#ADEHOJE – AGRESSOR PRESO E O “CORRE” NA FAMÍLIA DE BOLSONARO

#ADEHOJE – AGRESSOR PRESO E O “CORRE” NA FAMÍLIA DE BOLSONARO

 

SÓ UM MINUTO – Família de Bolsonaro – tipo ex-esposa ( e mãe dos 000s), parentes, o sumido Fabricio Queiróz – todo mundo alvo de Operação do Ministério Público do Rio de Janeiro. Lá vem bomba. Recolheram coisas, tem mandados de prisão, coisa grande.

Total descrédito da população nos congressistas, aponta pesquisa Datafolha. 45% dos brasileiros reprovam o trabalho de deputados federais e senadores. Lá se foi o otimismo que tínhamos com relação à renovação.

E o Jean, goleiro do SPFC, é preso nos EUA após denúncia de agressão feita pela esposa que posto vídeo com a cara toda machucada. No vídeo ele ainda aparece sua voz ameaçando e dizendo que ela e os filhos vão morrer de fome por causa disso, de ela publicar a denúncia.

Muito bom, tem de ser rápido assim. Basta de violência contra a mulher. Seja de quem for, onde for.

#ADEHOJE – FEMINICÍDIOS E TENTATIVAS DE ASSASSINATOS TRIPLICAM

#ADEHOJE

FEMINICÍDIOS E TENTATIVAS DE ASSASSINATOS DE MULHERES TRIPLICAM EM TODO O PAÍS

 

SÓ UM MINUTOLIGUE 180. GRITE. DENUNCIE. PEÇA AJUDA. A situação está insustentável. Não é só impressão, não. Denúncias de assassinatos e tentativas de assassinatos de mulheres triplicaram em todo o país! Dados do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos mostram o que já pressentimos. De janeiro a outubro foram 3664 denúncias, um aumento de 272% com relação ao mesmo período do ano passado.

Só no Estado de São Paulo houve recorde no número de pedidos de medidas protetivas. 95050 pedidos atendidos. Grite. A Central 180 funciona 24 horas por dia, todos os dias, e tem ligações até com outros países.

Vamos tentar frear esse horror. Mulheres, não se calem. Mulheres, ajudem outras mulheres! Sofremos com todos os tipos de violência, contra nós, contra todos, contra os animais.

#ADEHOJE – EUROPA LOUCA E AS MENINAS PODEROSAS DE VERDADE

#ADEHOJE – EUROPA LOUCA E AS MENINAS PODEROSAS DE VERDADE

 

SÓ UM MINUTO – E lá vem Brexit, a saída da Inglaterra da União Europeia. Com a vitória do descabelado louro Boris Johnson agora a situação parece mais definida. Último dia de janeiro de 2020. E a chanceler alemã Angela Merkel é eleita pela nona vez a mulher mais poderosa do mundo pela Revista Forbes. Em segundo lugar, Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu em quarto lugar, Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia

Bom, hoje é sexta-feira 13, de Lua Cheia. Então fique sabendo que o Bolsonaro quer lançar Datena como prefeito e Skaf para governador em SP. Em compensação, o presidente tomou outra traulitada, além da pirralha: Diretor do Inpe, Ricardo Galvão, demitido por Bolsonaro é eleito um dos 10 melhores cientistas do mundo. Escolha da revista “Nature”, revista referência na área científica.

Resultado de imagem para merkel com lagarde com ursula von"

ARTIGO – Desembrulha, dezembro! Por Marli Gonçalves

 

Confesso que fiquei tentada a escrever com “z”, “dezembrulha”,  para o trocadilho com dezembro, que já chega todo cheio de prosa, desejos, roupas brancas e douradas nas vitrines, luzinhas, ofertas fantásticas que, se aceitas, já deixarão o ano que vem cheio de contas e prestações a pagar, mais as que sobraram deste ano maluco que nem sei como estamos conseguindo chegar ao fim levando aos trancos e barrancos, com nossos corações e mentes aos saltos e sobressaltos

Imagem relacionada

Tudo está esquisito, e você, de qualquer forma, seja como pensa ou deixa de pensar o momento nacional, há de convir. Esquisito. Mais uma vez a esperança de muitos foi trocada por decepção. E estou falando com decepção pra tudo que é lado, inclusive com a nossa própria capacidade de reagir.

Não passa um dia sem que tenhamos tido notícias vindas de fronts de guerras que não são as nossas, mas tiram nossa paz. Uma marcha lenta na economia onde cada medida tomada e anunciada com pompa, ao ser analisada, tira de um, não dá ao outro, e prejudica todos. Quer dizer, quase todos. Sempre há uma minoria que ganha.

Chegamos em dezembro e falamos em árvores de Natal, cada vez mais plásticas, porque até os simples pinheirinhos ficaram caros demais, e agora aquele canto da casa está cheio de luzes chinesas, enfeites chineses, e até a ponta da estrela daqui a pouco vai ter um chinesinho pendurado. Tudo muito uniformizado, produzido e vendido aos borbotões fazendo a festa lá no outro lado do mundo. Olha só as etiquetas, tudo made in bandas de lá.

