Começando o dia com Dona Marta e seus desfeitos. Veja essa. Lewandowski, prioriza!

 

chevaux-04Na gaveta

Assoberbado com o julgamento do mensalão, o ministro Ricardo Lewandowski não teria tido tempo de colocar em julgamento uma denúncia contra a ministra Marta Suplicy.

Quando prefeita de São Paulo, a petista contratou por R$ 3 milhões ONG que ela própria fundou, para serviços didáticos à rede municipal de ensino.

FONTE: COLUNA DE AZIZ AHMED – O POVO/RJ

VEJA ESSA CARTA.EM PROL DO VERDADEIRO RELAÇÕES PÚBLICAS, A INSUPERÁVEL LALÁ ARANHA. MANIFESTO CONTRA O LEWANDOWSKY, QUE ANDOU PENSANDO E FALANDO BESTEIRAS SOBRE A PROFISSÃO

LALÁ ARANHA – tive a honra de com ela trabalhar, ela como presidente, na AAB, Hill & Knowlton do Brasil. Toda a minha admiração à essa grande profissional, com quem aprendi também a ser RP

 ———————————-

Rio de Janeiro, 3 de setembro de 2012

Exmo. Senhor Ministro do Supremo Tribunal Federal                                                                                                                                                                                                                                     Dr. Enrique Ricardo Lewandowski                                                                                                                                                                                                                                                                Supremo Tribunal Federal               

Senhor Ministro:

Pelo presente, venho manifestar minha contrariedade quando, no Jornal Nacional de hoje, tomei conhecimento de seu voto por gestão fraudulenta à direção do Banco Rural. Minha oposição não é contra o voto, ao contrário. Mas quanto ao fato de ter qualificado o publicitário Marcos Valério, apontado como operador do mensalão, como “um agente de negócios, um relações públicas do Banco Rural”.

Para vosso conhecimento, em 11 de dezembro de 1967, a lei nº 5.377 regulamentou a profissão de Relações Públicas. “A designação do Profissional de Relações Públicas passa a ser privada dos bacharéis formados nos respectivos cursos de nível superior”.  Somos responsáveis por construir a imagem e consolidar a boa reputação da organização que nos contrata. Jamais agimos como intermediários e beneficiados da corrupção, que é o caso do publicitário Marcos Valério.

Como profissional de Relações Públicas, venho informar a Va. Exma. que nós, os Relações-Públicas, temos diploma de bacharel em Relações Públicas que nos habilita a praticar a atividade; somos registrados no Conrerp da nossa região e cumprimos nossas obrigações legais: Seguir o Código de Conduta  Ética; Manter o registro em situação regular;  Colaborar para valorização da profissão: 1. por meio de esforços próprios de divulgação; 2. para apoiar as campanhas desenvolvidas pelo Conrerp/Conferp; 3. e para recusar condutas que desabonem a profissão ou provoquem constrangimento a categoria, a terceiros ou a Sociedade.

Gostaria ainda de informar que na área de comunicação social, somente os relações-públicas fazem parte de um conselho profissional. Existem no Brasil cerca de 40 Conselhos que cobrem 62 profissões regulamentadas por lei, num universo de 2.512 ocupações constantes do Código Brasileiro de Ocupações do Ministério do Trabalho e Emprego.  

Confesso que gostaria de ouvir publicamente de sua parte uma declaração em prol destes profissionais que lutam diariamente por manter sua imagem.

Agradeço vossa atenção.

 Lala Aranha- Conrerp 1ª. Região n˚ 2965