#ADEHOJE – SEMANA DE TUDO. PARADO. TENSO. CONFUSO

#ADEHOJE – SEMANA DE TUDO. PARADO. TENSO. CONFUSO

 

SÓ UM MINUTO – Semana será curta em dias, mas longa em possíveis emoções. No Congresso, as decisões referentes à discussão da Reforma da Previdência que estão empacadas e parece que empacadas permanecerão. Depois da canelada de Bolsonaro em cima da Petrobras – e é bom lembrar que deu prejuízo de 32 bilhões à marca em apenas um dia os técnicos vão tentar abrir aquela cabeça para que entenda que os preços dos combustíveis são baseados nos preços internacionais, que vivemos hoje em um mundo totalmente globalizado. Enfim, que a presidência não é a Casa da Mãe Joana com seus três filhos. Agora está se metendo com o Ibama, e acaba defendendo madeireiros da extração ilegal!

Já são 11 mortos e 14 desaparecidos na queda dos dois prédios no Rio de Janeiro. Quando nos entregarão a cabeça dos chefes das milícias responsáveis pelos desastres e por muito mais?

ARTIGO – O Pior Ralouin do Mundo. Por Marli Gonçalves

Tudo bem que, como todas as questões têm dois lados, pode não ser o pior, mas o melhor, a partir do ângulo que se queira do Ralouin BR que se aproxima e que atravessará todo o país. Se você for um daqueles chegados numa história de terror, sem doces e sem travessuras, vai gostar do Halloween desse ano – que vai ser mesmo de amargar. Mas vamos viajar um pouco para o mundo das fantasias, do futuro, ou dos pesadelos, se preferir. Venha…

 

Era uma vez uma criancinha que acabou ficando cheia de dores e com problemas sérios na coluna cervical. Não que ela tenha tido essa mania de ficar olhando o celular com a cabeça baixa, pescoço curvado, não; ao contrário, foi porque ela passa muito tempo olhando para cima sempre que pode, teimando, com o pescoço bem levantado. Ela quase não sai de casa, fica ali, estudando à distância, que tinham achado que essa era a melhor forma dela não se contaminar com ideias sociais ou revolucionárias. Inventaram até um kit-papão para assustar a garotada.

Quando ia na janela ou no quintal, tinha essa mania, ficava com o pescoço quebrado pra cima, olhando o céu, esperando que passasse pelo menos uma – uminha que fosse já a faria feliz – cegonha, carregando um bebê na trouxinha, como disseram que foi assim que chegou nessa casa pro papai e pra mamãe. Nunca ensinaram a ela como os bebês eram feitos. Ela não sabia de nada dessas coisas, porque não achavam certo explicar nada para criança. Esses adultos! A cegonha nunca passou.

Mas ainda havia escolas, que bom! Havia ainda outros lugares fechados, como condomínios, onde grupos de crianças podiam ainda brincar todas juntas, sem adultos no meio, e meninos e meninas podia conhecer suas diferenças rosas e azuis ou roxas. Brincavam de mocinho/a e bandido/a, de pega-pega (ops!), de médico, uai, sim, que tem brincadeiras que atravessam o tempo. Como essas crianças de hoje são muito inteligentes, logo descobriram vários cantinhos onde podiam brincar longe das câmeras, que estão espalhadas em muitos lugares, vigiando tudo o que acontece. Sentiam coisas diferentes, viam até uns duendes, uns serezinhos que apareciam para fazer cócegas que eles gostavam muito.

d06db-bruxa2bhalloween2b21E então chegava o final do ano, e as Festas. Alegria! Tiro ao alvo! As criancinhas eram então ativadas, incentivadas a, além de acreditar no Papai Noel, acertar nele, já que andava de vermelho, essa cor tão perigosa, com os seus revólveres, mãozinhas em riste. Tinha virado moda ensinar as crianças a atirar – com cinco anos já começavam – seguindo uma moda lançada por um presidente que a alardeou, contando que foi como criou os machos que eram seus filhos. A filha só brincava de princesa do país tropical que adorará vê-la crescer nos próximos anos.

Aconteceu na história que os vampiros, lobisomens, diabinhos, elfos e duendes, bruxas, e até os santos e suas imagens, que passaram a ser boicotadas, começaram a se juntar, e se unir aos negros, índios e mulheres, homens sensíveis e também com mais muita gente que não aceitava que mandassem em suas vidas particulares, o fato que a todos unia. Logo na época de Páscoa lançaram um movimento, uma campanha. Não, não era mais para procurar os ovinhos de coelho, mas um outro ovo, os da serpente, ovos que tinham sido rompidos numa eleição ocorrida fazia pouco tempo e muitas dessas serpentes se espalhavam pelo país, sacudindo seus chocalhos, envenenando as famílias, e atacando quem não conseguiam mais hipnotizar com suas ideias retrógradas e bravatas.A bruxa queria pegar a menininha

Moral da história: passaram todos a ficar esperando a chegada de um novo protetor, que fizesse outras promessas – que o povo adora acreditar em promessas. E agora, quando de noite esse povo dorme, sonha com ele, o Saci, que pelo menos em folclore dizem que protege a mata e o meio ambiente, uma das primeiras vítimas desse pesadelo todo. Assim, crianças, no próximo 31 de outubro, Ralouin, preparem-se. Já estaremos todos pulando com uma perna só sobre brasas. E bem ralados.

