Bafafá sobre a Narizinho Gleisi andando de aviãozinho para lá e para cá, conforme noticiamos. Olha essa

4vrDeputado diz que Gleisi tem

que ser igual a mulher de César

0508gleisiO deputado Nilson Leitão (PSDB-MT), líder da Minoria, criticou a ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil) por usar um avião, supostamente alugado pelo PT, para visitar o Paraná. “Nós estamos debatendo esse projeto sobre os corruptores, o projeto que vai enquadrar as empresas envolvidas em corrupção com dinheiro público (…)  Mas não pode fugir disso quem mistura o público com o privado. Por exemplo, a ministra Gleisi Hoffmann, que usou o avião do PT para anunciar aportes do governo federal a produtores no Paraná semana passada”, disse Leitão em pronunciamento na Câmara dos Deputados.

“Eu sei que a base do governo, principalmente os petistas, não gosta de ouvir isso. Mas se dizem que são sérios têm que agir como a mulher de César: não basta ser sério, tem que parecer sério. Usam avião do partido porque já não sabem mais o que é partido e o que é Governo. Misturam as coisas como se fosse uma só. Usam o governo como se fosse o partido; usam o partido como se fosse o governo”, completou o deputado.

Leitão disse que está na hora da transparência. “Coitado de um prefeito, de um deputado estadual ou de um deputado federal que fizer a mesma coisa: vai estar nas primeiras páginas dos jornais, no TSE, no Ministério Público e deverá ser cassado em poucos dias. Quando uma ministra faz isso, nada acontece; poderá ser candidata com a maior tranquilidade, porque não há punição para esse tipo de coisa em nosso país. O país da impunidade é para esses, não para aqueles que muitas vezes estão sendo punidos”, disse.

 Nota do Blog, aqui

sxy1

Farra do avião continua? Veja o que recebi do Paraná. Veja a ministra…

 

Quem paga o jatinho usado por Gleisi e Osmar?

Perguntar não ofende: Quem pagou o KingAir usado na agenda de Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Osmar Dias (Banco do Brasil) pelo interior do Paraná nesta última semana?

0508gleisi 0508osmar

E se era evento oficial porque voou em avião da Helisul. Notem: não é o mesmo avião que é alugado pela Assembleia Legislativa do Paraná? 

avion_032

Vamos dar um pau nessa graciosa do (In)Feliciano? Ou melhor: dar um pau para ele. Esse cara tem família? Sabe ler? Ignorante de quinta categoria.

DO ESTADÃO:

BANG-LINDA COM ARMAFeliciano quer vetar projeto de auxílio a vítima de estupro

Para ele, proposta amplia a possibilidade de qualquer mulher buscar a rede pública a fim de realizar um aborto; ‘A gravidez não pode ser tratada como uma patologia. Muito menos o bebê gerado pode ser comparado a uma doença ou algo nocivo’, diz
Rafael Moraes Moura / Brasília – O Estado de S.Paulo

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, recebeu ontem lideranças religiosas que pedem vetos ao projeto de lei que obriga hospitais ligados ao Sistema Único de Saúde (SUS) a atender mulheres vítimas de violência sexual. O deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Câmara, também enviou um ofício à presidente Dilma Rousseff para reforçar o pedido.

Feliciano recomendou, em ofício, veto parcial da lei - André Dusek/AE
André Dusek/AE
Feliciano recomendou, em ofício, veto parcial da lei

O Estado apurou que os religiosos se dividiram entre o veto integral ou parcial ao projeto, aprovado no Senado no dia 4. O trecho que mais encontrou resistência trata da obrigação dos hospitais de prestarem serviço de “profilaxia da gravidez”, o que, na visão de entidades, abriria brechas para o aborto. A profilaxia da gravidez, para o Ministério da Saúde, trata do uso da pílula do dia seguinte.

O governo deverá analisar a reivindicação das lideranças e encaminhá-las a Dilma, a quem caberá sancionar ou não a lei.

Participaram da audiência representantes da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), da Federação Espírita do Brasil, do Fórum Evangélico Nacional de Ação Social e Política, do Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil Sem Aborto, da Associação Nacional da Cidadania pela Vida e da Confederação Nacional das Entidades de Família.

Ofício. Feliciano, por sua vez, recomendou, em ofício, veto parcial da lei. O deputado pede o veto dos incisos IV e VII do artigo 3.º do projeto: “O atendimento imediato, obrigatório em todos os hospitais integrantes da rede do SUS, compreende os seguintes serviços: IV – profilaxia da gravidez; VII – fornecimento de informações às vítimas sobre os direitos legais e sobre todos os serviços sanitários disponíveis”.

Feliciano entende que a proposta amplia a possibilidade de qualquer mulher buscar a rede pública a fim de realizar um aborto. “A gravidez não pode ser tratada como uma patologia. Muito menos o bebê gerado pode ser comparado a uma doença ou algo nocivo”, diz.

NARIZINHO APRONTANDO…VEJA O QUE GLEISI ANDA FAZENDO…

figura 3Animated Gif Fire (99)Lenha na fogueira

Até parece que Gleisi Hoffman (Casa Civil) quer ver o circo pegar fogo: o pau cantava em São Paulo e a turma do ministro Gilberto Carvalho queimava pneus em Brasília, quando ela baixou decreto dobrando o valor de diárias de quem viaja “a serviço” da Copa das Confederações.

FONTE: COLUNA CH

Eu sei que você sempre quis conhecer o nariz original da Gleisi Hoffmann, ministra do arrebitado. Recebi um vídeo.

VEIO ESSA EXPLICAÇÃO JUNTO:

Com nariz original, Gleisi apoia Requião

Uma das polêmicas a respeito da ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil) diz repeito se a petista fez ou não fez plástica. “Nunca fiz e não aguento mais me perguntarem”, disse ela, segundo anota Giba Um. O colunista chegou a publicar uma fotografia de Gleisi em que a ministra aparece com seu nariz de 18 anos – diga-se, um nariz caucasiano, levemente ‘cheio’, corrigível com uma rinoplastia.

Agora um vídeo, reforça a tese de Giba Um e desmonta a versão da petista. Em 1985, como presidente da União dos Estudantes Secundaristas de Curitiba, Gleisi apoiou o então candidato à prefeitura de Curitiba, Roberto Requião. Em entrevista, vemos uma Gleisi bem diferente da atual. Se notarem bem, Gleisi corrigiu, além do nariz, até sua arcada dentária.