ARTIGO – Enxergar (mais) é preciso. Por Marli Gonçalves

__Eye2Aqui em São Paulo, reparei nisso outro dia, estão abrindo mais óticas do que, sei lá, farmácias ou outras bibocas. Tem quarteirões com mais de três, quatro, às vezes uma do lado da outra, inclusive nas áreas mais nobres, e onde só uma armação pode custar os olhos da cara, para aproveitar o trocadilho. Será que o povo está míope, ou está vendo agora que não pode mais fechar os olhos para a realidade dura que bate, toc toc toc na porta? Olhe no olho mágico.

graphics-medical-medicine-632556Há meses, quando a gente falava que a coisa já estava ficando feia, descontrolada, corrupa pra tudo quanto é lado, chamegos no poder, era chamado de arauto do mal, dragão, pessimista, xingado de tucano e mau brasileiro. Ainda tem uns gatos pingados por aí que teimam em manter a birra pós-eleitoral, mas só para não perder a pose ou o dinheirinho que recebem para cegar, porque a crise está tocando a campainha da casa de todos, e não dá mais para negar, tapar o olho mágico, botar corrente na porta, ficar quietinho fazendo que não está ali, em casa. Já viram uma temporada de fim de ano como essa?

Não sei por que acabei associando esse desembaçamento necessário – até para que consigamos mudar as coisas – com o aumento do número de óticas neste grande centro urbano paulista, e que acredito não seja só aqui esse incremento. Não deve ter a ver diretamente, mas sabem como é, não? Para crônicas a gente sai por aí catando assuntos, ocorridos, palavras.

eye2- grandaoMas motivos têm. Se não tivesse aumentado o mercado, isso não ocorreria. Já vinha degringolando, mas de um ano para cá a minha visão deu uma caída considerável, e agora terei de virar quatro-olhos, usar os famosos para perto e para longe, para frente e avante. Viver o mundo digital muitas horas por dia cobra um preço bem alto. A perda de visão me parece que é um dos maiores males; claro além do LER, aquela dor do esforço repetitivo que inutiliza mãos e braços, e colunas vertebrais entortadas por cadeiras ou por manter o pescoço curvado olhando celulares e o mundo passando ligeiro pelas redes virtuais sociais.

O resultado inicial dessa minha comprinha obrigatória já é uma conta para pagar até o fim do ano que vem, mesmo que a armação que tive de escolher tenha de ter sido mais quenguinha. Acreditem, as lentes saíram muito mais caro do que eu poderia prever.

Sei que também é falta de ver horizonte, entendido de forma literal ou abstrata. Os olhos, na cidade grande, estão sendo sempre barrados, por motivos ou prédios, difícil se enxergar ao longe e enxergar é algo amplo, mais que ver, mais que avistar. É prestar atenção. Ser capaz de distinguir as coisas, e até se antecipar a elas, prever. É poder considerar. (Será por isso, me ocorre agora, que a personificação da Justiça seja aquela moça de olhos vendados?)

Pelas lentes, variadas sejam elas, podemos ver e, se escuras forem, podemos até esconder o lado para o qual olhamos. Um olho no peixe e outro no gato, como diz o dito popular; ou aquele outro dito, quem vê cara não vê coração (me lembra a Petrobras e sua presidente). O que os olhos não veem o coração não sente (até que seja descoberto como foi apunhalado). Longe dos olhos, perto do coração já e coisa mais poética, a mim lembra até música que um dia me foi dedicada, bela perdida no tempo.femeyes

Dá para ir longe olhando por esses ângulos, nessas frestas, brecheiragens de nossos dias. Mas para a gente olhar para fora, tem uma inflexão espelhada, o enxergar-se.

É um exercício a fazer ano que vem. E aproveitar e enxergar-nos uns aos outros.

São Paulo, sob várias óticas, 2014-2015

Marli Gonçalves é jornalista – Ver pontos pretos, ou moscas volantes, como chama esse negócio, não é legal. E pontos luminosos, aqueles muito loucos que aparecem, se acontecer muito é melhor falar com o médico. É o cérebro mandando algum sinal para você ver.

********************************************************************
E-mails:
marli@brickmann.com.br
marligo@uol.com.br

POR FAVOR, SE REPUBLICAR, NÃO ESQUEÇA A FONTE ORIGINAL E OS CONTATOS

ARTIGO – Quer entrar na minha balsa? Por Marli Gonçalves

Noah__s_Ark___Animated_by_Mirz123Não quero fugir daqui não. Não. Tivesse eu, sei lá, alguns bons anos a menos, uma situação equilibrada, resolvida economicamente, menos problemas sociais, familiares e gente dependendo de mim, saúde melhor e disposição, além de uma boa dose de calma para enfrentar ignorâncias, enfim, se tivesse tudo isso, o que faria era cair na vida e liderar um movimento amplo, geral e irrestrito pelo paísNoahs-Ark

Sinto muito. Dei a ideia, mas não vou. Vou não. Vão precisar achar outro, e não sei se tem headhunter para isso; só sei que é urgente a necessidade de restabelecer alguma luz, formar lideranças e quadros, arejar as ideias e ideais. Não é nem por falta de querer. Mas prometo, daqui, continuar participando, batucando nas pretinhas. Tentando abrir olhos fechados, apontar injustiças.

Tá, mas se quiserem escrever algum manifesto, posso ajudar, claro. Sempre adorei escrever manifestos. Creio que tenho, vai ver, alma de revolucionária, ou talvez tenha sido uma em vida passada e tenha resquícios. Esse pensamento “Pasionaria” anda aflorando mas já afastei a chineladas. Se não estou aguentando nem comigo, como é que vou poder ajudar alguma coisa?storyboard-manage

Óbvio que tenho mil ideias de como poderia ser. E seria bonito, porque juntaria as torcidas no que elas têm de melhor, colaria esses mil pedaços que viramos, aproveitaria as boas ideias e intenções que vejo deslocadas em extremos bobos, em dialética atrasada. Não deixaria que o fígado se impusesse sobre o cérebro. Formaríamos um time só, como uma Seleção, capaz de por no mesmo campo tanto flamenguistas, quanto fluminenses, corintianos, palmeirenses, gremistas e atleticanos, todos jogando em seus campos de atuação. O Clube por um Brasil verdadeiramente melhor. Conheço muita gente que ia querer carteirinha.

