Recebi info que dinheiro tem 26 mil bactérias. Quem mandou: Mastercard. kkkk (mas é sério)

chove dinheiroWrinkle FacePesquisa: cédula de dinheiro abriga mais de 26 mil bactérias

Dois terços dos europeus acreditam que o dinheiro é anti-higiênico, mas têm dificuldades em romper o mau hábito. Somente uma em cada cinco pessoas lava as mãos após seu manuseio

São Paulo, 12 de maio de 2014 – Pesquisa divulgada pela MasterCard mostra que, apesar de considerarem o manuseio das notas de dinheiro e moedas uma prática anti-higiênica, somente uma em cada cinco pessoas lava suas mãos após fazê-lo. O amplo estudo europeu com mais de nove mil consumidores de 12 países do continente destacou que, embora listado como mais sujo que corrimãos de transportes públicos ou que petiscos comunitários, como o amendoim nos bares, os europeus têm dificuldades em romper o mau hábito de usar o papel moeda.

Três quartos de todos os europeus entrevistados como parte do estudo concordaram que deveriam ter mais cuidado quando o assunto é manusear o dinheiro, devido aos germes que possam estar presentes. No entanto, a descoberta da pesquisa é que é mais possível que lavemos as mãos após realizarmos outras atividades, como tocar um animal (46%) ou utilizar transporte público (36%).

Pesquisa inicial conduzida pela MasterCard e Unidade de Oxford em 2013 mostrou que a uma simples cédula de dinheiro europeu continha 26 mil bactérias potencialmente prejudiciais à nossa saúde. Ainda que os participantes desta recente pesquisa de 2014 tenham reconhecido os danos potenciais à saúde associados ao manuseio do dinheiro, houve uma lacuna significante entre o “dizer-fazer” por todo o continente com relação às pessoas acreditarem que as notas são sujas e, de fato, fazer algo a respeito. Habitantes da Hungria e França tiveram a maior lacuna entre o “dizer-fazer”, indicando a diferença entre sua crença na falta de higiene do papel moeda e a probabilidade de lavar as mãos após seu contato com as notas.

Ao comentar nossa relutância em romper o hábito de utilizar as cédulas, a psicóloga Donna Dawson destacou: “Dinheiro”, na forma de cédulas e moedas tangíveis, é a maior forma do poder econômico visível e do sucesso individual que existe; é, portanto, difícil que as pessoas tenham e mantenham qualquer associação negativa ao dinheiro. A razão da frequente lacuna entre o que dizemos e o que fazemos, como mostra a pesquisa, é a falta de “conexão”: podemos reconhecer que o dinheiro físico tenha germes, mas não conectamos doenças ao seu manuseio.

É a mesma coisa que nos preocuparmos com germes no ar que respiramos, não podemos vê-los e, portanto, não temos controle sobre eles. A ideia de ser capaz de exercer controle na vida é um grande fator motivador para os seres humanos. No entanto, o sentido de controle é, frequentemente, uma ilusão – há muitas coisas que não conseguimos controlar, tal como os germes que não vemos.

MEDOEntre os pesquisados, 40% deles reconheceram que não tinham controle sobre quem manuseava o dinheiro de antemão e, como uma consequência, muitos de nós procuramos não pensar sobre o que não podemos controlar, com 38% afirmando nunca ter pensado nisso. Os fatos sobre a falta de higiene nas notas e moedas nos preocuparão momentaneamente, mas essa preocupação rapidamente irá para o final da lista de “preocupações prioritárias” – trata-se, na realidade, de um assunto que não nos passa pela cabeça.

Descobertas adicionais da pesquisa da MasterCard apontaram como quase quatro entre dez europeus (37%) disseram estar dispostos a fazer pelo menos uma pequena mudança em sua vida cotidiana para serem mais higiênicos, com a maioria tendo afirmado que prefeririam substituir o dinheiro por pagamentos com cartão ou meios contactless para serem mais higiênicos.

