É demais! Haddadinho tira férias. Ainda bem que já fui vaiar esse estrupício no sábado. Pessoalmente. Uhuhuuuuuuuuú

(Embora pensando bem, talvez seja melhor ele bem longe para não fazer mais estrupicídios contra a cidade de São Paulo. Se você não é daqui não tem ideia de como as coisas estão. A cidade está mais do que um lixo – abandonada)With_dynamite

Vida boa

agstickfigures2Com alto índice de rejeição, Fernando Haddad (PT) sai de férias

 
 

Mal avaliado pelo eleitorado, prefeito Fernando Haddad (PT) sai de férias. (Foto: reprodução/Facebook)

Menos de um mês após pesquisa Datafolha apontar que 77% dos paulistanos consideram que o prefeito Fernando Haddad (PT) fez menos do que o esperado, o petista larga o batente e tira férias. É a segunda vez que Haddad sai de folga. Em outubro do ano passado, com apenas 10 meses no cargo, o prefeito viajou com a esposa, Ana Estela Haddad, para a Itália. O casal comemorou 25 anos de casamento.

No Diário Oficial da Cidade de São Paulo não há qualquer publicação comunicando o afastamento do prefeito. A assessoria de comunicação do petista não informou quantos dias Haddad ficará afastado nem se ele viajou. A vice-prefeita, Nádia Campeão (PCdoB), que responderá pelo Executivo, disse apenas que “acha que a folga será de uma semana” e que “o prefeito está aproveitando o final de julho para descansar”.

No sábado (19), uma nova pesquisa Datafolha apontou que o índice de reprovação de Haddad segue em disparada. A taxa aumentou 11 pontos porcentuais de junho para cá, 47% da população reprovam a gestão do prefeito.  A parcela da população que classifica como a administração como ótima ou boa caiu no período. No fim de junho, esse índice era de 17% e agora, de 15%.

dalmata

Zé Bonitinho e Lindinho: estamos falando da política do Rio de Janeiro ultimamente

arg-blondie-lookin-round-207x165-urlBonito, né?

Um cidadão conhecido como “Zé Bonitinho”, que foi diretor da UNE durante a gestão do paraibano Lindbergh Farias, estaria por trás dos supostos desvios do Fundo de Previdência da Prefeitura de Nova Iguaçu, durante a gestão do prefeito Lindbergh Farias (PT), o “Lindinho”.

Caso o processo que apura esse caso seja acolhido, pode inviabilizar a candidatura do senador petista ao governo do Rio.

fonte: coluna Aziz Ahmed – O POVO/ Rio de Janeiro