#ADEHOJE – SÓ UM MINUTO – CEARÁ EM CHAMAS E O MEDO NAS RUAS E NAS CASAS

#ADEHOJE – SÓ UM MINUTO – CEARÁ EM CHAMAS E O MEDO NAS RUAS E NAS CASAS

Quem passou por aqui ou estava em São Paulo em maio de 2006, quando os ataques do PCC fizeram mais de cem vítimas sabe o que o Ceará está passando nesses últimos dias. É um terror indescritível. Você não sabe o que pode acontecer a cada passo. Se vai conseguir chegar ou sair, trabalhar, buscar filhos, viver. Hoje, lá, com a chegada da Força Nacional, os ataques estão ocorrendo no interior do Estado. Aqui em São Paulo, o bate-cabeça da segurança pública continua. Ontem, plena tarde de domingo, uma perseguição policial de mais de 12 quilômetros acabou com um bandido morto, mas dois pedestres que estavam passando em frente a um shopping foram baleados. Houve ainda mais um caso na Zona Leste, e uma grávida acabou atingida. Mas também dentro de casa as mulheres que deveriam estar sob leis de proteção continuam sendo mortas.

#ADEHOJE, @ADODIA. MORO PONTUA COM PONTO E VÍRGULA AS SANDICES QUE NOS INCOMODAM. ISSO É BOM.

#ADEHOJE, @ADODIA. MORO PONTUA COM PONTO E VÍRGULA AS SANDICES QUE NOS INCOMODAM. ISSO É BOM.

 

 

Na longa entrevista que concedeu nesta terça-feira, o juiz Sergio Moro, futuro Ministro da Justiça do Governo Bolsonaro respondeu a muitas questões sobre fatos que nos atormentam das frases ditas pelo clã Bolsonaro. Para o juiz é fundamental a lei, a justiça para manter a democracia, os direitos das minorias e para tomar as melhores decisões. Muito bom, se for verdade. Ele botou uma vírgula e uns pontos no discurso ainda atabalhoado do futuro presidente.

 

Hoje é dia de um grande amor: SANTA SARA KALI. Informações, orações, música!

Santa Sara, padroeira do povo cigano, das mulheres que querem engravidar, do bom parto, dos exilados e dos desesperados.

Uma santa que conviveu com Jesus

Uma tradição cristã bastante antiga identifica Santa Sara como a servente de uma das três Marias que acompanharam Jesus Cristo na via dolorosa e permaneceram firmes ao lado dele até o momento de sua crucificação e morte.

Um barco solto no mar

A tradição diz que, por causa da perseguição contra os primeiros cristãos em Israel, Santa Sara, Maria Salomé (mãe dos apóstolos Tiago e João), Maria Jacobina (irmã de Nossa Senhora), Maria Madalena, os irmãos Marta, Maria e Lazaro, e um cristão chamado Maximino, foram colocados num barco e este foi solto à deriva no mar mediterrâneo, sem remos e sem velas. Era por volta do ano 48 d. C.

Promessa de Santa Sara

Santa Sara e todos os que estavam no barco permaneceram o tempo todo em oração, pedindo a Deus o milagre de chegarem sãos e salvos numa terra segura para se viver e anunciar o Evangelho. Santa Sara era uma das que mais pediam e rezavam. E ela prometeu que, se chegassem a salvo, dedicaria (como já o fazia) toda a sua vida à causa do Evangelho, onde quer que fosse preciso.

O barco chega à França

O barco à deriva chegou à França com todos milagrosamente sãos e salvos. A pequena embarcação chegou à cidade francesa que hoje se chama Sante Maries de La Mer (Santas Marias do Mar) em homenagem às santas mulheres que ali chegaram conduzidas pela providência divina.

O lenço de Santa Sara

Ainda dentro do barco à deriva, Santa Sara prometeu também que, se chegassem a salvo, usaria um lenço sobre seus cabelos para o resto de sua vida. Para as mulheres da Palestina, o lenço cobrindo os cabelos era sinal de pureza. Assim, Santa Sara cumpriu sua promessa, vivendo uma vida de pureza dedicada a Jesus Cristo. Os pés da imagem de Santa Sara na pequena cidade francesa estão sempre cheios de lenços. Isso acontece porque as mulheres que pedem a ela alguma graça e alcançam, prometem colocar um lenço aos seus pés, por causa do lenço que a própria Santa Sara usou.

