Imperdível, Cabaret Gay em SP. Quando a causa serve a boas causas. Conto com vocês na ajuda à divulgação!

160120122538CABARET GAY HOMENAGEIA NOITE LGBT PAULISTANA

2013-05-18-1164
FrENÉticos, Molhados & Croquettes: MUITAS ATRAÇÕES NO PALCO DO TEATRO SÃO PEDRO

 Para abrir o calendário dos eventos do “mês do orgulho LGBT”, o Theatro São Pedro receberá neste sábado, dia 01 de junho, a partir das 19h, o espetáculo Sampa Gay Cabaret “Baladas e Paradas”, produzido por Heitor Werneck a convite da Secretaria de Estado da Cultura.

O evento, que arrecadará fraldas geriátricas e leite em pó para instituições que cuidam de pacientes soropositivos, será uma grande homenagem aos lugares e personagens que ajudaram, com suas atitudes e eventos, a mudar a mentalidade e a convivência na maior cidade da América do Sul, desde o primeiro bar gay da cidade, passando pela criação da primeira Parada Gay, até as badaladas casas noturnas voltadas ao público LGBT da atualidade. Grandes nomes da cena artística LGBT como Kaká Di Polly, Silvetty Montilla, Dimmy Kieer, Lisa BomBom e Naomy Sholling fazem parte do elenco do espetáculo, que será recheado de música, dança e bom humor com uma hora e vinte de duração.

 Dirigido por Benjamin Gadagnotto e com coreografia de Alberto Tadeu, bailarinos, dançarinas e strippers burlescas, artistas circences, acrobatas, cantoras, dançarinas exóticas, chair dance, strip tease masculino, dança com cobra, performers e drag queens levarão ao palco do Theatro a diversão e irreverência marcantes nos palcos das baladas gays, mostrando as idéias e conceitos que, antigamente, podiam parecer meras fantasias sem propósito, mas que serviram como base para quebrar preconceitos e tabus. Outra atração em destaque será a apresentação do grupo Frenéticos, Molhados & Croquettes, que, como o nome já indica, cantam As Frenéticas, Secos & Molhados e Dzi Croquettes.

A homenagem começa com o discretíssimo primeiro bar gay de São Paulo, criado no final da década de 50, chamado de “Diana Caçadora”, que ficava escondido num quintal entre dois casarões nas imediações da Praça da República. Depois, nos anos 60 e 70, com a revolução sexual e os conceitos de amor livre, o público gay que começou a “sair do armário”, porém ainda empurrado para o submundo, frequentava os “inferninhos” que foram criados na mesma área central, conhecida como a “Boca do Lixo”, apelido que remetia a tudo o que era rejeitado e negado pela moral da sociedade da época. Os bares gays continuavam discretos, mas viram o surgimento dos “clubs”, inicialmente completamente undergrounds e povoados por figuras mais radicais, travestis, transformistas e personagens que não faziam questão de discrição e usavam aqueles espaços para se manifestarem. Nesses ambientes circulavam todo tipo de gente, e essa mistura culminou com a transformação de um clube hetero obscuro em um clube assumidamente gay, a Nostromondo, que ainda tem suas portas abertas no mesmo endereço em São Paulo. Mesmo sob a forte repressão da Ditadura Militar, a casa superou as represálias e inspirou o surgimento de novos clubes, como a Medieval e a Homosapiens, que, por sua vez, abriram as portas para o surgimento de mais bares e casas noturnas, criando novos personagens da noite, que ajudaram a mudar a cultura da noite paulistana. O espetáculo fará um resgate dessa história, também representando casas e festas lendárias do passado recente e da atualidade, como Gay Club, Corintho, Mad Queen, Xeretas, BugHouse, Lov.e, Madame Satã, Chopp Escuro, Off, Moustache, Level, The Pool, Spazio Pirandello, Trash 80s, Torre, Val Improviso, Altas Horas, Sky, Dida, Feitiço, Gents, L`Open, Topsy, Malicia, Allegro, Puerto Libre, Metrópole, Base, Senhora Krawitz,  Pitomba, Samanta Santa, Sogo, Xingu, Hell’s, Dinossaurus, Vegas, Stereo, Paparazzi, Floresta, Nation, Hole Club, Mood, Urbano, Massivo, The Cube, Ultralounge, Columbia, Rave, Diesel, Z, Lion, Bubu Lounge, Blue Space, Gourmet, The Week, Cantho, ABC Bailão, Clube A Loca, Queen, Lions, Gambiarra, Vermont, Glória, Yacht, Jóia, Flexx, D-Edge, O Gato, Misture, Bofetada, Green Bar,  L Club, e outras dezenas ou centenas de lugares, seus empreendedores, frequentadores e artistas.

 Os ingressos estarão disponiveis na bilheteria do Theatro São Pedro a partir das 18h de sábado, uma hora antes do início da apresentação, e o custo será a doação de um pacote de fraldas geriátricas ou uma lata de leite em pó, que serão encaminhados a instituições que cuidam de pacientes soropositivos e lutam pelo uso da camisinha e o fim do preconceito.

 Projeto realizado com o apoio do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Estado da Cultura.

  cabaretgay

SERVIÇO

 Sampa Gay Cabaret “Baladas e Paradas”

Local: Theatro São Pedro – Rua Albuquerque Lins, 207 – Barra Funda – São Paulo/SP

Apresentação única às 19h

Entrada: doação de fralda geriátrica ou leite em pó

248038_10200582224990129_496309484_n
EU E HEITOR WERNECK – MEU GRANDE AMIGO, IDEALISTA E REALIZADOR.
foto Luiz Nusbaum