Elegância nata, classe – nascem com a pessoa.

Fiquei muito impressionada com a elegância com que essa moradora de rua ostentava suas roupas no começo da tarde deste domingo, descendo a Rua Augusta.

Veja só. Me fez lembrar de uma série lumpen que o Heitor Werneck criou na Escola de Divinos. Eu ainda tenho um terno – o máximo – é um tailleur, na verdade.

Um pouco mais tarde, a vi de novo, sentada numa escada, com as pernas cruzadas, longas. Tinha tirado o poncho amarelo, guardado nas suas coisinhas.

Não deu para fotografar, mas ficarei esperta se a verei de novo por perto