Dr. Jim O´Mahony, palestrante em Ciências Biológicas no Cork Institute of Technology, na Irlanda, comentou: “A associação do dinheiro à higiene foi estabelecida há muito tempo. De uma perspectiva histórica, há, inclusive, relatos que moradores das vilas inglesas que acreditavam que o dinheiro foi, de alguma forma, responsável por epidemias de pragas na Inglaterra, fazendo com que eles deixassem as moedas em tinas de água com vinagre para descontaminá-las. Cientificamente, há muitos estudos nesses últimos anos que provam, sem sombra de dúvidas, que as cédulas de dinheiro e moedas carregam bactérias e outros micróbios. A maioria das pessoas admite que seu manuseio poderia ser percebido como danoso, porém, na prática, as pessoas não estão propensas a adotar ações básicas de higiene.
Como estudos anteriores mostraram, uma cédula de dinheiro europeia contém, em média, 26 mil colônias de bactérias. Como isso em mente, deveria haver maior alerta sobre o fato de que o manuseio do dinheiro poderia ser visto como uma prática potencialmente danosa, assim como outras atividades, tais como tocar maçanetas de banheiros, manusear comidas comunitárias ou segurar o corrimão de escadas rolantes. Enquanto não houver normas internacionais firmemente adotadas sobre o costume do manuseio do dinheiro, principalmente nas épocas de gripes e surtos típicos do inverno, seria aconselhável ser mais ciente da higiene, principalmente nesses períodos, substituindo essa prática por transações sem o papel moeda”.

Chris Kangas, diretor de Pagamentos Contactless da MasterCard Europa complementa: “O que é mais evidente das descobertas do estudo deste ano é que, apesar de saber das armadilhas higiênicas do dinheiro, os europeus têm dificuldade em romper o mau hábito de usá-lo. A utilização de métodos de pagamento contactless é, não somente uma forma inovadora de pagar, mas também auxilia a eliminar algumas das bactérias e germes que sabemos serem transmitidas ao manusear e transacionar as cédulas e moedas”.FIM

Referência:
Pesquisa conduzida por Toluna, a pedido da MasterCard, março e abril de 2014
Foram 9.923 entrevistados com mais de 18 anos pela Europa (Reino Unido, Alemanha, França, Espanha, Dinamarca, Polônia, Turquia, Grécia, Hungria, Romênia, República Tcheca, Croácia).

FONTE: ASSESSORIA DE IMPRENSA MASTERCARD

O ex-prefeito Cesar Maia é bom analista. Ele fez um resumão da pesquisa publicada ontem, festejada pelos caras…Mas entenda melhor e o mundo gira…

 

CURIOSIDADES SOBRE A PESQUISA NACIONAL CNT-MDA  FEV/2014!earth_l

1. Em quem para Presidente não votaria de jeito nenhum: Dilma 37,3% / Aécio 36% / Eduardo Campos 33,9%.

2. Avaliação de Dilma: Ótimo+Bom 36,4% (2013 em novembro 39%) / Ruim+Péssimo 24,8% (2013 em novembro 23%).

3. Fernando Henrique em julho de 1998: Ótimo+Bom 31%, Ruim+Péssimo 23%.

4. Os investimentos na Copa foram desnecessários para 75,8%. Haverá manifestações nas ruas na Copa para 85,4%.

5. Custo de vida nos últimos meses aumentou para 77,2% / Em 2014 deve continuar aumentando para 71,8%.

6. 62,1% não se interessam pelas eleições presidenciais. 37,4% se interessam.

7. Quer que o próximo presidente mude totalmente a forma atual de governar: 37,2%. Mude a maioria das coisas 22,9%. Total dos que querem mudanças substantivas: 62,2%.

8. A Violência aumentou nos últimos meses para 46,5%.  Para 22,9% não.

 

fonte: Ex-blog de Cesar Maia

Sobre uma questão difícil. Como testar, onde testar, em quem testar. Animais? Humanos?