———————————————-

Marli Gonçalves, jornalista – Também acredita em contos de fadas. Cuidado com a Cuca.

marli@brickmann.com.br   /   marligo@uol.com.br

2018, booo!

Atenção, quentinha! Abriram o ovo de Páscoa e vão investigar Lula, o bombom

Chefe do mensalão

disney-graphics-roger-rabbit-508506MP abre inquérito para investigar o ex-presidente Lula

Mensalão: Valério revela detalhes e MPF decide abrir inquérito

NOTA PUBLICADA NO DIÁRIO DO PODER

Mensalão: Valério revela detalhes e MP investigará ex-presidente

O ex-presidente Lula será investigado pela Policia Federal apos denúncia do operador do mensalão Marcos Valério de que a empresa Portugal Telecom teria enviado R$ 7 milhões para pagamento de dívidas de campanha. O pedido da Procuradoria da República do Distrito Federal, também inclui Antonio Palocci Filho, ex-ministro da Fazenda de Lula e da Casa Civil de Dilma.

Pelas informações dadas por Marcos Valério, Lula intermediou o pagamento feito ao PT por uma fornecedora da Portugal Telecom, cujos recursos entraram no País pelas contas dos publicitários do partido. Além disso, Valério teria demonstrado como Lula se envolveu diretamente no esquema de compra de votos de parlamentares com dinheiro público desviado.

O próprio Valério revelou que havia recebido garantias do PT de que sua pena seria branda, mas como levou mais de 40 anos de prisão, o operador revelou detalhes do mensalão, incluindo que Lula “comandava tudo”, era o “chefe”.

O MPF abriu outros cinco processos de investigação preliminares, entre eles um envolvendo caixa dois já foi encaminhado à Procuradoria Eleitoral do DF. (Com informações de Veja)

ARTIGO – Girassóis daqui, com ovos. Por Marli Gonçalves*

ovosUfa, que por pouco a gente não passava a Páscoa sem Papa no Vaticano, igual à embaixada sem embaixador que a turminha da Dilma inventou para justificar as macarronadas que fizeram na Itália com nosso suado dinheirinho. Foram beijar uma mão, a de Francisco, e aproveitaram para bater umas pernas e fazer umas comprinhas, além de dormir em berços esplêndidos do hotel de nobres, como se o fossem. Mas estou querendo falar mesmo é dos símbolos. E os da Páscoa são bem fortes, girassóis entre elesgirassol

Vou me abster desta vez porque tem horas que acho verdadeiramente que essa gente não merece mais nem que percamos muito tempo com eles, apontando as marcas que estão deixando no caminho. Inclusive pondo bem negativamente a nossa santa imagem em jogo, e mundialmente. É uma atrás da outra. Igual ao Mercadante grudado atrás de Dilma, quase raspando o bigode na nuca da presidente para sair na foto. Alguns desses pelinhos devem ter caído no travesseiro do hotel, até eles arrepiados, primeiro com tudo, depois com os conselhos – defender os pobres, compreender as pessoas e suas opções “diferenciadas” – e o que certamente o Papa não deixará de levar em conta quando entender. Finalmente, com aquela inenarrável verve de contadora de piadas, Dilma declarou aquela máxima de que Deus é brasileiro. Seria.

Até que nem tudo foi tão ruim como poderia ser. O Papa Francisco foi presenteado com dois azulejos do genial Athos Bulcão (1918-2008): um, a Pomba do Espírito Santo; o outro, a Estrela de Belém. Muito melhor do que a espartana cuia de chimarrão que o Pontífice recebeu da presidente da sua própria Argentina, pelo menos.

alegriaIsso tudo me fez lembrar muito dos símbolos, das imagens mais marcantes da história, logotipos indeléveis e imortais, e a Páscoa nos traz um manancial desses sinais. De cabeça: peixe, estrela, cordeiro, pomba, pão, cálice de vinho, sinos, velas, e, claro, coelhos e ovos.