Nosso movimento seria suprapartidário, alegre, propositivo. Simbolicamente teríamos muitos visuais. Também não escamotearíamos questões mais quentes, mais próximas de nós, umas que nos dizem respeito mais perto da pele, o que incluiria sexualidade, comportamento, drogas, terapias, cultura, educação e a já famosa sustentabilidade. Importante: inventaríamos logo novas formas de consulta, para evitar reuniões maçantes, ou mesmo muros, onde não é legal ficar se equilibrando.

communication-break-group-oIdealismo é bom e eu gosto. Sou tão a favor da diversidade real e absoluta, com ideias variadas, sem culpa e moralidades, que me tornei um ser diferente, esquisito, meio ET/OVNI, como sei que muita gente não fala – mas acha. Normalmente inofensiva, não ofereço perigo. Pelo menos não normalmente; e é melhor não atiçar.

Só que o sangue ferve nesses últimos dias, pasma de ver sábios virando ignorantes por causas políticas; e ignorantes virando sábios pelo mesmo motivo. Gente que não saiu dos cueiros falando em impeachment e velhos que deviam ter vergonha na cara defendendo essa tragédia tenebrosa que o grupo político do poder montou, e continuará montado em cima, galopando, como se estivessem acima de tudo e de todos, tentando eliminar quem não lhes quer bem a todo o custo.

Navegando nos meus sonhos, esse movimento que idealizo seria como uma balsa, uma arca como a de Noé, que recolheria do mar alguns dos seres de boa vontade que ainda vemos perdidos por aí tentando se salvar, mantendo a respiração com a cabeça do lado de fora, batendo o pé, agitados, para não afundar, não irem contra os seus princípios. Certos tipos ficariam de fora imediatamente. Os sem personalidade que usam a expressão coxinha. Os que ainda acham que essa coisa de direita e esquerda é legal e possa ser determinante, que propõem que a liberdade, seja de expressão ou qualquer outra, deva ter limites(!) Também de fora ficariam os preguiçosos mentais, maria-vai-com-as-outras, os ativistas arrivistas e bem pagos para atacar, inclusive seus próprios amigos. Se fosse eu a comandar essa expedição adoraria também chamar “pra dentro” um povo aí, também meio louquinho, excêntrico, exótico e colorido, para cerrar nossas fileiras. Nossa, como seria divertida nossa arca, nosso barco, nossa balsa!

GRUPOA coisa está chata. As incertezas empesteiam o ar, embaçando as mais delicadas bolas de cristal. Decisões confusas e mal ajambradas que ficam intocáveis porque são “moderninhas”, ou eles viram “lá fora”. Pouco importa se estão sendo feitas igual ao focinho. Nem sempre admito essa tese que diz que existir, mesmo que errado, mas começar, é melhor do que nada.

Não acho. Começo errado já é problema. Às vezes pode interromper o próprio Futuro, conformado, apequenado. Já vi esse filme, sei até as falas das cenas, tanto as dos vilões quanto as dos bonzinhos. Sonho em ainda ser a protagonista.

São Paulo, boa terra para esse time se jogar, 2014
vianoce060

Marli Gonçalves é jornalista – Um dia me perguntaram se eu não queria me candidatar, por exemplo, para vereadora. Não dá. Não consigo achar certo ficar prometendo antes, não fazendo depois. De qualquer forma, se eu topasse e ganhasse, minhas leis seriam legais. Acredite.

********************************************************************
E-mails:
marli@brickmann.com.br
marligo@uol.com.br

POR FAVOR, SE REPUBLICAR, NÃO ESQUEÇA A FONTE ORIGINAL E OS CONTATOS

ARTIGO – Corações partidos. Por Marli Gonçalves

Coeur_qui_batSempre achei superbonito aqueles casais que, para consagrar seus amores, mostram-se amarrados, carregam coisas complementares em pedaços e que, quando juntas, retomam a unidade, completando-se de forma romântica. Feitas de material nobre, as peças podem ser moedas, anéis, chaves,/cadeado, e o coração, este cortado em duas partes com ziguezague que se encaixam perfeitamente. Infelizmente, nesse nosso amor por uma sociedade justa e moderna agora estamos divididos e tão cedo ou dificilmente essas nossas partes se juntarão, nessa ciranda cirandinha. kjvhearti_e0

O anel que tu me deste era vidro e se quebrou… Despedaçou. Quebrados. Cacos. Olha só os mil pedacinhos. Honra, amizade, ética, coerência, inteligência, educação, bom senso, preocupação com o melhor para todos, com o que é relevante, com a liberdade de pensar diferente, com a lógica. Não. O legal é brigar, né? Parecemos aqueles casais que já não se suportam, mas vivem sob o mesmo teto, esquecendo que amanhã a casa – e o teto – será a mesmo, mas por rabugice provocam-se ao limite. Não se falam no café da manhã. Mas de noite fazem as pazes, fazem amor e dizem que assim é muito melhor, que fica mais gostoso e selvagem.

imagesQMSV01QYVamos fazer uma DR? Discutir o relacionamento? Não consigo vislumbrar os próximos dias com exatidão, embora creia que se o casal não se separa de vez acaba convivendo de combinação, se acomodando, que assim fica melhor. Neste teatro, nós somos os filhos, pelos quais em geral os pais garantem que se sacrificam, até descobrirem que isso pouca importância teve para os próprios. Mas como irmãos não conseguiremos assim tão rápido bater palmas, dar as mãos, mandar beijinhos, dançar em roda, todos juntos. A violência e virulência dessa campanha eleitoral, aliás, desse ano todo, desses tempos, de tanta coisa, copa, petrobras, aviões, aeroportos, deixará marcas indeléveis, senão entre pessoas, entre lugares, entre regiões, entre Estados. A mim lembrou tristemente – passa como um filme – as tantas artimanhas que usamos e que passamos para chegar aqui ao regime democrático, afrontado agora com tantos tapas e poucos beijos e o que é pior, por tão poucas diferenças.

