#ADEHOJE – ACABOU O MÊS. GAIDÓ ENTRE NÓS. E TUDO NA MESMA

 

#ADEHOJE – ACABOU O MÊS. GAIDÓ ENTRE NÓS. E TUDO NA MESMA

 

SÓ UM MINUTO – Acabou. Já acabou o mês de fevereiro e a gente continua igual que nem, tudo parado, esperando o Carnaval passar. Ou a Páscoa, ou o próximo Natal, talvez? Ou mais tragédias, decisões ministeriais absurdas, vaivéns? Até quando? Lá veio PIBinho de 1.1%. Vergonhoso para um país com essas dimensões e riquezas, mas atacado pela ignorância e gestão de quinta categoria. O país do futuro que nunca chega.

Juan Guaidó está aqui no Brasil para uns encontros e, talvez, para ver se consegue voltar à Venezuela por aqui. A grande tensão do momento é como será esse retorno, já que Maduro diz que, se ele voltar, será preso. A gente se preocupa com o nosso, com o dele, com o país de todos, que a coisa está esquisita para todos os lados. Agora tem pendenga também entre a Índia e o Paquistão. E explosiva, já que são potências nucleares.

#ADEHOJE – NINGUÉM SABE O QUE FAZER COM A VENEZUELA. VEIAS FECHADAS NA AMÉRICA LATINA

#ADEHOJE – NINGUÉM SABE O QUE FAZER COM A VENEZUELA. VEIAS FECHADAS NA AMÉRICA LATINA

 

Só um minuto – Vamos falar a verdade: ninguém sabe mais o que fazer com a Venezuela. Os fatos se anteciparam com a autoproclamação de Juan Guaidó como presidente, sem que o Maduro queria sair da cadeira onde se aboletou. A ajuda humanitária foi um bom pretexto, mas pelo que já vimos esse final de semana, não vai dar certo nem será fácil essa entrega do outro lado, pelo Brasil, ou pela Colômbia. Os Estados Unidos provocam, mas não aparecem para segurar os estragos. Muito menos a Rússia.

Perdemos hoje Roberto Avallone, jornalista esportivo que todos conhecem, Ex-companheiro de redação no Jornal da Tarde. Siga na luz.

#ADEHOJE – VENEZUELA, CARNAVAL, LOUCURA

#ADEHOJE – VENEZUELA, CARNAVAL, LOUCURA

 

SÓ UM MINUTO – Não sei se vocês estão se sentindo assim- divididos. Ao mesmo tempo, o que podemos fazer, a não ser torcer muito para que as coisas derem certo? A situação nas fronteiras da Venezuela estão bem tensas, não se sabe ainda como chegará a ajuda humanitária. Já houve confrontos ontem, que deixaram mortos e feridos, e hoje já há manifestações violentas. Bem, as ruas de São Paulo estão tomadas pelos blocos e vou sair para ver os que passarem pelo centro, que são mais diversificados. Como diria aquele ditado, um olho no peixe; outro no gato. Uma na Venezuela; outro no Carnaval. Não sabemos mais nem se podemos ficar alegres.

#ADEHOJE – VENEZUELA É MAIS UMA PREOCUPAÇÃO, E URGENTE

#ADEHOJE – VENEZUELA É MAIS UMA PREOCUPAÇÃO, E URGENTE

 

Só um minuto Não bastassem as nossas mazelas, e que não são poucas, nas próximas horas temos de ficar muito preocupados com a situação da Venezuela, especialmente da fronteira com o Brasil, em Roraima, para onde foram encaminhadas as toneladas de ajuda humanitária. O ditador Maduro mandou fechar todas as fronteiras, com a Colômbia, Brasil, qualquer buraquinho, par a que não chegue essa ajuda, que ele acredita ser uma forma de invasão do imperialismo americano. Mas da Rússia, Cuba, China, ele não desgruda.

Já houve – agora pela manhã – confronto sério – deixa 1 morto e 12 feridos.

Ah, acharam a verdadeira abelha rainha ! A abelha-gigante-de-wallace (Megachile pluto). Tem seis centímetros. Encontrada em uma ilha do Arquipélago das Molucas do Norte, na Indonésia.

 

Expedição em ilha da Indonésia encontrou um único exemplar da abelha gigante de Wallace — Foto: Clay Bolt

 

ARTIGO – Epidemias no Barco Brasil. Por Marli Gonçalves

Atenção, atenção! Várias epidemias nos mais variados graus se espalham vigorosas pelo país sem que as autoridades tomem providências. Em alguns casos, as autoridades até ajudam ampliar a contaminação. Oposição também é responsável pela contaminação continuar se espalhando mesmo depois da sua fragorosa derrota por incompetência, para buscar justificá-la. O bom senso já está em falta no mercado.

Vacine-se enquanto é tempo. Busque ajuda. Busque abrigo entre amigos com quem ainda possa conversar, se os tiver, escolha aqueles que escutam e argumentam com base em fatos. Afaste-se imediatamente dos teimosos que teimam que o WhatsApp é a melhor fonte para se banharem e dos que parecem não ter mais jeito, não querem mesmo se curar nunca mais. Vão cegos, até bater a cabeça na parede desolados quando descobrirem o tempo que perderam por pessoas que não mereciam sua idolatria. E se acaso mereciam, todos descobriremos juntos só bem mais adiante.

