Até pai de santo já entra na Casa da Mãe Joana. Ops! Palácio do Planalto, de Dilma…Para alertar contra um inimigo de ambos, pai de santo e Dilma

FONTE – COLUNA RADAR – POR LAURO JARDIM – VEJA ONLINE

SÓ PUXANDO A ORELHA DESSES CARAS!

Dilma e Cunha: pendenga espiritual

Depois do deputado Cabo Daciolo (leia mais aqui), hoje foi a vez de um pai de santo dirigir-se à portaria do Palácio do Planalto e pedir para falar com Dilma. Dizia ter uma carta para entregar.

Sabe-se lá por quê, o pai de santo foi encaminhado à Secretaria de Relações Institucionais. Foi recebido por uma secretária. Explicou o pai de santo, apontando para a Praça dos Três Poderes:

– Dilma tem que se proteger. Vim aqui falar isso com ela. Todo mundo aqui faz batuque.

Diante da surpresa da secretária, o pai de santo completou:

– A Dilma tem que se proteger do Eduardo Cunha.

Preocupada, a secretária interrompeu a conversa e, discretamente, telefonou para a segurança. Oito homens subiram até o quarto andar, onde fica a SRI, a Casa Civil e a Secretaria-Geral. Gentilmente, o pai de santo foi convidado a se retirar.

A secretária fez um apelo aos seguranças, indagando por que o pai de santo foi autorizado a subir. Eles tentaram tranquilizá-la, dizendo que já havia um alerta contra ele no terceiro piso, andar onde fica o gabinete de Dilma.

Ou seja: nenhum alerta no quarto andar. Te cuida, Mercadante.

Por Lauro Jardim

Veja que interessante o que a Classe C acha da D …ilma. E do G…overno

terror paulistaA decepção da classe C

DILMA

Um instituto paulista fez entre terça-feira e quarta-feira uma rodada de pesquisas qualitativas em São Paulo e no Rio de Janeiro com brasileiros da classe C e o resultado não é nada animador para o governo.

Justamente na classe símbolo da emergência social dos governos petistas, a popularidade de Dilma foi ao chão.

Nenhum dos entrevistados foi às manifestações de domingo. Mas 100% deles se disseram representados pelos que foram. As críticas centram-se, sobretudo , em dois pontos: carestia e corrupção.

FONTE: NOTA DA COLUNA DE Lauro Jardim, veja online , coluna radar

Viram essa pesquisa, seus pequenos cérebros?

marijuanaDrogasmarijuana andante

Uso regular de maconha diminui o tamanho do cérebro, diz pesquisa

(FONTE – VEJA ONLINE)

Estudo constatou que fumar a droga por mais de seis anos diminui o cérebro e o QI, mas aumenta a conectividade cerebral

Os pesquisadores verificaram que, quanto mais cedo se começa o consumo regular de maconha, maior é a sua interferência na estrutura e no funcionamento do cérebro (David Bebber/Reuters/VEJA)

Fumar maconha por mais de seis anos pode causar anormalidades no funcionamento e na estrutura do cérebro. O efeito, porém, depende da idade em que a pessoa começou a fumar a droga. Essa é a conclusão de uma pesquisa publicada nesta segunda-feira no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Long-term effects of marijuana use on the brain

Onde foi divulgada: periódico PNAS

Quem fez: Aabenhus R, Jensen J-US, Jørgensen KJ, Hróbjartsson A e Bjerrum L.

Instituição: Universidade do Texas, nos Estados Unidos.

Resultado: Usuários crônicos de maconha têm QI e volume do cérebro menores do que não usuários, mas apresentam uma conectividade cerebral maior.

“Desde 2007 há um crescimento no número de usuários de maconha. Apesar das mudanças na legislação de alguns estados dos Estados Unidos sobre a droga, ainda são escassas as pesquisas sobre seus efeitos a longo prazo”, diz Francesca Filbey, coautora do estudo e professora da Faculdade de Comportamento e Ciências do Cérebro da Universidade do Texas, nos Estados Unidos.

Testes – Participaram da pesquisa 48 usuários adultos e 62 não usuários, separados conforme sexo, idade e etnia. Todos foram submetidos exames de ressonância magnética e a testes cognitivos. Tabagismo e consumo de álcool foram levados em consideração para a análise dos resultados.

Os pesquisadores concluíram que os usuários de maconha têm um menor volume cerebral numa parte do cérebro associada ao vício, o córtex orbitofrontal, mas maior conectividade cerebral do que as pessoas que não fumam a droga. Nos testes cognitivos, os usuários de maconha demonstraram menor QI. Os estudiosos, entretanto, não associaram esse resultado ao menor volume cerebral.

Idade — Foi verificado também que, quanto mais cedo começa o consumo regular de maconha, maior é a sua interferência na estrutura e no funcionamento do cérebro. “Esse efeito começa depois de seis a oito anos de uso contínuo. Porém, usuários de maconha continuam a exibir conectividade cerebral mais intensa do que os não usuários”, diz Francesca.