Que pacotes e caixas de presentes colocaremos ao pé de nossas árvores? Que desejos conteriam? Claro, primeiros, os mais próximos, pessoais, para nós, nossas famílias e amigos: saúde, prosperidade, paz, harmonia, liberdade, que nada falte na mesa. Desejar que já a partir de agora não tenhamos tantas tragédias como as que tivemos de lidar desde os primeiros dias, repletos de mortes, lama, água, fogo, desabamentos.

Gostaria de desembrulhar muitas coisas que não podemos comprar, mas lutar firmemente por elas. A começar por uma democracia que não seja ameaçada nem por um, nem por outros. No nosso caso o pacote deve conter um pouco mais de responsabilidade dos líderes e suas equipes, de todos os Poderes. Decerto você também adoraria passar o próximo ano sem escutar tantas sandices, ter certeza de que delas estaremos de certa forma protegidos, sem que as queiram praticá-las.

Devemos buscar de todas as formas por fim ao ciclo de violência que a todos envolve e atormenta, cidadãos, policiais, que cada um exerça sua parte. E que definitivamente tudo seja feito para que não repitamos novamente os terríveis índices de feminicídios e mortes de mulheres, nem os de crianças mortas feridas por balas perdidas. Que a segurança pública se reorganize para que possamos novamente abrir nossas janelas e portas para deixar entrar o ar, assim como a luz do Sol e que possamos também aproveitar a noite e as estrelas, sem nos preocuparmos com qualquer sombra que se aproxime.

Tudo isso caberia de alguma forma numa caixa só, onde encontraríamos a promessa principal: a de que o país parará de retroceder.

Um detalhe que já nos traria alegria. Sentimento que anda faltando no mercado.

PRESENTE

_________________________________________

MARLI GONÇALVES – Jornalista, consultora de comunicação, editora do Site Chumbo Gordo, autora de Feminismo no Cotidiano – Bom para mulheres. E para homens também, pela Editora Contexto. À venda nas livrarias e online, pela Editora e pela Amazon.

marligo@uol.com.br / marli@brickmann.com.br

____________________________________________

ME ENCONTRE
 (se republicar, por favor, se possível, mantenha esses links):
https://www.youtube.com/c/MarliGon%C3%A7alvesjornalista
(marligoncalvesjornalista – o ç deixa o link assim)
https://www.facebook.com/BlogMarliGoncalves/
https://www.instagram.com/marligo/

#ADEHOJE – SILÊNCIO, DE UM LADO. E PROTESTOS QUE VÊM AÍ

#ADEHOJE – SILÊNCIO, DE UM LADO. E PROTESTOS QUE VÊM AÍ

 

SÓ UM MINUTO – Estive bem chateada – e, sinceramente, ainda estou – com a morte do Gugu, de quem gostava muito, além da admiração. Ainda não compreendi muito bem essa instantaneidade da vida. Algumas mortes parecem acender toda a filosofia que vive dentro de cada um de nós. E você aí, como vê tudo isso? Tem medo? Se der, depois me conte.

Enquanto isso, os homens que nos desgovernam teimam em nos ameaçar, clara ou veladamente, porque sabem que a situação está insustentável e que hora dessas a paciência do povo vai explodir, nas ruas, sabe-se Deus como e onde. E esse é um grande temor. Pegam as letras e esse número terrível – AI-5 – e, como papagaios acenam. Não sei se exatamente isso pode adiantar esses protestos.

Cada uma! E a Damares Alves tentando ser essssperta?. Convocou uma coletiva , apareceu atrasada e ficou em silêncio “para que vocês sintam como é difícil uma mulher ficar em silêncio”. Ao contrário, deveria ter aproveitado o dia, o momento e o cargo para por a boca no trombone, exatamente para que as mulheres não tenham mais de ficar em silêncio.

ARTIGO – Matemática da cilada. Por Marli Gonçalves

 Ô mania que grudou na imprensa! Você fica lá prestando a maior atenção e aparecem aquelas tabelas e tabelas torturando números, comparados a algum lugar do passado, para o bem ou para o mal.  São os percentuais, ou porcentuais, que dá na mesma, e você entendeu do que estou falando. Os coitados dos números, surrados, dizem qualquer coisa quando obrigados

É muito chato mesmo. Mas virou mania. Querem dar uma notícia, por exemplo, que tal situação melhorou. E lá se vai em busca do número usado em algum lugar do passado, e que provavelmente foi o último dado por alguém ou algum. Chegam as manchetes! Diminuiu em tantos porcentos o número de acidentes nas estradas. Se parar para prestar atenção mesmo, com caneta e papel ou calculadora, vai perceber que teve decréscimo de umas migalhinhas. Tipo eram 12, e esse ano 10. Condições do tempo, das estradas, dos veículos e dos etceteras? Eram as mesmas?

Não costumo assistir a jogos de futebol, mas quando assisto dá uma irritação danada ouvir os locutores falando, falando – e lá atrás na imagem você vê que está acontecendo uma jogada bem importante que fica sufocada – e derramando números sobre dribles, jogos do século passado, enfrentamentos da história recente. Isso tudo piorou muito na era dos computadores, que fazem cálculos e cálculos, como se todos fôssemos e pensássemos como tabelas de Excel.