Agora quem combatíamos está lá formando o barro, junto com seus velhos amigos. Os mesmos que querem nos convencer que a verdade é una, querendo que fiquemos na mesma cama de casal, que emprestemos nossas escovas para certos bigodes, que a gente sente junto no sofá para ver a novela, de mãos dadas. É quase neurótica a política brasileira, tarja preta, de remédio e de censura. Tirem as crianças da sala. Não é por menos que 35 milhões de brasileiros se abstiveram, ignoraram, se recusaram, simplesmente se recusaram. Acho fato mais grave de todos.

imagesUUNVYQ3STudo parecia dialético, ou um ou outro, sem escalas, como se fossemos laranjas cortadas, mas nem é bom falar muito de laranjas nesse momento,

Batemos bumbo para maluco dançar. Palhaços com maquiagem borrada, nos descabelando por nada. Nos desunimos igualzinho a aqueles casais que brigam porque um deles escutou a maledicência de outras pessoas, estas sim, interessadas em nos separar. Certamente cada um de nós sabe o que é ou passou por isso em sua vida particular, de alguma forma, e isso só trouxe a desgraça, a tristeza, o ódio, o ciúme. O monstro da destruição. Quero ver agora é dissipar a mentira lançada, a insídia infiltrada em quem necessita do apoio social como a própria vida.

Gostaria que tudo fosse verdade. Nesses dias todos nós, bois Garantido ou Caprichoso, convivemos com outros bois, de outras cores, dentro de nossos currais. Ou como marinheiros bêbados, pendendo para a direita demais ou para a esquerda demais, para o radicalismo de lá, de cá. Tudo junto e misturado. Muito esquisito.imagesNBNQGGOL

À frente, teremos revelações, dias duros, mar instável, rios secos. Nada diferente do que tivemos até hoje, mas com gravidade espetacular. Quem falou, tem de provar. Se provar, quem se defende vai ter de sapatear e até ficar rouco para saltar dessa embarcação.

Um novo Brasil será descoberto. E acreditem que vamos ter muita gente nova aportando na praia, tentando nos catequizar. Quem sabe poderemos unir, sei lá, os arcos e as flechas?

São Paulo, 2014heartMarli Gonçalves é jornalista – Oposição tem de ser normal. Procura-se adeptos para ela. Candidatos precisam ser sérios, variados, homens e mulheres, e pretenderem lutar (mesmo) pelo bem comum.

********************************************************************
E-mails:
marli@brickmann.com.br
marligo@uol.com.br

 

Lista de filmes do Oscar do Pornô. Vale a pena ler os títulos. Alguns dá vontade de ver imediatamente…Do g1

renoPrimeiro Prêmio da Indústria Pornô tem ares de Oscar em São Paulo

Evento reuniu atores e atrizes do ramo e busca reconhecimento do pornô.
Angel Lima foi a grande vencedora da noite com duas estatuetas.

Gustavo Petró Do G1, em São Paulo

Atores, atrizes, diretores e produtores que venceram o primeiro Prêmio da Indústria Pornô brasileira (Foto: Divulgação)Atores, atrizes, diretores e produtores que venceram o primeiro Prêmio da Indústria Pornô brasileira (Foto: Divulgação)

A indústria de filmes adultos brasileira teve sua primeira premiação na noite desta terça-feira (14) que reconhece o trabalho de atores, atrizes, produtores e diretores no Brasil. O Prêmio da Indústria Pornô, o Pip, que teve ares de Oscar com tapete vermelho, foi uma cerimônia comportada enquanto quem faz estes filmes diz que o evento trará reconhecimento para o setor.

Angel Lima posa para fotos durante o prêmio Pip. Ela recebeu dois prêmios. (Foto: Gustavo Petró/G1)Angel Lima posa para fotos durante o prêmio Pip.
Ela recebeu dois prêmios. (Foto: Gustavo Petró/G1)

Continua no G1…

Melhor cena de orgia
“Carnaval 2010”
“Rei do Anal 3”
“Amigas da Minha Irmã”

Melhor cena de fetiche
“Fetiches e Fantasias 2”
“Bundas Alucinantes”
“Diário de uma Dominadora”

Melhor cena de sexo oral
“Profissão: Atriz Pornô”
“Disk Boquete”
“Uma Sra. Chupada”

Melhor cena de DP
“Tesão sem Fim”
“Sexo na Van – Patrícia Ventura, a tia do sexo”
“Meninas Más”

Melhor cena de sexo anal
“Anal maníacas 2”
“Excita-me”
“Sexo sem cortes”

Melhor atriz
Angel Lima
Michely Fernandez
Fabiane Thompson

Melhor ator
Loupan
Ed Júnior
Jota

Melhor título
“Plugadas”
“Disk Boquete”
“Transa ao Tom de Cinza”

Revelação do ano
Renatinha Gaúcha
Carol Castro
Diana Dubay

Retrato da Prefeitura do poste. Leia essa placa se for capaz. Feliz Aniversário, Parque Ibirapuera?

 Em frente a um bem público, o Ginásio do Ibirapuera, e ao lado do aniversariante de hoje, Parque  Ibirapuera

 

Parabéns?

20140821_112123

Nota deliciosa do amig James Akel. Fernando Haddad, o Rei da Barra. Ops, dos barrados. Eu diria mais: dos barrentos. Ô coisinha nada.

HADDAD É O REI DA BARRA

Ao que tudo consta Haddad é o Rei da Barra.

