Já ouviu a Inconfidência? Sabe o que está perdendo? Veja só. E escute!

Acabo de me tocar de uma falha que eu  nem sei como me desculpar. Logo eu, mentora do grupo de ação, em Minas, OS INCONFIDENTES , da nossa Helena Roesele

( ALIÁS, ONDE ANDAM VOCÊS?)

Meu amigo Marco Antonio Lacerda, de Minas, jornalista, escritor, e tudo de bom, tem um programa bárbaro de rádio, que todos nós podemos ouvir, de qualquer lugar do mundo, pela internet. Toda semana tem uma entrevista muito bacana, de alguém especial/interessante/importante/ criador.
Toda semana tem coisa boa.

O Marco Lacerda é editor de um site bárbaro também, que eu queria convidar vocês par airem ver – até porque meus artigos são publicados semanalmente lá, entre outras feras – é o DOM TOTAL  (www.domtotal.com.br).

Bem, agora vou aproveitar uma carona de uma boa matéria sobre ele e o programa que saiu no Observatório da Imprensa. Dá uma olhada. E olhe: não tem melhor para o domingo à noite, sempre aquela mesmeira…

Com vocês, Marco Lacerda, em matéria de Marcos Caldeira Mendonça , no OI

RÁDIO INCONFIDÊNCIA
Papo inteligente nas noites dominicais

Por Marcos Caldeira Mendonça em 14/06/2011 na edição 646

Reproduzido de O Trem Itabirano nº 69, junho/2011; intertítulo do OI

Fantástico, “Oi, quem quer dinheiroooo?”, lengalenga futebolístico… Uma boa sugestão para quem quiser escapar da chatice da televisão brasileira nas noites de domingo é fixar o ponteiro do rádio na Inconfidência FM (100,9), na qual o jornalista e escritor Marco Lacerda comanda o programa de entrevistas FrenteVerso, que oferece prosa inteligente e bem-humorada, com boa música. Traz sempre um entrevistado por programa, gente do mundo das artes, pesquisa, educação, política ou entretenimento, que opina sobre assuntos atuais, fala sobre o trabalho que faz e outras vivências, ao vivo ou por telefone. Começa às 21h e dura 60 minutos.

“Não dá para bobear”, diz Marco Lacerda sobre a dura disputa por audiência contra a TV: “Tem de haver preocupação neurótica com a excelência, em todos os níveis.” Alguns nomes que já passaram pelo programa, no ar há três anos: Carlos Heitor Cony, Bartolomeu Campos de Queirós e José Roberto Torero, escritores; Affonso Romano de Sant´Anna, Fabrício Carpinejar e Nicolas Behr, poetas; Mino Carta, Lucas Mendes, Alberto Dines e Ricardo Noblat, jornalistas; Adriana Calcanhoto, Fernanda Takai e Tom Zé, músicos; Matheus Nachtergaele e Chico Pelúcio, atores; Marcelo Gleiser, cientista; Renato Janine Ribeiro, sociólogo; Marcia Tiburi, filósofa; e Roberto DaMatta, antropólogo.

Programa pode ir para a televisão

De Betim a Berlim, em Cubatão ou no Paquistão, o FrenteVerso pode ser ouvido em qualquer lugar do mundo pela internet. Basta digitar www.inconfidencia.com.br, também para acessar os arquivos do programa. O apresentador põe o diretor de teatro José Celso Martinez Corrêa entre os entrevistados mais difíceis. “Foi chato, ele não me deixou concluir as perguntas, falou aleatoriamente sobre o que quis. Padece do mesmo mal a psicanalista e escritora Betty Milan.”

Complicado também foi com o humorista Danilo Gentili, que deu a entrevista em um restaurante de São Paulo, alternando respostas com garfadas de macarrão e frango. “Mais paulista, impossível”, comenta Marco Lacerda. Thiago de Mello surpreendeu. Dizendo-se cansado de viagem à Índia, o poeta amazonense informou que só falaria durante dez minutos, mas foi dos entrevistados mais prolixos. Terminou a gravação afônico.

Uma novidade é que o FrenteVerso pode ir para a televisão. Entendimentos estão em curso, mas, por enquanto, o radialista prefere não revelar o canal, para não atrair cafifa. Belo-horizontino, Marco Lacerda foi diretor e editor nos jornais O Estado de S. Paulo, Estado de Minas e O Tempo, no qual criou o caderno cultural Magazine. Foi correspondente nos Estados Unidos, Europa e Japão. É autor dos livros Clube dos Homens Bonitos, As Flores do Jardim da Nossa Casa e Favela High-Tech. Este, ele informa, vendeu 120 mil exemplares, o que, para o padrão brasileiro de leitura, é para comemorar com alegria de criança numa ciranda-cirandinha.