De acordo com os autores, o consumo crônico da erva faz com que os neurônios dos usuários se adaptem à diminuição do volume cerebral. Eles alertam, no entanto, que são precisos outros estudos para determinar se essa mudança é reversível e se ela acontece, também, em usuários ocasionais da droga.

voce me faz perder a cabeça

Do Lauro Jardim: pesquisa mostra que muita gente não tem ideia do que Dilma faz/fez… Nós temos, né? Vamos contar para quem não sabe?

fonte: NOTA DA COLUNA RADAR – VEJA ONLINE – POR LAURO JARDIM

0 TRANSPARENTEDilma, essa desconhecida

dilma

Uma recente pesquisa qualitativa encomendada por um influente publicitário constatou, pasme, que não são só Aécio Neves e Eduardo Campos os candidatos desconhecidos do eleitorado. Dilma Rousseff também.

Como assim? O que a pesquisa constatou é que o brasileiro sabe, claro, quem é Dilma. Mas não tem a menor ideia do que ela fez nestes três anos e meio.

Por Lauro Jardim

Orelhas ardendo…Olha o que o Brasil anda ouvindo.

Anitta no topo

( da coluna de Lauro Jardim – Radar – Veja online)

O fenômeno Anitta finalmente conseguiu desbancar o sertanejo da preferência dos ouvintes de rádio .

Uma pesquisa da Crowley, especializada no monitoramento do mercado, revela que Zen foi a música mais tocada do Brasil entre janeiro e 22 de abril com 19 592 execuções. Em seguida, aparece Mozão de Lucas Lucco, Você me vira a cabeça de Bruno e Marrone, Guerra Fria de Sorriso Maroto e Tudo que você quiser de Luan Santana.

Por Lauro Jardim

Perdão ao pastor estuprador, safado? Era o que faltava, sr. (In)Feliciano. Veja a lista dos que foram pedir isso, com o “mocinho”

Perdão ao pecadorpastor estuprador

Feliciano: pedido ao ministro da Justiça por pastor preso por estupro

Liderados por Marco Feliciano, um grupo de dezessete deputados, boa parte deles evangélicos, conseguiu uma brecha na agenda de José Eduardo Cardozo na semana passada para defender o pastor Marcos Pereira da Silva, preso há três meses sob a acusação de estuprar fieis no Rio de Janeiro.

A bancada criticou a polícia fluminense por falta de isenção e pediu a federalização das investigações. Ouviram um ‘não’ do ministro da Justiça.

Além de Feliciano, eis os nomes dos deputados que defendem o pastor: Pastor Eurico, Francisco Floriano, Adrian Mussi, João Campos, Alexandre Santos, Washington Reis, Jair Bolsonaro, Roberto Lucena, José Olimpio, Leonardo Quintão, Zequinha Marinho, Eduardo da Fonte, Costa Ferreira, Anthony Garotinho, Fernando Jordão, Arolde de Oliveira e Aureo Lídio Moreira Ribeiro.

Por Lauro Jardim- Coluna Radar – veja online

Latino!Lançando musiquinha de protesto.Só que ela já existia. Achei um vídeo, com um menininho

Protestos

(FONTE: VEJA ONLINE) – VEJA.COM

Manifestações sofrem um duro golpe: a nova música de Latino

Cantor de ‘Festa no Apê’ lança ‘O Gigante’, misturando o Hino Nacional com rimas toscas e pedindo: “Amarra, amarra, amarra que é tudo nosso”. Nem a tropa de choque é tão dura

Latino, o autor de 'O Gigante', música composta para embalar os protestos

Latino, o autor de ‘O Gigante’, música composta para embalar os protestos (Divulgação)

A onda de manifestações em todo o Brasil fez mais uma vítima: o bom senso. Ele foi abatido pela falta de noção que acomete subcelebridades nos momentos mais oportunos – segundo a lógica do sucesso instantêneo. Com citações do Hino Nacional, o cantor Latino, lançou, nesta sexta-feira, uma ‘música para embalar os protestos’: O Gigante, numa referência à expressão segundo a qual “o gigante acordou”, repetida nos protestos.

“Quem nasceu para vencer não pode recuar”, brada o homem de Festa no Apê, um ‘clássico’ no gênero de música que tem na falta de qualidade a sua principal qualidade. “Amarra que é tudo nosso”, pede Latino. “O gigante acordou, está disposto a lutar, com fome de vencer, com sede de querer…”, diz a letra, que tem esta e uma outra série de rimas ricas, para castigar os tímpanos de quem vai às ruas.

Latino tenta, à força, se apropriar de uma mobilização popular, certamente impressionado com a onda do “vem pra rua”, na voz de Falcão, cantor do grupo O Rappa. O grito entoado atualmente nos protestos, no entanto, não foi feito para o manifestante. Em vez disso, foi desapropriado em nome da “causa”: originalmente, a música embala uma campanha da Fiat na TV. Ou seja, a chance de Latino mais incomodar que animar a turma é grande. Tudo bem: foi exatamente assim que ele fez sucesso nos últimos. Agora o problema é do gigante.