O TCM, Tribunal de Contas de Município, já barrou 6 bilhões em licitação do prefeito.

A última foi a licitação de 848 câmeras pra controlar trânsito.

A grande licitação foi a de corredor de ônibus que valia 4 bi e 800 mi.

animated-gif-animals-crying-emperors-new-groove-disney-1360315833FONTE: COLUNA JAMES AKEL

Mais uma do Aziz que, lá do Rio, também vê o “Vai pra casa, Padilha!”

disney-graphics-pinocchio-399144Antes que seja tarde

Patinando nas pesquisas, o candidato do PT ao governo de São Paulo
pode enfrentar fogo amigo. Tem gente do partido preparando adesivos
para serem afixados em para-brisas de veículos com o bordão que Jô Soares
tornou famoso: “Vai pra casa, Padilha!” ( fonte: coluna aziz ahmed)

disney-graphics-pinocchio-399144disney-graphics-pinocchio-399144disney-graphics-pinocchio-399144disney-graphics-pinocchio-399144disney-graphics-pinocchio-399144disney-graphics-pinocchio-399144disney-graphics-pinocchio-399144disney-graphics-pinocchio-399144disney-graphics-pinocchio-399144disney-graphics-pinocchio-399144disney-graphics-pinocchio-399144disney-graphics-pinocchio-399144

Mais um protesto, dia 16 segunda. Da polícia. Ah, da chefia, dos delegados. É o alerta vermelho. Leia comunicado deles

( COMENTÁRIO MEU: A SITUAÇÃO ESTÁ BEM TENSA NA POLÍCIA CIVIL. ESTIVE ANTEONTEM COM DUAS DELEGADAS BÁRBARAS,  QUE CONHECI, E QUE ME RELATARAM COISAS E DIFICULDADES DO ARCO DA VELHA, INCLUSIVE COM RELAÇÃO À SAÚDE)magic-button

Animated_Emergency_Button_by_Acerzw

DIA 16 DE JUNHO: POLÍCIA CIVIL ACENDE ALERTA VERMELHO

No próximo dia 16 de junho, os Delegados de Polícia do Estado de São Paulo acendem o Alerta Vermelho, ato que deverá despertar a sociedade sobre a importância da Segurança Pública para a qualidade de vida de todos, especialmente quando os índices de criminalidade atingem o limite da suportabilidade.

O Alerta Vermelho ocorrerá entre 16h e 18h, período em que o Delegado de Polícia e Policiais Civis se dedicarão ao atendimento do cidadão para o esclarecimento da atuação da Polícia Investigativa e suas grandes dificuldades no combate ao avanço da criminalidade.

Os Delegados de Polícia, atentos às políticas da Secretaria de Segurança Pública, se mobilizarão em benefício do fortalecimento da Segurança Pública visando a aproximação da sociedade para a consolidação de um diálogo sobre o papel das polícias e as principais carências do Estado em relação às políticas de Segurança Pública.

FONTE DA NOTA:
ADPESP
Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo

Escuta essa, do Maluf. Quer casar com o Padilha no altar, com pompa e cardeal…

Fator Maluf – 1
O apoio do PP nas eleições paulistas já está garantido. Agora, caberá a Lula resolver a segunda parte do problema: tirar da cabeça de Paulo Maluf a ideia de subir no palanque do petista Alexandre
Padilha.

Fator Maluf – 2
A armação do PT não faz a cabeça de Maluf, que, dono de uma bagagem de uns 500 mil votos, ao anunciar apoio a Dilma e Padilha, cantou de galo, afirmando:

“Eu não caso no porão, só caso no altar. E tem que ser com cardeal.”

(NOTAS COLUNA AZIZ AHMED – O POVO-RJ)

E O QUE É O QUE É QUE FALTA NESSA FOTO ABAIXO????

0c0ae651aa1319951277428cad2fc1eaballetclr

 

Nelson Antoine/Fotoarena/Estadão Conteúdo

 

RESPOSTA CERTA:

ALGEMAS!UMA, COLETIVA!

Animated-handcuffs Animated-hands-in-handcuffs

PREPARE-SE: UMA AGENDA DE MANIFESTAÇÕES HOJE, EM SP

fonte: TEXTO DA assessoria de imprensa MTST

furiaHoje, 28/5, as ocupações do MTST – em especial a Copa do Povo – terão um dia agitado e decisivo.

A partir das 15hs o MTST se concentrará na Praça da República para seguir em Marcha até a Câmara Municipal. O objetivo é pressionar para a votação definitiva do Plano Diretor e inclusão da Emenda que propõe o terreno ocupado em Itaquera como ZEIS.

A perspectiva é reunir entre 6 a 8 mil trabalhadores sem-teto de várias ocupações da capital.

Em seguida, as 18h30, haverá uma Nova Reunião na Assembleia Legislativa de São Paulo (Sala 3113) para buscar avançar na negociação da Ocupação Copa do Povo.

Estarão presentes: Secretaria Geral da Presidência da República; Caixa Econômica Federal; Secretário Estadual de Habitação; Secretário Municipal de Relações Governamentais e de Habitação; Empresa Viver (proprietária do terreno); e MTST.

Sim, elas existem. E Carlucho fotografou. Placas em igrejas que dizem tudo

Igreja de São Francisco – Largo São Francisco- são paulo, sp

Foto1901-1

 Igreja presbiteriana independente Rua Nestor Pestana, sp

Foto1911-1

 

 

 

 

Nota do MTST sobre a manifestação de amanhã,15. Aliás, manifestações, muitas, previstas. Veja os detalhes de SP

FONTE: COMUNICAÇÃO MTST

alvoNo último dia 8/5 lançamos a Campanha Copa Sem Povo, Tô na Rua de Novo, com mobilizações em várias cidades do país. Destacaram-se as ocupações das empreiteiras Odebrecht, OAS e Andrade Gutierrez, responsáveis pela maior parte dos estádios da Copa e beneficiárias de contratos públicos bilionários.