Engraçado. Embora tenha tido boas notas na época nas aulas de Estatística, nunca gostei muito dessa matéria. Na faculdade, no Diretório Acadêmico, acabei como “representante dos alunos no Departamento de Métodos Quantitativos”. O que valeu foi uma enorme dor de cabeça e mais uma inscrição na ficha do Dops dos terríveis tempos da ditadura. Como os caras não sabiam do que se tratava, esse fato está lá na minha ficha de “subversiva”. Mal sabiam ou sabem eles que fui parar aí porque eu era a única boa aluna que conseguia tratar melhorzinho com o professor dessa matéria na faculdade, e que era um horror. Vai explicar! Bem que tentei, mas creio até hoje que acharam que eu era guerrilheira e estrategista de alguma célula especializada em manufatura de bombas, ou alguma outra coisa desse jaez.

Hoje mesmo tive a sensação de ter ouvido que diminuiu em num sei quantos porcentos o número de notificações de violência contra as mulheres. Só se for porque elas morreram antes de denunciar. Todo dia, toda hora, das formas mais grotescas e cruéis as mulheres estão morrendo, assassinadas por ciúmes, por causa da loucura humana e do destempero das relações.

Essa semana, repara – aliás, já estamos ouvindo essa ladainha há quase um mês – tem a tal da Black Friday, onde se quer aparentar uma maravilha, mágica, onde todos os produtos ficarão mais baratos do dia para a noite, os comerciantes resolveram dar uma força e se desapegar de seus lucros, uma coisa impressionante – para onde olhar vai ver números gigantescos de descontos, com o percentual do lado. Pega o óculos, a lente, o binóculo, a lupa. Perto dele, ali bem pequenininho, vai ter também uma palavrinha: “Até”. Esse “até” é a grande questão. Faz o teste. Procura o que é exatamente que vai ter desconto de “até” 80%, 90% na lista ofertada.

Propaganda já foi a alma do negócio. Vem sendo usada – de braços dados com o marketing, que é mais complexo – de forma indiscriminada e enganosa, sem que providências sejam tomadas contra isso.  E para não acharem que estou tentando me desviar da política, vou citar duas coisinhas dessa semana, que serviram apenas para cilada.

Uma, a do deputadozinho que me recuso terminantemente a dar o nome, que resolveu prestar homenagem para o ditador Augusto Pinochet na Assembleia de São Paulo. Queria apenas ficar conhecido, esse indigesto. Para ir contra, fomos obrigados a falar dele, saber se sua vil existência.

number_ball_tMais conhecido, talvez, entre esse grupo de – dizem, mas vamos esperar as próximas pesquisas – cerca de 30% (!!!) que parece que ainda apoiam a loucura que se estabeleceu no governo de nosso país. Esse do “38”, o número do partido que pretendem criar com suas balas e dedinhos em forma de arminha, borrando o verde e amarelo de nossa Nação com seus pensamentos de baixíssimo calibre.

Mais uma 100% cilada.

________________________________________

MARLI GONÇALVES – Jornalista, consultora de comunicação, editora do Site Chumbo Gordo, autora de Feminismo no Cotidiano- Bom para mulheres. E para homens também, pela Editora Contexto. À venda nas livrarias e online, pela Editora e pela Amazon.

marligo@uol.com.br / marli@brickmann.com.br

_____________________________

ME ENCONTRE
 (se republicar, por favor, se possível, mantenha esses links):
https://www.youtube.com/c/MarliGon%C3%A7alvesjornalista
(marligoncalvesjornalista – o ç deixa o link assim)
https://www.facebook.com/BlogMarliGoncalves/
https://www.instagram.com/marligo/

 

#ADEHOJE – CONSCIÊNCIA NEGRA E CIDADÃ. E O “BARATA VOA” DOS DOLEIROS

#ADEHOJE – CONSCIÊNCIA NEGRA E CIDADÃ. E O “BARATA VOA” DOS DOLEIROS

 

SÓ UM MINUTO– De quando em quando o grupo, um grupo, de doleiros “top” do Brasil sofre com uma devassa. Depois, voltam – há anos vemos essas operações. Hoje essa devassa foi em cima da turma do doleiro dos doleiros, Dario Messer, preso aqui em SP, em junho, e envolveu até o ex-presidente do Paraguai, Horácio Cartes, alvo de mandado de prisão preventiva porque teria colaborado com a fuga dele… Operação faz parte da Lava Jato. Mais uma fase.

Amanhã, 20, Dia da Consciência Negra. Muito mais que um feriado, Dia de parar com o “eu não sou racista, mas…”. Dizer que no Brasil não há racismo é o mesmo que dizer que no Brasil as mulheres estão seguras e que o feminismo é compreendido. A população negra sofre com a violência, baixos salários, falta de oportunidades e especialmente com esse racismo velado, que nós temos é de revelar todos os dias.

E não é que o Toffoli desistiu de acessar os dados de 600 mil brasileiros? Viu que tava pegando mal, bem mal…