#ADEHOJE – A ONDA DO TSUNAMI CHEGANDO

 

#ADEHOJE – A ONDA DO TSUNAMI CHEGANDO

SÓ UM MINUTO – Não tinha ficado claro ao que o presidente Jair Bolsonaro se referia quando na semana passada disse que enfrentaria um tsunami essa semana. Agora, com a decretação da devassa dos sigilos de seu filho Flávio Bolsonaro, o assessor Fabricio Queiroz, e de todas as pessoas de alguma forma ligadas a eles, nos últimos dez anos, começamos a entender. Inclusive porque o caso vai pegar até aquele chefe da milícia – foragido! – suspeito de envolvimento grave na morte da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. Esse povo trabalhou e esteve sempre muito ligado ao filho do Capitão que agora é senador.

Os números da nossa economia mostram o que sentimos, andam de mal a pior.

Fora isso, agora à noite o homem vai viajar para Dallas, onde receberá finalmente amanhã o tal engastalhado prêmio de “Homem do Ano”, da Câmara de Comércio Brasil/ EUA, execrada e recusada com gosto pelo povo de Nova Iorque. Bolsonaro deverá se encontrar com o ex-presidente George Bush.

Ah, coisa boa, poderemos ter uma Santa baiana na Igreja Católica, Irmã Dulce.

Resultado de imagem para TSUNAMI

 

 

Ricardo Noblat fala sobre “aquele” zinho que mordia no Paraná. E agora tenta morder em Brasília.

Foto: Albari Rosa / Gazeta do Povo

 O senador Roberto Requião (PMDB-PR) escreveu no twitter que daria uma boa discussão seu gesto de arrancar das mãos de um jornalista o gravador onde estavam registradas algumas perguntas que ele lhe fizera.

Em dado momento da entrevista, o jornalista quis saber se Requião não seria capaz de abrir mão da aposentadoria mensal de R$ 24.117,00 que recebe como ex-governador do Paraná.

O atual governador Beto Richa (PSDB-PR) havia revogado o decreto que garantia o pagamento de aposentadoria a Requião e a outros ex-governadores.

Em 2007, por 10 votos contra um, o Supremo Tribunal Federal considerou inconstitucional o dispositivo da constituição de Mato Grosso do Sul que permitia o pagamento de aposentadoria para ex-governadores.

Desde então, tramitam ali ações contra o pagamento de aposentadoria a ex-governadores de oito estados – um deles, o Paraná.

A discussão proposta por Requião no twitter é fácil de ser travada. E o resultado, certamente, não lhe será favorável.

Salvo em ditaduras, onde a imprensa não é livre, jornalista tem o direito de perguntar o que quiser – e a quem quiser. Assim como qualquer cidadão.

Se o alvo das perguntas se sentir ofendido por elas, deve procurar a Justiça e processar o seu autor. É simples assim. Não há outra forma legal de proceder. Legal e civilizada.

Por que Requião preferiu o caminho da violência? Ou não é uma violência tomar de um jornalista seu instrumento de trabalho?

Primeiro porque as perguntas, nos termos em que foram formuladas, não configuravam calúnia, injúria ou difamação. Requião não seria bem-sucedido se processasse o jornalista.

Segundo porque Requião é um político com vocação de ditador. Seu temperamento é autoritário. Há uma vasta coleção de episódios protagonizados por ele que amparam o que digo.

Requião sentu-se provocado pelo repórter porque não está acostumado a responder a perguntas que o incomodam. Como governador do Paraná, fugia delas. Ameaçava jornalistas. Perseguia a sabotava jornais.

O repórter que perdeu o gravador para Requião, devolvido depois com o cartão de memória apagado, tentou prestar queixa junto à Polícia Legislativa. Sem sucesso.

Foi orientado a levar o caso à Corregedoria do Senado, encarregada de fiscalizar o comportamento dos senadores. Ocorre que a corregedoria está vaga desde o ano passado.

José Sarney (PMDB-AP), presidente do Senado, omitiu-se como de hábito. Informado a respeito, balbuciou:

– Eu não conheço esse fato. O senador Requião é um cavalheiro. Deve ter havido um mal entendido. Ele não deve ter feito isso.

Requião fez. Não foi um mal entendido. Ele é tudo – menos um cavalheiro.

Quanto a Sarney… Bem, é apenas um cavalheiro.

Veja de novo como ficou a esposa do Netinho, depois de um bate-boca. E assista o vídeo da turma do samba para o…Quércia! Nem eles querem o Netinho.

Galera do samba está contra Netinho

Por Luis Gustavo Chapchap

http://inblogs.com.br/news/politicanews/galera-do-samba-esta-contra-netinho

Netinho de Paula alardeia por aí que a “turma do gueto” como ele chama está com ele. Acontece que isso não é verdade. Boca Nervosa, uma das vozes mais famosas do samba paulista, declara seu apoio a Orestes Quércia. Boca Nervosa inclusive foi quem lançou Netinho na cena do samba. Conforme mostra o vídeo abaixo publicado originalmente na Rede Social Unidos por São Paulo.

Netinho tem uma vida controversa, já agrediu a esposa, pouco fez como vereador e atualmente esconde patrimônio.

Não se discute a sua atuação como artista, mas alguém que vai representar o mais rico Estado da Federação deve ter controle emocional.

Perceba que clicando aqui que a atuação dele é pequena em projetos de pouca relevância.

( Dica da Dani Nusbaum )