Nesta quinta-feira, 15/5, daremos continuidade a estas mobilizações. Todas as ocupações do MTST em São Paulo – inclusive as Ocupações Copa do Povo (em Itaquera) e Nova Palestina (a maior do país) – estarão mobilizadas. Em outros estados também ocorrerão mobilizações. Já há lutas confirmadas em Brasília, Palmas e Rio de Janeiro, podendo ocorrer em outros 4 estados.

A Frente de Resistência Urbana, da qual o MTST faz parte, também deverá realizar ações em Curitiba e Belém. Dentre outras que construiremos em parceria com outros movimentos, Comitês Populares da Copa e o Coletivo Juntos.

Em São Paulo, bloquearemos no período da manhã ao menos 6 grandes avenidas da cidade, nas zonas sul, leste e centro. A proposta é chamar a atenção para as reivindicações levantadas pela Campanha Copa Sem Povo, Tô na Rua de Novo, em especial às pautas de Moradia e Reforma Urbana.

Estes são nossos pontos:carregando o bebum

1. Por um controle público do reajuste de aluguéis urbanos estabelecendo o índice inflacionário como teto dos reajustes. Esta medida é essencial para combater a especulação imobiliária que afeta os trabalhadores mais pobres.

2. Por uma política federal de prevenção de despejos forçados, com a formação de uma Comissão de Acompanhamento, ligada a Secretaria Especial de Direitos Humanos.

3. Mudanças no Programa Minha Casa Minha Vida, fortalecendo a modalidade Entidades e com regras que estimulem melhor localização e maior qualidade das obras.

manifTomaremos as ruas na quinta-feira para defender nossas pautas e denunciar as contradições desta Copa!

COORDENAÇÃO NACIONAL DO MTST

Copa Sem Povo, Tô Na Rua De Novo

ARTIGO – Flexes ou flashes. Por Marli Gonçalves

beginnercollabentry-1É um cansaço mental tão profundo no fim do dia que às vezes até aquele efeito luminoso cheio de bolinhas aparece na visão. Vocês vão dizer que jornalista vive disso, de informações, mas elas estão violentamente rápidas. E violentamente mórbidas. E violentamente inacreditáveisOvertheWall

Perdi a hora umas duas vezes esta semana, porque na hora de acordar estava sonhando e os sonhos eram bons. Ou estranhos, mas bons. E sonhar na hora de acordar é como se você tivesse mais alguma coisa para fazer ali na caminha, aninhado, com os olhinhos fechados. Neles, nos sonhos, eu viajava, tinha dinheiro, tudo estava legal, aparecia gente bacana, amigos e amores. Mas é só acordar que a coisa começa, até porque tenho o hábito de ligar o rádio – para ouvir música, só que as notícias logo aparecem. Aí vou ler o jornal. Pronto, começou o dia. E acabou o dia.

Os helicópteros sobrevoam, dando barulhentas voltas, na região da Avenida Paulista. As sirenes dos carros de policia se intensificam. As manifestações agora começam mais cedo, o que faz pensar que é preciso ser muito ativista para já estar por ali gritando às nove horas da manhã. A cuidadora de papai informa que na distante região de onde vem, já viu quando saiu de madrugada de casa para se aventurar atrás de transporte coletivo, um ou dois ônibus queimados, ou carros estropiados de bêbados entortando os postes na madrugada. PCC dando ordens. Ela tem olheiras: bailes funk com tudo aquilo, na rua, e não adianta chamar a polícia. Não adianta chamar ninguém. Ficam ao Deus-dará.

Swordplay-5Mais de 200 meninas sequestradas na Nigéria, de dentro de uma escola, e que ninguém sabe onde estão, tipo avião da Malásia. Se hoje Caetano compusesse, perguntaria, para que tantos satélites, ao invés de quem lê tantas revistas. Tudo de baciada: 250 presos na Venezuela. Outras centenas perdidas em deslizamentos, guerras particulares, aqui, ali, acolá. Líderes mundiais e formadores de opinião só segurando cartazes bonitinhos, posando para fotos. E mais flashes espoucando.

Hora do banho e a água já está com vazão menor. Ensaboa, morena, ensaboa, enxagua, tô enxaguando. Abre e fecha torneiras. Mas não consigo deixar de pensar em quanta gente ainda vejo varrendo calçada com água, lavando carros, mandando beijinho no ombro.

Um boato. Um retrato falado. Um zumzumzum, a total falta de noção e uma mulher é espancada por dezenas de pessoas, arrastada como bicho, agredida até a morte em um das cidades mais chiques do litoral paulista, e não, não foi tão lá na periferia onde isso ocorreu, que eu vi no mapa. Foi onde uma vez há muito anos o prefeito da ocasião queria fazer uma “cortina verde” para que os turistas não vissem as casas subindo os morros na avenida paralela às principais praias. Achava que daria votos. Ninguém me contou. Foi para mim e meus ouvidinhos que ele fez essa sugestão, batendo no peito como se tivesse tido a grande ideia de sua carreira política, obviamente já fracassada. Até hoje enjoo só de pensar nesse dia.RagDoll-1

Crianças matando crianças. Meninas espancando meninas, caceteando com pauladas e pedradas, por causa de moleques, namorados, outros boatos e fofocas. Moças estupradas e assassinadas e ainda picotadas por maníacos que encontram desgraçadamente em seus caminhos de ida ou vinda. Corpos achados em rios. Mães desesperadas. Crianças sendo mortas por dinheiro, ira, ciúme, vingança. Mulher põe fogo na casa, com o marido dentro, mas antes quebra tudo, porque viu mensagem de outra no celular.Electrocution

OvertheWallNão, não estamos em filmes do Batman, nem do Charles Bronson. Os sons são reais, as armas atiram pumpumpum. Vingadores surgem de todos os cantos como justiceiros, acreditando que devem botar para quebrar. E quebram. Inclusive pela política, pelo teto, pela terra. O cheiro pestilento da morte, o ar seco, os ídolos morrendo. A arte ficando mais pobre.

