GENIAL ESSA SENTENÇA. Cortou a asa do espertinho…

do migalhas ( www.migalhas.com.br)

Pra cima de “moi” ?

Em sentença desta semana, juiz de Direito de Pedregulho/SP, Luiz Gustavo Giuntini de Rezende, indefere pedido de danos morais a um cliente de uma instituição financeira que se viu barrado na porta eletrônica. O magistrado vai além do usual, e desabafa : “o autor quer dinheiro fácil”.

“Foi impedido de entrar na agência bancária do requerido por conta do travamento da porta giratória que conta com detector de metais. Apenas por isto se disse lesado em sua moral, posto que colocado em situação ‘de vexame e constrangimento’. Em nenhum momento disse que foi ofendido, chamado de ladrão ou qualquer coisa que o valha. O que o ofendeu foi o simples fato de ter sido barrado – ainda que por quatro vezes – na porta giratória que visa dar segurança a todos os consumidores da agência bancária. Ora, o autor não tem condição de viver em sociedade. Está com a sensibilidade exagerada. Deveria se enclausurar em casa ou em uma redoma de vidro, posto que viver sem alguns aborrecimentos é algo impossível.”

Por fim, o magistrado pontua que, “quanto ao dinheiro, que siga a velha e tradicional fórmula do trabalho para consegui-lo”.

LEIA O PROCESSO E A SENTENÇA COMPLETA AQUI