Quer saber das compras que andam fazendo em seu nome? Por exemplo, fones de ouvido. 500 contos, cada? O ContasAbertas sempre vai atrás. Vejas essas.

DO SITE CONTAS ABERTAS – CONTASABERTAS.COM.BR

DJCâmara gasta mais de R$ 100 mil em fones de ouvido

27 de setembro de 2015
Dyelle Menezes

A Câmara dos Deputados não economizou no quesito fones de ouvido nesta semana. A Casa empenhou R$ 102,6 mil para adquirir os acessórios. Do total, R$ 7,6 mil são para o fornecimento de 64 unidades de fone de ouvido com microfone com fio para o Centro de Informática. O Departamento de Taquigrafia, Revisão e Redação da Casa, no entanto, elevou o nível nos equipamentos. Foram gastos R$ 95 mil em 180 fones de ouvido profissionais. Cada fone tem custo de mais de R$ 500,00.

Já a pedido do Laboratório Hacker da Câmara, foram empenhados R$ 792,95 para a compra de uma câmera de vídeo USB, do tipo WebCam e fone de ouvido sem fio, da marca Philips. A Casa ainda reservou R$ 6 mil para a compra de cinco armários de aço, do tipo guarda-roupa. As unidades possuem dois vãos e oito portas. O pedido pelo Departamento Técnico da Casa.

Roupa suja na Casa do Cunha

A Câmara ainda deve colocar em dia a roupa suja nos próximos meses. A Casa empenhou R$ 1,4 mil para o fornecimento de uma unidade de lavadora de roupas da marca Eletrolux. O pedido foi realizado pela Residência Oficial do órgão, ocupada pelo deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Quase R$ 40 mil em resmas de papel

Outro gasto curioso, e grande, da Câmara nesta semana foi com resmas de papel. A Casa reservou R$ 37,7 mil para o fornecimento de 123 resmas de papel offset branco. O material será destinado à Coordenação de Serviços Gráficos, que fornece serviços gráficos aos gabinetes parlamentares e demais órgãos da Casa, o que inclui execução e controle dos trabalhos de reprodução e impressão gráfica e de acabamento de documentos.

Carrinho cheio no Senado

O Senado Federal é outro que encheu o Carrinho de Compras nesta semana. A Casa empenhou R$ 2,1 milhões para a compra de monitores de imagem e centrais de monitoramento. Dentre as centrais, uma se destaca pelo preço: R$ 1,2 milhão. O equipamento possui matriz de multimonitoração com 12 saídas processadas. As outras duas, com custo de R$ 125 mil cada, possuem apenas duas saídas.

Outros R$ 725,6 mil foram reservados pelo Senado para serviços de manutenção corretiva, com fornecimento de itens e peças novas e originais, necessárias da máquina impressora Manroland 700, de origem alemã.

Judiciário

O Supremo Tribunal Federal (STF), por sua vez, empenhou R$ 19,1 mil para compra de cinco scanners de grupo de trabalho com alimentador automático de papel e mesa digitalizadora A4 ou ofício com garantia técnica.

Com tantos processos, o Tribunal reservou R$ 8 mil para “organização”. Os recursos foram empenhado para a compra de tiras plásticas transparentes para agrupamento de até dois volumes de processo, contendo 10 furos sendo cinco de uma lado tira e cinco do outro.

A três meses do final do ano, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) deve dar uma “carregada” na energia. A Corte empenhou R$ 7,5 mil para compra de 535 baterias alcalinas e 2.557 pilhas alcalinas. Outros R$ 2,8 mil foram destinados à compra de 144 pilhas recarregáveis pequenas.

Reforma

O STJ deve estar pensando ou já organizando uma reforma na “casa”. O Tribunal empenhou R$ 33,3 mil para compra de revestimento de parede em granito branco Dallas com acabamento polido na face superior. A Corte também destinou R$ 28,8 mil para compra de granito cinza prata e soleira de granito da mesma cor. Para completar, R$ 7,2 mil foram empenhados em argamassa para contrapiso, interno e externo, utilizado na regularização de nivelamento de pisos com espessura de até 50 mm.