Uma santa de pele negra

O apelido ou sobrenome atribuído a Santa Sara é Kali. A palavra kali quer dizer “negra” em hebraico. Por isso, nas imagens, Santa Sara é representada como uma mulher de pele negra ou mulata, trazendo sobre a cabeça o seu famoso lenço, símbolo de sua pureza e consagração a Deus.

A Santa Parteira

Santa Sara é vista também como a mulher que ajudou Maria Santíssima na hora do nascimento de Jesus Cristo. Por isso as mulheres ciganas tem tanta devoção para com ela. As ciganas que não conseguiam ter filhos começaram a rezar para Santa Sara, com a promessa de voltar à cidade de Sante Maries de La Mer, para agradecerem.

A festa de Santa Sara

Santa Sara foi canonizada em 1712. A grande festa da Santa é celebrada em dois dias, 24 e 25 de maio. Um grande numero de ciganos e devotos de Santa Sara que vão para a pequena cidade da França. Lá, realizam uma grande procissão da igreja até o mar, onde o barco à deriva chegou, com muitas orações e cantos alegres, como é próprio do povo cigano. Quando chegam ao mar fazem um grande silêncio e colocam um pouco da imagem da Santa dentro da água, simbolizando a sua vinda da Palestina para a França. Depois voltam em festa para a igreja de Santa Sara.

A imagem de Santa Sara

A imagem de Santa Sara está depositada na cripta, ou seja, na parte subterrânea da igreja de Saint Michel. Lá também estão depositados os ossos da Santa, guardados como relíquias sagradas.

Devoção

Por causa de tudo que esta grande mulher viveu em sua vida, desde ajudar no parto de Nossa Senhora até acompanhar a morte de Jesus Cristo na cruz, Santa Sara é invocada também como a santa dos desesperados, dos exilados, dos ofendidos, dos desamparados, além de padroeira do povo cigano, das mulheres que querem engravidar e do bom parto.

Oração a Santa Sara

“Santa Sara, minha protetora, cubra-me com seu manto celestial. Afaste as negatividades que porventura estejam querendo me atingir. Santa Sara, protetora dos ciganos, sempre que estivermos nas estradas do mundo, proteja-nos e ilumine nossas caminhadas. Santa Sara, pela força das águas, pela força da Mãe-Natureza, esteja sempre ao nosso lado com seus mistérios. Nós, filhos dos ventos, das estrelas, da Lua cheia e do Pai, só pedimos a sua proteção contra os inimigos. Santa Sara, ilumine nossas vidas com seu poder celestial, para que tenhamos um presente e um futuro tão brilhantes, como são os brilhos dos cristais. Santa Sara, ajude os necessitados; dê luz para os que vivem na escuridão, saúde para os que estão enfermos, arrependimento para os culpados e paz para os intranquilos. Santa Sara, que o seu raio de paz, de saúde e de amor possa entrar em cada lar, neste momento. Santa Sara, dê esperança de dias melhores para essa humanidade tão sofrida. Santa Sara milagrosa, protetora do povo cigano, abençoe a todos nós, que somos filhos do mesmo Deus. Santa Sara, rogai por nós. Amém.”

#cadêFUNAI? URGENTE: MPF/Sp pede proteção para mulheres e crianças indígenas que vivem nas aldeias do Jaragupá. Estupros, oferecimento de troca de menores por drogas, entre outros absurdos.

indiazinhaMPF/SP pede policiamento ostensivo nas aldeias do Jaraguá após denúncias de crimes sexuais contra crianças e jovens indígenas

PM do Estado de São Paulo não patrulha a região; ação também requer que a Funai disponibilize ferramenta de denúncia para as vítimas

O Ministério Público Federal entrou com ação civil pública para que o Estado de São Paulo realize policiamento ostensivo e emergencial nas aldeias do Jaraguá, na Zona Oeste da capital paulista. Investigações conduzidas pelo MPF revelaram diversos casos de abuso sexual e estupro de crianças, adolescentes e mulheres indígenas praticados por membros da própria aldeia, além do consumo de drogas ilícitas. A ação também requer que a Fundação Nacional do Índio (Funai) implante imediatamente uma ferramenta para que as vítimas possam denunciar os crimes sexuais de forma rápida, segura e sigilosa.

