciência e Tecnologia, o astronauta Marcos Pontes, foi saído, embora seu mandato terminasse só o ano que vem.

A pendenga foi direta com o Bolsonaro e com o Ministro do Desambiente, Ricardo Salles, envolvendo os dados terríveis sobre o desmatamento, que chocam o mundo inteiro e nos levam a mais um problema internacional. Ô, gente! ÓXENTE, Feliz dia dos Nordestinos.

#ADEHOJE – UM BOLSONARO DIPLOMATA?

#ADEHOJE – UM BOLSONARO DIPLOMATA?

SÓ UM MINUTO – Que vergonha! Não vai parar, né? O presidente Jair Bolsonaro na vai parar de nos atormentar com tosquices, creio. Agora essa. Dar de presente de aniversário ao filho Eduardo Bolsonaro, deputado federal pelo PSL de São Paulo a embaixada mais importante, dos EUA, em Washington. Ah, mas ele fala inglês! Ah, mas ele fala espanhol! E essa? Amigo da família do Trump! Esse menino é um bronco, representante do que há de pior em ideias e atos. Evangélico, 35 anos, 1m85 de altura, olhar seco e armado até os dentes. Deus nos livre dos Filhos do Capitão.

Nepotismo, por incrível que pareça não é o mais sério nessa história. É o arrojo com que essas ideias são lançadas dentro de um país em crise e em um momento tão delicado. Já gastaram mais de um bilhão e meio em liberação de emendas para aprovar a tal reforma da Previdência. Tirando dinheiro de programas fundamentais, como saúde e educação.

Não é possível que tal metade da laranja que acha que tudo que Bolsonaro faz é lindo continue nessa toada.

Qual será a reação nacional? As pessoas estão dormentes?

#ADEHOJE – BOLSONARO CAI MAIS NA PESQUISA E NA CONSIDERAÇÃO INTERNACIONAL

#ADEHOJE – BOLSONARO CAI MAIS NA PESQUISA E NA CONSIDERAÇÃO INTERNACIONAL

 

SÓ UM MINUTO – O presidente Jair Bolsonaro deve estar muito descompensado, para não dizer outra coisa, mais ainda depois da prisão do sargento com 39 quilos de cocaína no avião da comitiva presidencial. No Japão, respondeu grosseiro à primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, que havia criticado a defesa que o Brasil faz da Amazônia. O presidente da França, Emmanuel Macron já avisou que não assinará nenhum acordo comercial com o Brasil caso o presidente Jair Bolsonaro saia do acordo climático de Paris, ameaçando colocar em risco os trabalhos de negociações comerciais entre União Europeia e Mercosul. Vamos vr o que o homem que nos desgoverna vai responder a isso. Vocês lembram quando a Dilma tentou ensinar economia para a Alemanha? É cada presidente que a gente tem suportado!

Para completar o mau humor do homem, hoje o Ibope divulgou pesquisa feita a pedido da CNI. Resultado? Claro! Caiu mais ainda aprovação ao governo, foi pra 32%, a mais baixa desde a posse. Agora, olha só, nessa pesquisa, o registro de ruim/péssimo subiu cinco pontos: 27% para 32%…

Também, é TODO DIA – TODO DIA têm acontecimentos lamentáveis. Ê, tosqueira!

 

#ADEHOJE, #ADODIA – NOSSAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS…E BOLSONARINHOS MATRACAS

#ADEHOJE, #ADODIA – NOSSAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS…E BOLSONARINHOS MATRACAS

 

O Brasil está no noticiário internacional por vários motivos. Cutuquei, cutuquei e não achei nenhum bom motivo. João de Deus, porque atende a um grande número de estrangeiros. Cesare Battisti, o sumido, porque a Itália quer porque quer e até já deixou um avião paradinho para extraditá-lo. O Capilé, traficante perigoso preso no Paraguai (não, não é aquele Capilé das manifestações, que sumiu, nunca mais ouvi falar dele). Bom, tem mais: Cuba e Venezuela países “desconvidados” para a posse. Argentina chateadíssima mandará alguém, do quinto escalão, porque acha que não estamos tratando bem do maior parceiro comercial. Mais? A questão da embaixada em Jerusalém e atritos com Oriente Médio. E mais falação das matracas dos Bolsonarinhos obrigam o pai sair de casa para amenizar a situação, negar, explicar. Agora o empedernido Eduardo Bolsonaro, eleito deputado federal, junto com aquelas figuras assustadoras do PSL – Joyce, Frota, etceteras – dando a entende que o país fixará pena de morte para traficantes igual à Indonésia. Isso fora nossas decisões com relação ao clima, o namoro com Trump…Socorro, Mundo, desculpe aí, que a gente vai tentar melhorar!

 

Homem invade o “Libé” (Paris/França), dispara e fere gravemente jornalista

SOCORRO! DO JEITO QUE OS NERVOS ANDAM , DAQUI A POUCO CHEGA AQUI UMA BARBARIDADE DESSAS
Homem armado invade jornal francês e deixa editor ferido

WantedHomem abriu fogo na entrada da sede do jornal Libération, em Paris

Um homem armado abriu fogo na entrada da sede do jornal francês Libération, em Paris, realizou disparos e feriu gravemente um assistente de fotógrafo antes de fugir.

O diário informou que a vítima, de 27 anos, está em estado grave. Fabrice Rousselot, editor do Libération, informou que testemunhas do episódio disseram que o homem não disse nada durante o breve período de tempo em que esteve na entrada do escritório, na manhã desta segunda-feira.

Yoann Maras, do sindicato policial Aliança, disse que o homem atirou com uma espingarda e feriu a vítima no peito e no braço. Segundo a emissora de televisão BFM-TV, as autoridades comparam imagens de circuitos de segurança gravadas nesta segunda-feira com outras, feitas na sexta-feira, quando um homem armado ameaçou jornalistas na sede do canal e também fugiu. AP

fonte: DIÁRIO DO PODER