A bola ainda não rola. Operário torrado em estádio. O mundo todo olhando, que vergonha. Imagino que nesse momento montes de malas estão sendo desarrumadas, e tudo o que se sonhou que viria, nem chegando.

Prisoner_2Nas prisões, detentos se matam para abrir algum espaço. Outros presos Vips desafiam a Justiça de seus camarotes gradeados. Na rua uma caminhonete último tipo me chama a atenção. Ela é verde e branca, está reluzente de nova, tem uma sirene no capô. Me adianto para ler e identificar quem são, carro e homens: “SAP – Secretaria da Administração Penitenciária – ESCOLTA“. Não, não escoltavam nada.

Porque que agora me lembro de ter lido, logo cedo, numa matéria de jornal, o relato de uma das jornalistas sorridentes que jantaram com a presidente no palácio, selfie para lá, selfie para cá, que a Dilma faz álbum de figurinhas com o neto, conhece a letra da Galinha Pintadinha, cantarola e tamborila com os dedos na mesa “Atirei o pau no Gato, totô, mas o gato-tô não morreu…”?Clown_prisoner

Ah, ainda tem as manchetes políticas, mas tenho de começar o dia, e já estou cansada de tanta notícia. Pior, vivo disto.

beginnercollabentry-1São Paulo, 2014, menos de um mês para a gente saber que bicho vai dar no Fuleco

 

Marli Gonçalves é jornalista Ouviu contar que descobriram uma barata de mais de 40 centímetros que disputa comida com os tubarões no fundo do mar? Pois é. Esta noite vou ter pesadelos.

********************************************************************Parkourstreet-1
E-mails:
marli@brickmann.com.br
marligo@uol.com.br

Tenho um blog, Marli Gonçalves, divertido e informante ao mesmo tempo, no https://marligo.wordpress.com. Estou no Facebook. E no Twitter @Marligo

Posição do Colégio Rio Branco sobre o ato de intolerância ocorrido em sala de aula contra uma adolescente. ( Que, aliás, não está querendo voltar para a escola)

O Colégio Rio Branco se posiciona sobre essa matéria( Horror entre jovens. Intolerância racial no Colégio Rio Branco, de São Paulo. Menina tem carteira pichada com suásticas. Veja as fotos. Info básica publicada em nota de Sonia Racy), que publicamos há uma semana –  27 de fevereiro.

Esse post têm tido enorme repercussão, especialmente porque tanto a escola quanto as instituições judaicas oficiais tiveram reações consideradas tímidas por vários leitores da comunidade judaica que me prestigiam aqui nesse blog.

Leia, na íntegra, a carta recebida hoje, 6 de março:

CARTA OFICIAL – COLÉGIO RIO BRANCO

 São Paulo, 06 de março de 2014.

 Ao longo de 68 anos de dedicação à educação de crianças e jovens, o tradicional Colégio Rio Branco, instituição mantida pela Fundação de Rotarianos de São Paulo, sempre teve imenso respeito e orgulho em ter em sua formação histórica, dentre outras, a presença da comunidade judaica.

A comunidade Riobranquina é constituída pela pluralidade cultural, social e religiosa, tanto entre seus alunos, como em seu corpo docente e equipe de colaboradores. O acolhimento à diversidade, em suas variadas dimensões, é um dos princípios norteadores da ação educativa, explicitados no Projeto Político Pedagógico (PPP) da instituição. 

O Colégio Rio Branco integra o programa de escolas associadas à UNESCO (PEA UNESCO), fazendo parte, portanto, de uma rede de instituições que tem em sua agenda, a promoção da paz e a valorização dos direitos humanos.  Nas suas vivências cotidianas, desenvolve, dentre outros, estudos e reflexões relacionados aos diversos períodos históricos, muitos, infelizmente, marcados por episódios em que a intolerância religiosa ou racial, assim como a outros grupos minoritários foram, e ainda são, focos de grandes tragédias.

Com relação ao episódio, noticiado na imprensa,  envolvendo a menção anônima de símbolos de intolerância, o Colégio vem por meio deste comunicado, esclarecer que se trata de um fato isolado e individual, tratado com máximo rigor e atenção, mas que em nada reproduz o posicionamento da instituição e sua comunidade, tradicionalmente reconhecida pela qualidade na formação de gerações de cidadãos de bem, ao longo de sua história. 

Dentre a vasta agenda de trabalhos aplicados a temas relacionados, destaca-se recentemente, no segundo semestre de 2013, a peça teatral Humana Mente, produzida pelo tradicional Grupo de Teatro Rio Branco em parceria com o Centro de Educação para Surdos Rio Branco (CES), professores de diferentes disciplinas e alunos do Ensino Médio, a qual resgatou fatos históricos e mostrou a dor e o sofrimento das pessoas que viveram entre os períodos das 1ª e 2ª Guerras Mundiais. Segue para conhecimento, link deste registro: http://zip.net/bkmDd9

Ainda durante o ano de 2013, dentro do projeto Cine Clube Rio Branco, no qual é realizada uma análise entre os alunos, com a ajuda de especialistas e docentes sobre aspectos de importantes obras cinematográficas, foi trabalhado o filme “O Grande Ditador”, com grande contextualização sobre o nazismo. Acesse: http://zip.net/bjmC4J

 

Na lista de obras literárias que integra o currículo escolar dos alunos, destaca-se: The Diary of a Young Girl, de Anne Frank; Cavalo de Guerra, de Michael Morpurgo; Vozes Roubadas – Diários de Guerra, editado por Melanie Challenger e Zlata Filipovic; Diário da Queda, de Michael Laub; O Muro – Crescendo atrás da Cortina de Ferro, de Peter Sís; Eu sou Malala, de Malala Yousafzai.