Mas o que eu não sabia até esse exato momento era que o girassol também era e sempre foi um símbolo pascal. Achei maravilhoso, primeiro por existirem coisas assim – pueris – que eu ainda não sei e, como boa apaixonada por flores que sou, girassol entre as preferidas, achei demais a explicação: segundo os cristãos, os seres humanos devem estar sempre voltados para o Sol- que seria Cristo, garantindo a luz e a felicidade. Girassol faz isso, do nascente ao poente, desde que desponta. O Sol ilumina o caminho.

Daí foi um pulo para viajar nas outras imagens, nos coelhos e na sua fertilidade, e nos ovos que nunca entendi porque é e como se misturam com os coelhos, que não os botam, bons mamíferos que são. E não confunda coelho com lebre, que vai aparecer gente descrevendo diferenças de tamanhos de patas, orelhas, pulos, etc.0sol

E aí vem o ovo, meio solto, e que ninguém ainda respondeu com firmeza quem nasceu antes se o ovo ou a galinha, que entra de gaiata nessa história, já que o legal desta época é comer peixe e o ovo é de chocolate. Neste samba pascal, que acaba reunindo religiões, e com a modernidade, hoje já tem ovo de tudo, e com tudo, para o negócio andar melhor comercialmente.

Procurando pelo em ovo, ovo no pelo (não é nada bom encontrá-los neste caso), o ovo é realmente uma coisa maravilhosa. Não para em pé, requer lugar especial e cuidados com sua fragilidade. Viram alimentos e produzem alimentos quando vingam, chocados. Podem também ser atirados. Dá para ser ovacionado, mas tem que ser bom, muito bom.

colored-eggs-source_4uwTraduzem como ninguém certas expressões. Você pode babar o ovo, chupar o ovo, e estará bajulando alguém. Pode deitar o ovo. Pode ter cabeça de ovo. Pode estar de ovo virado, ou pisando em ovos, e, ainda, pode só ser um ovo, de tão pequeno.

O problema é que também podem ser chutados. No caso, principalmente, os dos homens. Mulheres ovulam e copulam.

São Paulo, malhando o Judas, 2013sunflower_sisters 

Marli Gonçalves é jornalista– No frigir dos ovos, não dá para fazer omelete sem quebrar os ovos, nem colocá-los numa cesta só. Muito menos contar com eles, digamos, antes de vê-los do lado de fora da dita cuja. E uma ova. Que não é ovo. Ou é? Boa Páscoa!

********************************************************************
graphics-sunflowers-860406E-mails:
marli@brickmann.com.br
marligo@uol.com.br

Olha só:
Toda semana escrevo artigos, que também são crônicas, que também são nossos desabafos, e que vêm sendo publicados em todo o país, de Norte a Sul. Isso muito me envaidece, porque é uma atividade voluntária que exerço pelo prazer de escrever e, quem sabe, um dia, possa interessar alguém que a financie. No momento, não é o caso – não consigo viver disso sem vocês, leitores. Se você recebe por e-mail é porque está inscrito em nosso mailing, ou porque é jornalista e a gente já teve algum contato. Ou, ainda, está recebendo de outra pessoa – são milhares de repasses, que agradeço muito – que gostou e achou que você deveria ler também.
Tenho um blog, Marli Gonçalves, divertido e informante ao mesmo tempo, no https://marligo.wordpress.com. Estou no Facebook. E no Twitter @Marligo

ATENÇÃO: Por favor, ao reproduzir esse texto, não deixe de citar os e-mails de contato, e os sites onde são publicados originalmente http://www.brickmann.com.br e no https://marligo.wordpress.com

ARTIGO – Santidades e inocências, por Marli Gonçalves

O negócio está meio esquisito. Todo mundo pasmo, decepcionado por aí, pelos cantos, murmurando baixinho… Até tu, Brutus? Mas também sobre como realizam pragas em quem tem a síndrome da garota do leite ou vive o drama do biscoito fresquinho.

Nesses dias de reflexão pascoal, ando perplexa. Claro, acompanhando o desenrolar do caso do senador que caiu lá de cima do Céu. Não era mais tão pesado e gordo como quando iniciou a carreira política, mas não teve jeito. O tombo foi tão grande, ele veio tão do alto, que atravessou a Terra e foi parar no Inferno. Do dia para a noite. Destruído, pisado, humilhado, sem chance de abrir a boca, como também muitas vezes o vi fazer com outras pessoas durante CPIs no Senado, as que ele convocava espalhafatosamente para depor e expor, e em prol da moralidade pública que se fazia representar, as desancava, massacrando-as verbalmente. Cara feia, dedo em riste, sempre pronto a dar entrevistas com suas certezas. Mesmo assim, nunca gostei dessa coisa de pagando ou recebendo na mesma moeda. Acho cruel.

Ele não chama João, José ou Antonio. Chama Demóstenes. Então, se alguém gravou lá no caso, como gravaram e muito, e aparece o nome, primeiro que não dá nem para assobiar, dizer que é outro cara. Demóstenes, de origem grega, quer dizer aquele que “tem a força do povo”, e o nome, por sua vez, seria o de quem “deixa sua marca no mundo”. Santa ironia.