Informações trazidas ao MPF pelo Conselho Tutelar de Pirituba/Jaraguá dão conta de que estariam ocorrendo casos de estupro, abuso sexual de crianças, prostituição, violência doméstica e consumo de drogas de forma reiterada nas aldeias Tekoa Ytu, Tekoa Pyau e Itakupé. Uma adolescente teria sido estuprada pelo neto do cacique de uma delas. Boletins de ocorrência também registram o estupro de vulnerável de uma criança indígena de 7 anos e o aliciamento de outra, de 11 anos. Segundo uma conselheira tutelar, há também a possibilidade de que jovens indígenas estejam sendo oferecidas por membros da tribo para que se relacionem sexualmente com traficantes de uma favela vizinha em troca de drogas.

IMPUNIDADE. A situação é agravada pela sensação de impunidade, uma vez que a Polícia Militar do Estado de São Paulo não vem realizando policiamento ostensivo nas aldeias. Para o Procurador da República Matheus Baraldi Magnani, autor da ação, o patrulhamento ostensivo da PM na região é inadiável para que tais abusos sejam coibidos e punidos de forma eficaz.

A presença da Polícia Militar em áreas indígenas faz parte das atribuições do órgão, previstas na Constituição, não havendo fundamento legal para a exclusão das aldeias do serviço de policiamento ostensivo ou para que este seja realizado pela Polícia Federal. “O argumento rasteiro e equivocado de que a PM não poderia entrar nas aldeias por se tratar de bens da União é verdadeiramente absurdo. Se assim fosse, a Polícia Militar do Rio de Janeiro, por exemplo, não poderia coibir arrastões nas praias cariocas, que também são bens da União”, explica o procurador.

DENÚNCIAS. Anteriormente, os indígenas que sofriam abusos tinham como canal de denúncia improvisado duas funcionárias de uma Unidade Básica de Saúde instalada no Jaraguá. As agentes de saúde, porém, foram afastadas e desde então não há mecanismo eficiente de denúncia de crimes sexuais na região. No atual contexto, as vítimas e aqueles que tomam conhecimento dos fatos se sentem ameaçados e silenciados pelos próprios moradores da aldeia. A apuração dos delitos é ainda mais difícil quando o criminoso é um membro com destaque ou status especial na comunidade. Além disso, muitas crianças, adolescente e mulheres sequer falam o português fluentemente.

“Uma vítima tão fragilizada terá enormes dificuldades para se deslocar pela malha rodoviária de uma das maiores cidades do mundo e comunicar, em outra língua que não a sua materna, a ocorrência de crimes tão constrangedores e silenciadores quanto os sexuais. Estão aí todos os elementos necessários para conduzir à impunidade os autores desses delitos”, ressaltou Matheus Baraldi. O MPF pede que a Justiça Federal conceda liminar para que a ferramenta de denúncia e o policiamento ostensivo sejam implementados imediatamente, sob pena de multa diária de R$ 5 mil em caso de descumprimento. Ao fim do processo, o procurador requer que tanto a Funai quanto o Estado de São Paulo paguem multa de R$ 1 milhão na hipótese de desobedecerem à sentença.

Leia a íntegra da ação. O número do processo é 0021089-68.2015.4.03.6100. Para consultar a tramitação, acesse http://www.jfsp.jus.br/foruns-federais/

fonte assessoria de imprensa do mpf/sp

Salve Jorge, São Jorge Guerreiro, Ogum, brasa de dragão, espada. É hoje, 23 de abril

Santo guerreiro; Padroeiro da Inglaterra, Portugal, Lituânia e Geórgia

:: Data de comemoração: 23 de Abril

Em torno do século III D.C., quando Diocleciano era imperador de Roma, havia nos domínios do seu vasto Império um jovem soldado chamado Jorge. Filho de pais cristãos, Jorge aprendeu desde a sua infância a temer a Deus e a crer em Jesus como seu salvador pessoal.

Nascido na antiga Capadócia, região que atualmente pertence à Turquia, Jorge mudou-se para a Palestina com sua mãe após a morte de seu pai. Lá foi promovido a capitão do exército romano devido a sua dedicação e habilidade – qualidades que levaram o imperador a lhe conferir o título de conde. Com a idade de 23 anos passou a residir na corte imperial em Roma, exercendo altas funções.

Por essa época, o imperador Diocleciano tinha planos de matar todos os cristãos. No dia marcado para o senado confirmar o decreto imperial, Jorge levantou-se no meio da reunião declarando-se espantado com aquela decisão, e afirmou que os os ídolos adorados nos templos pagãos eram falsos deuses.