Confira aqui as notas de empenho da semana

*Vale ressaltar que, a princípio, não existe nenhuma ilegalidade nem irregularidade neste tipo de gasto feito pela União e que o eventual cancelamento de tais empenhos certamente não ajudaria, por exemplo, na manutenção do superávit do governo ou em uma redução significativa de despesas. A intenção de publicar essas aquisições é popularizar a discussão em torno dos gastos públicos junto ao cidadão comum, no intuito de aumentar a transparência e o controle social, além de mostrar que a Administração Pública também possui, além de contas complexas, despesas curiosas.

Nota dura do MTST, que promete tomar as ruas dia 23. Acaba de ser divulgada

people_jobs_e0passeataO MTST mais uma vez repudia as soluções adotadas pelo Governo Federal que joga o custo da crise nas costas dos trabalhadores mais pobres.
Desta vez foi anunciado o corte de mais R$26 bilhões no Orçamento. Os principais cortes referem-se ao congelamento no salário de servidores e ao financiamento do Minha Casa Minha Vida, além de R$3,8 bilhões na saúde.

A terceira fase do MCMV foi anunciada no último dia 10/9 e seu formato incorporou várias das propostas apresentadas pelo MTST, tais como: maior priorização da modalidade Entidades, aumento do limite de renda da faixa 1, recurso para equipamentos públicos e regulamentação de áreas comerciais nos condomínios.
Mas de nada adianta ganhar e não levar. Não houve compromisso do Governo com a definição do orçamento do programa nem com metas de novas contratações. O cenário se agravou ainda mais com os cortes de hoje. Ainda não está claro de que forma a mudança de fonte de R$4,8 bilhões para o FGTS afetará o programa, mas os sinais do Governo novamente vão em sentido contrário das expectativas populares.

people-confusedman
Por isso, o MTST mobilizará milhares de pessoas no próximo dia 23/9 em importantes capitais do país contra os cortes. Deixaremos claro que não aceitamos pagar a conta da crise.
A solução para o problema fiscal deve ser buscada em cima daqueles que ganharam como nunca nos últimos anos. Defenderemos nas ruas a taxação das grandes fortunas, de dividendos e remessas de lucro, além da maior progressividade no Imposto de Renda. Os ricos, banqueiros e empresários devem pagar a conta.
A saída para a crise é com o povo e não contra ele.
Coordenação Nacional do MTST

Mala esquecida. Mala da Dilma. Adivinha quem pagou o avião que foi buscar a malinha?

OLHE NO ESPELHO!

PEGUEI NO BLOG DO NOBLAT ESSA LINDA NOTA,ORIGINALMENTE DO BLOG DO AMIGO E GRANDE JORNALISTA, RICARDO SETTI

Esqueceram mala de Dilma. Um jato da FAB foi buscá-la

Blog de Ricardo Setti

Vocês se lembram de que a presidente Dilma viajou para São Paulo no sábado, 30 de abril, para exames no Hospital Sírio-Libanês porque apresentava sintomas, que depois se confirmaram, de pneumonia?

Pois bem, naquele dia, segundo fonte confiável, houve uma trapalhada monumental no embarque da presidente da República: o avião presidencial “Santos Dumont” (ex-Aerolula) viajou quase com lotação plena e tudo o que se possa imaginar num deslocamento nestas circunstâncias.

Menos por um detalhe: com Dilma doente, esqueceram a mala da presidente no helicóptero que a levara do Alvorada para a Base Aérea de Brasília, onde ocorreu a decolagem para São Paulo.

Dilma chegou para uma estada no hospital com duração ainda ignorada sem qualquer bagagem além da bolsa.

Diante do tamanho da gafe, foi necessário acionar um jato EMB 190 da Força Aérea Brasileira que serve à Presidência – um colosso de 36 metros de comprimento, com capacidade, na vida civil, para uma centena de passageiros e que voa a 900 quilômetros por hora – para buscar a mala em Brasília.