À esquerda, se observarem, depois que o jato lavou, há muitos que conseguiram a cura depois de saber dia e noite, todo dia, durante os últimos anos, de algum desvio do grupo da igreja, ops, partido, ao qual pertenciam. Quase perda total. Mas ainda há seres a resgatar também desse outro lado do rio. Tentam nadar até a margem a cada delação que é divulgada, ou quando nem eles acreditam mais nas bobagens que seus dirigentes fazem, como por exemplo viajar para adular ditaduras falidas.

 Para identificar os atingidos pelo vírus “iniuriam rei publicae” (Equivocado político): são aqueles que de um lado e de outro pregam ódio dia e noite, demonizam artistas e a cultura, detestam jornais e jornalistas que descobrem malfeitos, atacam e ameaçam a torto e direito quem ouse discordar de seus adorados gurus. Grande parte deles pode ser encontrada nas redes sociais, onde procriam.  Lá, nem mais tanto se preocupam com anonimato, e têm prazer em agir, com posts e imagens, mãos pesadas não lavadas que a tudo compartilham – incluindo as informações falsas distribuídas por robôs blocks. Os mais afetados, perceba, costumam desejar a morte de seus oponentes, depois de xingá-los com todas as pechas possíveis; as mais preconceituosas, as preferidas. Detalhe: a maioria faz essas propagandas sem ganhar nada, e costumam bater no peito por isso, se achando o máximo. No Twitter, o novo prazer de certos soldados é “subir” à exaustão hashtags bobas comandadas por um ex-músico que considero já foi genial, mas infelizmente nos abandonou para sempre. Ficou bobão, tontão, cabeção.

Algumas das epidemias registradas: deselegância e incapacidade de mínimo raciocínio, grossura ao nível máximo, preconceito e moralismo barato com cara de inveja e arrependimento, ou do que até já fez, ou do que adoraria fazer, mas não tem coragem, com gotas de covardia.

Já se observa também claramente uma nova cepa: os que dependendo do momento, mudam de opinião sobre fatos. Exemplo: tem hora que o Ministério Público é tudo de bom, todos heróis; em outra, usurpadores, sabotadores. O mesmo acontece com juízes do STF, que variam de anjos a demônios com espantosa velocidade. Outro exemplo, o Grupo Globo, especialmente a tevê. Essa se alterna entre os lados, como a mãe de todos os males, conspiradora aliada de outros grupos de comunicação, ora de “direita”, ora “comunista”.

De positivo informamos que epidemias, no entanto, são transitórias. Tendem a virar endemias, mais controladas, localizadas apenas em algumas regiões. O pior cenário é se virarem pandemias, quando se espalham pelo planeta. E já há focos, graves, em formação, e que podem ser encontrados em todos os continentes, inclusive bem perto daqui.

Tentemos uma cura rápida. Porque como o barco é o mesmo, não adianta gritar “Salve-se quem puder!”. Ele adernaria de vez.

___________________________________

 

Marli Gonçalves, jornalista –  Sem choro nem vela verde e amarela.

marligo@uol.com.br / marli@brickmann.com.br

Brasil, 2019

—————————————————————-

ME ENCONTRE (se republicar, por favor, se possível, mantenha esses links):https://www.youtube.com/c/MarliGon%C3%A7alvesjornalista
(marligoncalvesjornalista – o ç deixa o link assim)
https://www.facebook.com/BlogMarliGoncalves/
https://www.instagram.com/marligo/
https://marligo.wordpress.com

#ADEHOJE – VAI, CAI MADURO.

#ADEHOJE – VAI, CAI MADURO.

 

SÓ UM MINUTO – Uma demora que tortura todo um povo, que já não tem mais nada a não ser a esperança de reconstruir o país. Venezuela, um pobre país rico. A autoproclamação de Juan Guaidó, esse jovem de 35 anos, da Assembleia Nacional, como presidente da República da Venezuela após milhares nas ruas, chega a ser um alento. Mas Maduro joga duro e já há mais de uma dezenas de mortos nas manifestações populares. A geopolítica treme. O apoio imediato dos Estados Unidos, seguido por países como o Brasil, Argentina, Canadá, entre outros, recebe o contraponto de nações de guerra como a Rússia, Turquia, Cuba. Oremos pela Venezuela, e para que não seja ela a base do mais novo – e que seria terrível – desentendimento terrestre.

Em São Paulo, uma de suas mais importantes pontes, na Marginal Tietê foi interditada antes que causasse mais uma desgraça. Um presente de aniversário que a cidade decididamente não queria.

#ADEHOJE, SÓ UM MINUTO – DIAS QUENTES

#ADEHOJE, SÓ UM MINUTO – DIAS QUENTES

SÓ UM MINUTO – Um verão especialmente quente, e não é só a temperatura. Ela vem subindo de tom também na política. Hoje foi cancelada uma entrevista coletiva do presidente lá em Davos, na Suíça, e em cima da hora, com desculpas capengas. Claro, quanto mais o filho se enrola aqui, mais se percebe que o discurso foi muito fraco, e que governar não é bolinho. Na Venezuela o povo começa a ir às ruas, mas fortemente reprimidos. Já são quatro mortes. Mas quente mesmo está lá o nosso Ceará. Todo dia muito fogo, explodem postos de gasolina, tacam terror, e não está adiantando porem policiais, nem prender centenas. Todos, moleques, cumprindo ordens vindas de todos os lados das organizações criminosas. Muito quente, muito calor.

 
DIABINHOS DANÇANDO