Todos ficaram atônitos ao ouvirem estas palavras de um membro da suprema corte romana, defendendo com grande ousadia a fé em Jesus Cristo como Senhor e salvador dos homens. Indagado por um cônsul sobre a origem desta ousadia, Jorge prontamente respondeu-lhe que era por causa da VERDADE. O tal cônsul, não satisfeito, quis saber: “O QUE É A VERDADE ?”. Jorge respondeu: “A verdade é meu Senhor Jesus Cristo, a quem vós perseguis, e eu sou servo de meu redentor Jesus Cristo, e nele confiado me pus no meio de vós para dar testemunho da verdade.”

Como São Jorge mantinha-se fiel a Jesus, o Imperador tentou fazê-lo desistir da fé torturando-o de vários modos. E, após cada tortura, era levado perante o imperador, que lhe perguntava se renegaria a Jesus para adorar os ídolos. Jorge sempre respondia: “Não, imperador ! Eu sou servo de um Deus vivo ! Somente a Ele eu temerei e adorarei”. E Deus, verdadeiramente, honrou a fé de seu servo Jorge, de modo que muitas pessoas passaram a crer e confiar em Jesus por intermédio da pregação daquele jovem soldado romano. Finalmente, Diocleciano, não tendo êxito em seu plano macabro, mandou degolar o jovem e fiel servo de Jesus no dia 23 de abril de 303.

A devoção a São Jorge rapidamente tornou-se popular. Seu culto se espalhou pelo Oriente e, por ocasião das Cruzadas, teve grande penetração no Ocidente.

Verdadeiro guerreiro da fé, São Jorge venceu contra Satanás terríveis batalhas, por isso sua imagem mais conhecida é dele montado num cavalo branco, vencendo um grande dragão. Com seu testemunho, este grande santo nos convida a seguirmos Jesus sem renunciar o bom combate.

Oração de São Jorge

Chagas abertas, sagrado coração todo amor e bondade, o sangue do meu senhor Jesus Cristo no meu corpo se derrame, hoje e sempre. Eu andarei vestido e armado, com as armas de São Jorge, para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me enxerguem, e nem em pensamento eles possam ter para me fazerem o mal, armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças quebrarão sem meu corpo chegar, cordas e correntes se arrebentarão sem o meu corpo amarrarem.

Jesus Cristo me proteja e me defenda com o poder da sua santa e divina graça, a Virgem Maria de Nazaré me cubra com seu sagrado e divino manto, me protegendo em todas as minhas dores e afliçoes e Deus com a sua divina misericordia e grande poder seja meu defensor contra as maldades e perseguições dos meus inimigos, e o glorioso São Jorge em nome de Deus, em nome de Maria de Nazaré , em nome da Falange do Divino Espirito Santo estenda-me o seu escudo e as suas armas poderosas defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza dos meus inimigos carnais e espirituais , e de todas as suas más influencias, e que debaixo das patas de seu fiel Ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a Vós sem se atreverem a ter um olhar sequer que me possa a prejudicar. Assim seja com o poder de Deus de de Jesus Cristo e da Falange do Divino Espirito Santo, A mém.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Este slideshow necessita de JavaScript.

fonte:http://www.saojorge.net/sj.htm

Atenção, URGENTE! Mobilização já, contra esses safados da Operação Condor. Proteção já para o jornalista Luis Claudio Cunha.

do CLAUDIO HUMBERTOwww.claudiohumberto.com.br

VEJA MAIS SOBRE O GRANDE LUIS CLAUDIO CUNHA AQUI

Sequestrador de uruguaios tenta condenar jornalista que o denunciou

La Republica
Foto
LILIAN E UNIVERSINDO, EM FOTO DE 2007, VÍTIMAS DO SEQUESTRO…

 
 
Foto
…DENUNCIADO POR LUIZ CLAUDIO

 

O inspetor aposentado do DOPS gaúcho João Augusto da Rosa, codinome “Irno”, um dos seqüestradores em Porto Alegre dos uruguaios Universindo Díaz, Lílian Celiberti e seus dois filhos, Camilo e Francesca, tenta nesta quarta-feira (25) um recurso na Justiça gaúcha para tentar condenar o jornalista Luiz Cláudio Cunha, autor da reportagem que denunciou a operação criminosa.

A desembargadora Marilena Bonzanini, da 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça gaúcho, relatora do processo, julgará o recurso de “Irno” a partir das 14h desta quarta, em conjunto com outros dois desembargadores: Íris Helena Medeiros Nogueira e Leonel Pires Ohlweiler.