No que se refere ao calendário escolar, diante da grande população judaica que integra a instituição, o Colégio Rio Branco mantém o cuidado em adaptar sua agenda de provas e principais atividades escolares às principais datas comemorativas e simbólicas para os judeus, a fim de não prejudicar o desempenho escolar destes alunos e estimular o convívio harmônico e o respeito entre os demais colegas. 

Cabe ainda ressaltar, que o Colégio Rio Branco já dispôs em sua grade de cursos extracurriculares, programa no qual as crianças tiveram a oportunidade de conhecer, de forma lúdica, a cultura e valores judaicos.

Nesse sentido, reiteramos o nosso orgulho e honra em partilhar com as famílias, a formação de crianças e jovens cidadãos do mundo, munidos de rico repertório cultural, histórico, afetivo e ético, capazes de construir, com protagonismo, uma sociedade mais justa e solidária.

Cordialmente,

Colégio Rio Branco.
A direção.

———————————————————————————————

Nosso blog agradece a todos que lutam pelo fim da intolerância de toda a sorte que ainda enfrentamos nesse país

Nada mais faz a gente feliz no Pão de Açúcar pós Abílio Diniz

 

3d animasi woman playing violin animated human animation could be wallpaper and screensaverPREVISÃO ECONÔMICA

A Rede Pão de Açúcar será mais uma das marcas com bons problemas senão agora, mas em muito breve. Previsão econômica com base em observações e conversas.

Todo mundo pronto para se mandar para o Carrefour.

– Nós éramos felizes e não sabíamos – me diz um funcionária do Pão de Açúcar Jardins que tenho visto cair a qualidade a olhos vistos. “Depois da saída do Abílio a coisa vai de mal a pior”, me diz fazendo referência ao anúncio do Pão de Açúcar, lembra? – O que te faz feliz?

Gifs%20Anim%E9s%20Eau%20%2828%29 – Soubemos que ele, Abílio,  comprou um bom punhado de ações do Carrefour. Esperamos que ele nos chame. Aqui está insuportável: não temos mais produtos e está havendo muitas demissões todos os dias. Onde havia dois em um balcão, agora é só um – vai me contando  a funcionária. “Outro dia vieram em grupo, lá da França, e esse aqui foi o primeiro mercado que viram. Passaram anotando tudo. Mas depois disso a coisa só fez piorar”, informa. “Inclusive lá na matriz”, enfatiza.

“Um clima de terror”. Logo vários outros funcionários que passam fazem questão de concordar com ela.

– É Éramos felizes e não sabíamos.

 Em tempo: fui comprar pão. Sabe, pão francês? Pois é. Não tinha. O que tinha era daqueles congelados. O forno está quebrado há alguns dias. Gifs%20Anim%E9s%20Feu%20%2850%29

 Imagine se com o Abílio aconteceria! Principalmente numa de suas principais lojas.  

Veja nota. ABRAJI faz nova contagem. São 19 os sacos de pancada jornalistas, agredidos pela PM sábado passado. 19! Deixa o carnaval passar…

japanflagAbraji atualiza levantamento de agressões e detenções de jornalistas durante protesto em São Paulo 

Novos casos confirmados pela Abraji aumentam para 19 o número de jornalistas agredidos ou detidos no sábado (22.jan.2014) durante protesto em São Paulo. Além dos profissionais mencionados em nota emitida na última segunda-feira (24.jan.2014), cinco repórteres relataram ter sofrido agressões.

Mário Bentes (Jornal GGN) foi atingido por estilhaços de bomba de efeito moral; Nelson Antoine (Foto Arena) e Adriano Conter (VejaSP) foram agredidos nas costas com golpes de cassetete. Antoine teve ainda uma das lentes de sua câmera quebrada. Diógenes Muniz (VejaSP) foi ferido na mão por um golpe de cassetete enquanto filmava a detenção de um manifestante. Aloísio Maurício (Brazil Photo Press) foi agredido com uma voadora e jogado ao chão por policiais e detido temporariamente. Todos estavam identificados como profissionais da imprensa a serviço.

Desde junho de 2013, foram registrados 68 casos de agressões a jornalistas nas cobertura de manifestações na capital paulista. Dentre os 68 casos, 62 (91%) partiram da polícia. Desses 62, pelo menos 36 (58%) foram deliberados – ocorreram apesar de o profissional estar identificado como imprensa. A planilha com os dados completos pode ser baixada neste link.

Brasil

Em todo o país, desde junho de 2013, a Abraji registrou 138 casos de agressão, hostilidade ou detenção de jornalistas enquanto cobriam protestos. Destes, 79% foram cometidos pela polícia; 19% partiram de manifestantes e o restante foi causado por guardas municipais e segurança privado.

http://www.abraji.org.br/?id=90&id_noticia=2760

SP CAÍDA, SUJA, LARGADA 1. COISAS DO MALDDAD

AGORA VEJA SÓ QUE BELEZA QUE ESTÁ A PRAÇA.

SEM LATA DE LIXO. MAS COM MUITO LIXO ONDE DEVERIA TER UMA LATA … E VOU DIZER: ESTÁ HÁ DIAS ASSIM, SÓ PIORANDO, COM MAIS LIXO E LIXO

#ARVORENÃOÉLIXEIRA

#PRAÇANAOÉLIXEIRA

#FORAMALDDAD

20140210_094908

Da série SP CIDADE CAÍDA: tantos buracos no meio das ruas que a população investe em cones. Isso aqui é nos Jardins…Imagine na Copa, e na cozinha, da periferia. Feliz DESaniversário, SP!

20140121_121207…no meio da rua tinha um cone, tinha um cone no meio da rua…

( PAMPLONA COM JOSÉ MARIA LISBOA)

JÁ LEU MEU ARTIGO DA SEMANA? CLICA AQUI EMBAIXO!

SÃO PAULO, VAMOS, LIDERE!