 

  • bth_snoopy-016Ministro quer importar pele sintética para testes

O ministro Marco Antônio Raupp (Ciência e Tecnologia) pediu apoio da Frente Parlamentar em Defesa dos Animais para derrubar lei que proíbe a importação de produtos com origem humana, como a pele sintética, que poderia ser usada como método alternativo para teste de cosméticos. Segundo o presidente da frente, Ricardo Izar, em troca, o ministro baixaria portaria impedindo uso de animais nessas pesquisas.

O ministro Raupp disse aos deputados que é preciso adequar a lei para dar condições às empresas de fazer testes alternativos.

De acordo com Ricardo Izar, apenas 5% das empresas cosméticas usam animais, o que dificulta as demais de exportar seus produtos.

FONTE: COLUNA CLAUDIO HUMBERTO – DIÁRIO DO PODERlove4

Como eu ia dizendo, sobre o Haddad…Haddad? Quem é?

O inferno de Haddad

Popularidade baixa

Em São Paulo, a mesma pesquisa Sensus ouviu outras 1 500 pessoas e constatou que 37% dos paulistanos avaliam de maneira positiva o governo de Geraldo Alckmin, enquanto apenas 17% dos entrevistados dizem o mesmo da administração da capital sob Fernando Haddad .

Por Lauro Jardim- Coluna Radar – Veja online

Já leu meu artigo, ENCURRALADOS. onde também toco nesse assunto, e nas barbaridades? CLIQUE AQUI

Procura-se informações sobre Georgina Pires Sampaio, vedete e criadora de cobras dos anos 40-60, no Rio de Janeiro. A nossa Bettie Page, pelo que li. Veja que interessante

suzy-cobra-Fundo-Última-Hora-Arquivo-Público-do-Estado-de-São-Paulo images SuzyKing(GeorginaPiresSampaio) gerginaProcura-se a criadora de cobras

O pesquisador Alberto de Oliveira está em peregrinação

para descobrir algum parente ou amigo da artista

Georgina Pires Sampaio, que atuou entre 1939 e

1964 como dançarina (se apresentava com cobras),

cantora, atriz e faquireza sob os nomes Diva Rios

(anos 40) e Suzy King (anos 50 e 60). Em 1964, às vésperas

do início do regime militar, Georgina fez a última

aparição pública concorrendo ao trono de Rainha dos

Bailes de Carnaval do Hotel Glória com outras vedetes,

como Angelita Martinez e Wilza Carla. Depois desapareceu,

sem deixar pista. Ela morou durante pelo

menos dez anos no apartamento 1003 do número 80

da Avenida Nossa Senhora de Copacabana, Edifício Tunísia, chegando a

criar mais de 30 cobras nesse apartamento. Às vezes as cobras fugiam e davam

notícia nos jornais. Em 1959, quando se exibia jejuando em uma urna

de vidro, sobre pregos, cercada por cobras, de biquíni, numa prova que deveria

durar 110 dias, na Galeria Ritz, em Copacabana, não resistiu e tentou fugir,

o que lhe causou grandes problemas. Diz o pesquisador que Georgina

nasceu em Porto Alegre (RS), em 1917. Era filha de Josino e Etelvina Pires

Sampaio. Não casou, nem deixou filhos. Parece ter morado na Bahia durante

algum tempo e, em 1939, foi para São Paulo, onde iniciou a carreira artística.

Mais tarde veio para o Rio e aqui viveu por mais de 20 anos. Quem souber de

alguma pista, envie mensagem para betodec30@yahoo.com.br.

fonte: AZIZ AHMED – JORNAL O POVO-RJ

Uma notícia que pode alegrar ou azedar o fim de semana, dependendo de quem lê. Dilma ladeira abaixo nas pesquisas

rocketSai de baixo

O desespero do governo de mostrar que Dilma “ouve a voz das ruas” se explica: pesquisas internas revelam que ela continua em queda livre.

FONTE: DIÁRIO DO  PODER – COLUNA CLAUDIO HUMBERTOAlice-Wonderland-17