Mas, fora isso, não se enlevem tanto, porque dentro desse mesmo forno nós todos estamos assando. Há no momento problemas e risco em coisas muito sérias e caras, como Justiça, Democracia, Privacidade, Direito de Defesa (sagrado!). Não olhe só para o biscoito alheio torrando. Faça igual quando vê o semáforo, ou farol, ou sinaleira, onde quer que esteja neste país. Pare, olhe, pense. Vermelho, amarelo, verde. Não pode isso; talvez possa isso; pode isso.

Lembro que sempre tive pavor de “juras”, “gente que jura outra”, sabe como? Praga com raiva e, principalmente, se esta vier de alguém com poder que – você sabe – fará tudo para que a sua própria praga lançada se concretize, numa vingança planejada. Há algum tempo, o ex, Lula, jurou o DEM, lembram? E o tal senador com nome pomposo ora pendurado à execração pública era a fachada mais visível do DEM. Já vinha sendo citado até como candidato à Presidência. Primeiro, seria Governador de Goiás. (Penso que a cirurgia de redução de estômago que o emagreceu e afinou, aliado às plásticas que fez, à mulher nova, novos ternos, óculos, e até modos, já faziam parte da trajetória imaginada…)

Mas aí é quando entra a que eu chamo em adaptação livre de a “Síndrome da Garota do Leite”, aquela da fábula e que carrega a jarra de leite morro abaixo (ou acima?), planejando quanto leite, quanto queijo, quanto ganharia e o que faria com…e catapico!– tropeça e a lá vai o leite. Tenho encontrado tanto com gente com essa síndrome que não sei não, creio que possa ser epidemia. Aparecem muito em eleições, e quando a loteria acumula.

Então, mas voltando, eu falava das pragas e juras e dos riscos à democracia. Falava, ou pelo menos pretendia falar, sobre o excesso de decretos e leis ou desnecessários ou esquecidos. Se são necessárias, e existem, devem ser cumpridas. Senão, se desnecessárias, porque existem? O drama do biscoito fresquinho é pinto perto desse dilema.

Pois bem. Acabam de levar uma das raras vozes que sobravam, e que ainda eram “oposição”. E como foi isso? Burlando a legislação que garante – existe, portanto, garante – que senadores têm foro privilegiado, e que ao ver flagrado o nome de um deles na escuta do bicheiro ou sei lá o quê, haveria de ser legalizada tal escuta no Supremo Tribunal Federal.

Não fiquem bravos. Peraí. É que essas ilegalidades vão levar a não acontecer o que realmente poderia nos interessar no caso, e depois vocês vão ficar falando que foi impunidade, isto e aquilo, que este país não tem jeito. Por algum motivo, veja, tudo chega antes na imprensa, em conta-gotas, capítulos, dias da semana especiais, divididos para todos os grandes, de forma quase equânime. Uma sucessão de “furos” de reportagem impressionante. Mas, lá na Justiça, nos tribunais, a história vai entrar por um lado e sair pelo outro, por lei, e isso será correto. Não deve mesmo ser aceita.

Aí entra o drama do biscoito fresquinho. Se houve investigação, ela descobriu tudo isso, porque não a legalizaram em seu curso? Porque a ideia central é a da destruição pessoal do inimigo, que, como mosca, parece que estava mais do que enredado na teia do bicheiro. Estava arranhando a garganta do Governo.

Não tem santo nessa missa. Mas o fermento dessa massa, se usado em excesso, pode muito bem fazer desandar também o nosso biscoito. O meu, o seu, o nosso. Não há exceções a serem abertas quando tratamos do Estado de Direito.

…”Mas, se tendes no vosso coração uma inveja amarga e um espírito dado a contendas, não vos vanglorieis nem falseeis a verdade”. (Primeira leitura: Tiago 3, 13-18)

São Paulo, ovos, novos povos, 2012   Marli Gonçalves é jornalista – Rezem comigo: “Que Deus nos proteja e livre de todas as pragas, todas mesmo !”

************************************************************
E-mails:
marli@brickmann.com.br
marligo@uol.com.br
ATENÇÃO: Por favor, ao reproduzir esse texto, não deixe de citar os e-mails de contato, e os sites onde são publicados originalmente http:// http://www.brickmann.com.br e no https://marligo.wordpress.com
Navegar é preciso. Estou no Twitter, @MarliGo, Facebook, e no blog : Clica aqui, para ir lá no blog! Visite o site MARLI GONÇALVES – Onde você encontra tudo e muito mais
No Twitter, siga-me! “www.twitter.com/MarliGo
Aqui você encontra todos os artigos anteriores:www.brickmann.com.br