Bom Dia, São Paulo! Um picapau! Está lá em frente ao PS do Tatuapé roendo a árvorezinha dele

Gif Pica PauGif Pica PauGif Pica PauGif Pica PauGif Pica PauGif Pica Pau

Gif Pica PauGif Pica PauGif Pica PauGif Pica Pau
As árvores da cidade estão caindo aos pedaços.

Mas mesmo assim atrai muitos bichos – já que o desequilíbrio ecológico não está brincadeira.

Veja só que lindo esse picapau que o Dr. Luiz Nusbaum fotografou e mandou para a gente aqui agora pela manhã.Localize4 o vermelho da foto. É o bico do bichico

picapaupicasa2 picapaupicasa1

El Gran Bazar: é meu, é seu, é nosso. Aproveite os preços. Aproveite o passeio.

eomf3jfgGarimpeiras e garimpeiros urbanos:

El Gran Bazar! chegou.

O lugar de encontrar coisas bonitas, boas… e bárbaras!

A jornalista e blogueira Marli Gonçalves se associou a Elaine Lanzelotti, especialista em moda e que tem olho de lince para escolher peças diferentes e originais, boas e baratas. Ambas abriram esta semana o El Gran Bazar!, que reúne uma enorme variedade de roupas, sapatos e acessórios de marca, vendidos a preços mais do que justos, justíssimos. El Gran Bazar! ocupa uma sala no primeiro andar de uma mansão na Rua Oliveira Dias, 366, no Jardim Paulista, SP, e onde também funciona um “Família Vende Tudo” que dá só uma vontade: de comprar tudo.

 

especial JOSÉ NUNES: Alta Costura, ACESSÍVEL
especial JOSÉ NUNES: Alta Costura, ACESSÍVEL

Uma turma de amigas e vizinhas da região da Oscar Freire, gente linda, esperta, de bom gosto, refinada, algumas famosas, ricas, ex-ricas, descrevia e conversava sobre tantas coisas que compramos e acabamos não usando. Mas que dá até pena deixar no armário. Foi o suficiente para a antena da jornalista e blogueira Marli Gonçalves captar uma nova forma de negócio, ao lado da especialista em moda Elaine Lanzelotti. Daí surge El Gran Bazar!– que reúne uma enorme variedade de roupas, sapatos e acessórios, à venda por preços que chegam a ser música para os ouvidos.

É bazar, é brechó, é troca-troca. É vintage e muito mais. Apresenta vestidos, camisas, tricots, saias e blusas, conjuntos, pegnoirs e robes, inclusive em tamanho de “gente” normal: manequins 42, 44, 46, 48. Sapatos, sandálias, botas. Acessórios. O costureiro José Nunes selecionou peças especiais que também estarão no local, onde sempre vai ter coisa nova aparecendo.

SAPATOS, BOTAS, E TUDO O MAIS
SAPATOS, BOTAS, E TUDO O MAIS

O mais legal é termos conseguido um espaço numa rua tranquila, arborizada, perto de tudo e, ainda, em uma mansão onde em todos os cômodos há verdadeiras joias para decoradores, arquitetos e designers – comenta Marli Gonçalves. “Por isso, só um chamado já diz tudo: garimpeiras e garimpeiros de coisas boas! Apareçam!”

OLHA ESSE MANTEAU, VESTIDO, CAPA, TODO BORDADO, IMPORTADO, EM SEDA
OLHA ESSE MANTEAU, VESTIDO, CAPA, TODO BORDADO, IMPORTADO, EM SEDA
E ESSE, UM PAVÃO, EM SEDA! MANTEAU, CASACO, PARA  TODO MUNDO PERGUNTAR ONDE VOCÊ COMPROU
E ESSE, UM PAVÃO, EM SEDA! MANTEAU, CASACO, PARA TODO MUNDO PERGUNTAR ONDE VOCÊ COMPROU

Elaine Lanzelotti, que já trabalha com peças especiais há oito anos tratou de toda a organização. “Fiquei surpresa com tantas coisas legais que estou tirando das caixas para apresentar em nosso bazar. Marcas boas, tecidos especiais, enfim, coisas que a gente não vê mais por aí”, avisa.

Roupas, entre outras, do Lino Villaventura, Maria Bonita, DUEE, Cândida Andrade, importadas, nacionais, tricôs especiais. Botas de cano alto, 7/8, além de roupas novas, mas mais antigas também podem ser usadas para produções as mais variadas, do clássico ao arrojado. Também podem servir para produções de cinema, tevê, internet. É só combinar.

FAMÍLIA VENDE TUDO – Móveis, salas de jantar, cadeiras inglesas sec.XIX, cadeiras de design em perobinha do campo e jacarandá, mesas de centro e laterais modernas e antigas, lustres e luminárias de diversos estilos, tapetes orientais, sofás e poltronas, aparadores, quadros, fragmentos, bronzes, livros, porcelanas, cristais e pratarias, muitos objetos de decoração e utensílios domésticos. O passeio pode servir para achar aquela peça especial, rara, ou comprar, por exemplo, um Blu-Ray por R$12,00.

SERVIÇO:

EL GRAN BAZAR e FAMÍLIA VENDE TUDO

A PARTIR DO DIA 13 DE DEZEMBRO

HORÁRIOS:
EL GRAN BAZAR! – De segunda a sexta, das 11hs às 18hs. Sábados, das 11hs às 15hs
FAMÍLIA VENDE TUDO – 10hs às 17hs, Aberto aos sábados.

LOCAL:
Rua Oliveira Dias, 366, Jardim Paulista, São Paulo- SP
A RUA FICA EXATAMENTE ATRÁS DA IGREJA SÃO GABRIEL, PERTO DE TUDO.
Tel. (11) 4111-7449

Celular Elaine Lanzelotti: (11) 9-8981-7725 ( para marcar horário e atendimento especial)

Imprensa:
Marli Gonçalves
(11)3885-6656 e (11) 9-9468-7878
marligo@uol.com.br // https://marligo.wordpress.com